Cinema Críticas

Crítica: Ci sha xiao shuo jia (2021)

A Writer's Odyssey

CONTÉM SPOILERS DE A WRITER’S ODYSSEY!

“Oh my sweet Tangerine, little Tangerine, soon you’ll grow big”

Após seis anos à procura da sua filha raptada, a última esperança e única forma de um pai a recuperar parece exigir que este tenha de assassinar um jovem escritor. Só que este escritor tem uma peculiaridade, ele funde a fantasia com a realidade e parece tornar verdadeiro aquilo que escreve.

O desenvolvimento na China, e a sua ascensão para uma superpotência, tem sido acompanhado por uma explosão a nível cinematográfico. Atualmente, a maioria dos filmes que almeja chegar ao top box office terá que considerar o sucesso no mercado chinês, daí vermos cada vez uma maior representação da cultura e de atores chineses mesmo em filmes de Hollywood. Para além disso o número de filmes chineses originais também é maior a cada ano.

A Writer's Odyssey

Ci sha xiao shuo jia ou A Writer’s Odyssey é o novo filme das produtoras Free Whale Pictures e Huace Pictures e com realização do famoso Yang Lu, conhecido pelos seus trabalhos em Xiu chun dao (2014), Xiu chun dao II: xiu luo zhan chang (2017) e Mang ren dian ying yuan (2010).

O elenco de luxo é constituído por estrelas premiadas como: Jiayin Lei a protagonizar como Guan Ning, Mi Yang a fazer de Tu Ling, Zijian Dong como o escritor Lu Kongwen, Shengdi Wang a interpretar a filha de Guan Ning – Tangerine e Hewei Yu no papel do vilão Li Mu.

A Writer’s Odyssey dá-nos a sensação de um início acidentado, mas que com o tempo será tudo explicado e que todos os pontos serão postos nos is. Desenganem-se, pois isso é uma ilusão.

O filme revela uma mestria no uso do CGI e na realização de cenas de ação, assim como na conjugação entre personagens interpretadas por atores reais com as personagens digitais. Muitas vezes é como se estivéssemos a assistir a um jogo eletrónico e não tanto a um filme. É sem dúvida o ponto mais forte do filme e pelo qual vale a pena espreitar o filme, nem que seja o trailer ou os highlights.

A Writer's Odyssey

É difícil avaliar os outros elementos do filme, pois temos uma parte bastante boa e outra péssima. E este contraste ofusca tudo o resto. Com o cérebro desligado é um filme fácil de apreciar, mas basta tentar compreender alguma coisa para a magia de entretenimento se desmanchar por completo. Basicamente nada nos é explicado na narrativa e mesmo se nos deixarmos levar, existem infinitos aspetos que não têm lógica.

Demasiada confiança nos efeitos especiais e um desleixo no argumento estragam por completo a experiência de um filme que mostrava potencial para algo muito interessante.

Kongwen quando aparece a escrever no seu livro e com o suposto poder de matar pessoas com a sua escrita faz imediatamente lembrar-nos de Kira/Light de Death Note. No entanto o seu poder é na realidade mais próximo do de Henry em Once Upon a Time. Já Guan Ning tem um poder que rivaliza com os de Hawkeye dos Avengers ou com os de Bullseye na 3ª temporada de Daredevil. Claro que o funcionamento destes super-poderes ou a sua mera existência, tal como tudo o resto no filme, não é explicado e nem sequer referido numa simples fala.

A Writer's Odyssey

“Em nome da Lua, vou castigar-te!” (isto é mesmo dito no filme)

A Writer’s Odyssey é um filme deslumbrante que torna a magia realidade. Em termos visuais é um verdadeiro espetáculo de nos deixar de boca aberta de princípio ao fim. Infelizmente a narrativa é desconexa, desorientada e um emaranhado que deixa a audiência completamente sem rumo.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: A Writer’s Odyssey

Título Original: Ci sha xiao shuo jia

Realização:  Yang Lu

Elenco: Jiayin LeiMi YangZijian Dong, Shengdi Wang, Hewei Yu 

Duração: 130 min.

Trailer | A Writer’s Odyssey

Comments