Mini-Reviews TV TV

Pose – Series Finale – 3ª Temporada

Pose Series Finale

CONTÉM SPOILERS DE POSE!

Uma das séries mais progressivas da atualidade chega ao fim. Um hino à comunidade trans, da arte ballroom, e à beleza de toda uma vida de amor, conexão e família. Pose é provavelmente uma das melhores apostas do criador Ryan Murphy, e durou o tempo necessário para deixar um impacto significativo no público, terminando com uma temporada intensa, cheia de momentos dramáticos fortes e de criar o desenlace perfeito para as suas muitas personagens. Enquanto que Blanca tenta ingressar na universidade para ser enfermeira, já Pray Tell está a viver tempos complicados, após ser-lhe diagnosticado HIV e cancro. Angel e Papi decidem apostar numa vida a dois; ao passo que Elektra revisita o seu passado para se aproximar da sua mãe. As perdas são muitas, a dor é sentida e Pose chega ao fim com classe, lágrimas bonitas e genuínas e um sentido de moda fabuloso.

Pose Series Finale
POSE — “On The Run” — Season 3, Episode 1 (Airs May 2) Pictured (l-r): Dyllón Burnside as Ricky, Hailie Sahar as Lulu, Mj Rodriguez as Blanca, Indya Moore as Angel, Angel Bismark Curiel as Lil Papi. CR: Eric Liebowitz/FX

O MELHOR:

Pose é uma ode belíssima à comunidade LGBTQ+, onde as personagens ditam o rumo da história e, mesmo que nem tudo seja perfeito, todo o desenvolvimento gradual dos protagonistas acaba por dar frutos e entregar ao público uma cultura ainda sem retrato no mundo da televisão.

A escrita dos episódios é muito envolvente, vasculhando os diferentes dilemas, personalidades vincadas e extravagâncias das personagens. As performances magníficas de Mj Rodriguez, Dominique Jackson e o grandioso Billy Porter tornam tudo mais intimista e que nos faz querer conhecer o seu destino. Há todo um glamour belíssimo que adorna a temática de Pose e, nesta temporada final, as passerelles transformam-se em corredores de hospital, com eventos dramáticos muito fortes que inevitavelmente nos causa muita dor. A verdade é que esta é uma série obrigatória, mesmo contendo alguns defeitos, não só pela sua vertente social educativa, mas porque constrói gradualmente as personagens e faz com que elas dominem o tempo de antena, mesmo quando não há material criativo de escrita nas entrelinhas dos diálogos.

Embora tenha uma realização um pouco preguiçosa (uma série tão boa necessitava de algo mais artístico de apresentação), Pose é absolutamente vertiginosa no tratamento do drama que envolve a comunidade em questão. Para além disso, a banda-sonora embala o espectador com as diversas situações que vamos vendo diante dos olhos e, acima de tudo, encerra os ciclos das três personagens centrais da história. É caso para dizer que vamos sentir falta de Live. Work. Pose! nas nossas vidas, mas sente-se que houve carinho nesta despedida. E o valor disso é gigantesco.

Pose Series Finale

O PIOR:

Ainda que as três personagens principais tenham tido um tratamento exímio, o mesmo não se pode dizer das restantes.

Grande parte das personagens secundárias vive na sombra das principais, sendo muitas vezes negligenciadas, especialmente nesta fase final de conclusão tão importante. Sente-se um certo desnível de apreço por algumas e, honestamente falando, o segmento narrativo de Angel e Papi (Indya Moore e Angel Bismark Curiel) acaba por ser muito cliché e desnecessário devido à sua superficialidade. No entanto, houve sempre passos que inevitavelmente a série teve de dar para chegar ao seu final, ainda que pudesse estender-se um pouco mais para garantir que nenhuma personagem ficaria “à sombra da bananeira”.

Outra questão enigmática que acaba por nos deixar um pouco apreensivos é a ausência de Ryan Jamaal Swain que desapareceu da série no início da temporada e cujo paradeiro nunca foi propriamente realçado. Quando Pose teve início era das personagens-chave para enaltecer a dificuldade coming-of-age de um jovem homossexual à procura do seu sonho. Sem dar uma desculpa plausível, Pose perde um pouco de força e desvia os focos (pelo menos com Blanca, Pray Tell e Elektra correu bem) para outros rumos.

Portanto, Pose chega ao fim de forma interessante, ainda que devesse dar o mesmo apoio a todas as personagens e de lhes dar um final digno. Mesmo que não tenha acontecido como pretendíamos, conquista por ter o coração no sítio certo e de não nos poupar a umas quantas lágrimas dolorosas no seu final.

Pose Series Finale
POSE — Season 3, Episode 1 — Pictured: Mj Rodriguez as Blanca, Billy Porter as Pray Tell, Angel Bismark Curiel as Lil Papi. CR: Eric Liebowitz/FX

Estado da Série: TERMINADA

Leiam a nossa Mini-Review anterior de Pose aqui.

0 75 100 1
75%
Average Rating

Pose chega ao fim e entrega um final cheio de emoções fortes, ainda que tenha negligenciado algumas das suas personagens secundárias sem necessidade. Ainda assim permanece com o estatuto de série rainha da comunidade transsexual e que foi sensata em chegar ao fim para não prolongar linhas de história pouco incidentes.

  • 75%

Comments