Cinema Críticas

Crítica: Four Good Days (2020)

Four Good Days Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE FOUR GOOD DAYS!!!

Histórias sobre toxicodependência e os trajetos que cada personagem leva acabam por representar várias funções. Por um lado, consegue servir como fonte de entretenimento para os fãs de cinema, mas por outro lado, também demonstra o mundo obscuro – e nunca belo – da toxicodependência e dos passos árduos que alguns tomam para poderem recuperar. Four Good Days, que teve a sua presença marcada no Sundance Film Festival do ano passado, consegue cumprir com os seus objetivos, mas não deixa de demonstrar algumas falhas.

Baseado numa história verídica que deu origem a um artigo do Washington PostFour Good Days centra-se em Deb, uma mulher de idade que vive em sossego com o seu marido, Chris. A sua paz é perturbada quando a sua filha toxicodependente, Molly, reaparece e pede-lhe ajuda para desintoxicar. Entretanto, Molly recebe a notícia de que existe um possível tratamento, mas com um sessão: precisa de se manter limpa durante quatro dias.

Four Good Days Crítica de Cinema

No que refere ao género de drama, Four Good Days pode ser um tanto ou quanto genérico, especialmente quando comparado com tantas outras histórias (claramente) superiores no que refere ao percurso de recuperação de uma toxicodependência. No entanto, vale a pena nem que seja por ver duas atrizes como Glenn CloseMila Kunis a contracenarem uma com a outra. Durante a sua duração, o filme apresenta-nos Deb e Molly numa relação frágil, na melhor das hipóteses, e ainda que tenhamos amplas oportunidades de vermos uma evolução positiva entre ambas, existe sempre aquela tensão palpável, como se de uma bomba-relógio se tratasse.

E por ambas, as atrizes acabam por redimir (parcialmente) o filme no seu todo. Close, por esta altura, dispensa apresentações, mas esta não deixa de ser uma das suas performances mais competentes em anos recentes, demonstrando o conflito interno dentro da sua Deb, que deseja tanto ajudar a sua filha, mas também se encontra apreensiva depois de tantas tentativas anteriores falhadas. Já Kunis também se revela como a surpresa do filme, não só exibindo uma transformação que a tornam praticamente irreconhecível (e para tal, há que dar o louvor à equipa de maquilhagem e guarda-roupa por conseguirem transformar uma das atrizes mais belas da atualidade numa junkie), mas também pela sua performance mais cuidada, mais reservada, sem deixar de demonstrar as suas fragilidades como toxicodependente e dos vários erros que cometeu desde então.

Four Good Days Crítica de Cinema

As duas atrizes são o chamariz de Four Good Dayse o guião acaba por lhes permitir tirar um maior benefício. É uma pena, então, que o resto do elenco não tenha direito ao mesmo tempo de antena que ambas. Certamente poderia ter sido uma clara expansão do círculo de Deb e Molly, além de expandir as consequências das ações de Molly para além do seu seio familiar. Mas o guião não tem apenas esse problema. Outra falha reside no facto de nos “seduzir” para entrarmos neste mundo cruel, mas acaba por passar ao lado, focando-se mais da disfunção familiar das duas.

E ainda que tenha a sua base numa história verídica, existe todo um exagero melodramático que seria escusado numa abordagem aparentemente realista a um assunto bastante sério e que ainda hoje se mantém como um tema deveras sensível em todo o mundo. Já para não falar do seu terceiro ato, que engloba toda uma panóplia que más escolhas que, neste lado do ecrã, seriam impensáveis de se cometer.

A níveis técnicos, Four Good Days é competente, mas não impressiona muito. Há que repetir o trabalho a nível de guarda-roupa e maquilhagem, especialmente no que refere à personagem de Kunis, mas de resto, é um produto de fácil digestão visual e sonoro.

Four Good Days Crítica de Cinema

Por isso, e num contexto geral, Four Good Days consegue ser um drama ocasionalmente eficaz, com Glenn Close Mila Kunis em papéis deveras cativantes. Infelizmente, fica a sensação amarga de que a equipa por detrás das câmaras poderia ter ido um pouco mais além nos seus esforços.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Four Good Days

Realização: Rodrigo García

Elenco: Glenn Close, Mila Kunis, Stephen Root, Carla Gallo, Joshua Leonard

Duração: 100 minutos

Trailer | Four Good Days

Comments