Cinema Críticas

Crítica: Gekijouban Violet Evergarden (2020)

Gekijouban Violet Evergarden Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE GEKIJOUBAN VIOLET EVERGARDEN!

Há animes que nos tocam. Tanto que é impossível conter as lágrimas depois de tantas histórias tocantes e emocionantes com que a autodoll Violet Evergarden nos proporcionou ao longo da sua jornada. Para quem não conhece a série anime (e que conta já com um especial e dois filmes a contar com este), Violet Evergarden é uma jovem que foi treinada para ser uma assassina implacável pelas forças militares. Nunca foi vista como uma mulher, mas sim como uma arma para aniquilar o inimigo. O seu mentor, Gilbert Bouganvillea, aparentemente perdeu a vida numa rusga, e Violet perdeu a força de viver, para além dos seus dois braços. Recuperada de um estado lastimável, a jovem Violet recebe uma nova oportunidade da vida, vendo os seus braços serem substituídos por duas próteses de metal, e onde lhe é concedida a arte de tocar pessoas de todo o mundo através da escrita. Numa época onde o analfabetismo ainda imperava, as autodolls eram as portas para o elo de contacto entre famílias separadas, amantes longínquos, testamentos de doentes terminais, e por aí fora. Eram a salvação que utilizavam o dom da escrita para unir as populações e onde Violet começou verdadeiramente a florescer, após tantos anos a ser forçada a não sentir emoções.

Gekijouban Violet Evergarden Critica de Cinema

Antes de mais, é imperativo reforçar a ideia ao leitor que não vale a pena seguir as aventuras de Violet Evergarden neste filme sem conhecimento prévio da sua história, que podem encontrar na Netflix para um binge-watching de fim-de-semana. É um anime adorável, de emoções fortes e genuínas, com personagens deliciosas e um enredo que acaba por não deixar ninguém indiferente. Produzido pela Kyoto Animation, este Gekijouban Violet Evergarden bem podia ser o capítulo final na sua história, já que encerra um ciclo narrativo iniciado com a série de anime. Embora nem tudo seja perfeito, já que o filme é escusadamente longo demais e repetitivo nalgumas linhas anteriores de história, é prodigioso na exposição da sua animação, que é elegante e graciosa; para além de ter momentos em que as lágrimas quase que instantaneamente começam a cair, permanecendo com o charme, carisma e poder hipnótico das suas aventuras anteriores. Realizado por Taichi Ishidate, Gekijouban Violet Evergarden é uma carta belíssima que nos faz refletir sobre o luto, a capacidade de perdão e de como a dor e o sofrimento nos moldam com o avançar do tempo.

Apesar das realização formidável e de um argumento que é exímio em transmitir ensinamentos profundos, o filme acaba por ter permanecer com alguns defeitos já cansativos da já longa saga de Violet Evergarden, nomeadamente a insistência em reproduzir momentos anteriores da série, que por esta altura já não fazem sentido, para além de se estender a uma duração um pouco saturante. A verdade é que muitas das personagens secundárias acabam por sofrer com esta decisão, sendo que sentimos que há muito ainda delas por descobrir e que acabam por nunca ter o devido mérito e atenção que merecem. No entanto, a estrela é mesmo a protagonista, que recebe aqui o tratamento merecido e a conclusão da sua grande dor e perda chegar ao fim… ou pensamos nós que sim. Mas independentemente destes defeitos que o fragilizam, de facto, bastante nalguns aspetos, Gekijouban Violet Evergarden é um filme poderoso em termos sentimentais, conseguindo levar-nos a abrir um segundo pacote de lenços, onde a animação ajuda a tornar os momentos mais vívidos e coloridos, para além de uma banda-sonora formidável.

Gekijouban Violet Evergarden Critica de Cinema

Infelizmente, a história acaba por se expor de uma forma algo dispersa e isso também não ajuda a que o espectador crie um fio condutor de eventos na sua cabeça, tornando-se extremamente incomodativo a longo prazo, ainda que, quando se centra em algo verdadeiramente importante, o filme brilha sem qualquer falha. Mas, seja este ou não o nosso adeus a Violet Evergarden, pelo menos podemos afirmar com certeza que, mesmo não sendo perfeito, trouxe aquela proximidade que precisávamos com a sua trágica história e, com o coração no sítio certo, deixa-nos, mais uma vez, com as lágrimas a cair do rosto de uma forma adorável, ternurenta e bonita.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Violet Evergarden: O Filme

Título Original: Gekijouban Violet Evergarden

Realização: Taichi Ishidate

Elenco: Yui Ishikawa, Daisuke Namikawa, Takehito Koyasu, Hidenobu Kiuchi, Haruka Tomatsu, Koki Uchiyama, Aya Endô.

Duração: 140 min.

Trailer | Gekijouban Violet Evergarden

Comments