Mini-Reviews TV TV

Move to Heaven – Season Finale – 1ª Temporada

Move to Heaven Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE MOVE TO HEAVEN!

Como mencionado noutras críticas, a Netflix tem apostado de forma incrível nos K-Dramas e o mais recente caso é um que irá ficar para a História. Move to Heaven acompanha Geu Ru, um jovem de vinte anos autista que, juntamente com o pai, tem um negócio de “limpar traumas”. Quando os familiares que perdem entes queridos, Geu Ru faz uma limpeza ao cenário de morte e tenta entregar os pertences do mesmo, desvendando alguns mistérios que envolvem a mesma. Nisto, após a súbita morte do seu pai, Geu Ru fica sob a custódia de um tio que nunca soube que existiu, depois do seu pai o declarar no seu testamento. Sang Gu está a sair da prisão, após homicídio involuntário de uma luta ilegal de MMA e tem um temperamento volátil, que choca com a conduta e rotina do seu sobrinho. Mas juntos iniciam um novo percurso de vida onde a perda está sempre ao virar da esquina, fortalecendo os seus laços e resolvendo alguns casos misteriosos que vão surgindo dos seus clientes.

Move to Heaven Season Finale

O MELHOR:

Move to Heaven é uma das séries mais adoráveis do ano.

Tem uma doçura muito própria, prestações soberbas e uma narrativa absorvente que lida com valores incrivelmente tocantes, para além de tratar com respeito a síndrome de Asperger, fazendo com que a personagem seja funcional e não apenas objeto de pena ou vítima de exageros de produção como ocorreu no recente filme de Sia, Music. Interpretado por Tang Joon-Sang, Geu Ru é uma personagem maravilhosa, cuja inteligência é determinante para o fluxo de eventos e para obter conclusões; logo, é visto como alguém que tem muito para oferecer e não alguém que está inteiramente dependente de outrem para encontrar um rumo. Este respeito e dedicação por parte dos argumentistas em enaltecer aquilo que, até agora, em cinema e televisão faltou, faz com que Move to Heaven seja uma obra extraordinária em termos de evolução social, rompendo com as dificuldades óbvias da indústria em retratar determinadas circunstâncias em torno das debilidades mentais. Aliás, é precisamente por não tratar como “debilidade” que a série brilha, conseguindo sobressair no panorama da Netflix de conteúdo feito com consciência e que foge a uma Hollywood ainda “às aranhas” em como retratar algo tão sensível.

Move to Heaven Season Finale

Em termos narrativos, Move to Heaven ganha também por deixar as personagens contribuírem para o desenvolvimento da narrativa, proporcionando um estudo belíssimo de caráter e de evolução das mesmas, resultando numa novela sentida e com o coração no sítio certo. A presença da morte, seja ela no contexto trágico, ou no de fornecer oportunidades àqueles que perderam alguém que amaram, é tratada não como um mote apenas, mas sim como algo em constante debate, fazendo com que a história nunca perca o seu foco. Até mesmo noutras questões sociais, Move to Heaven é absolutamente revolucionária no seu país de origem, a Coreia do Sul, em que finalmente é incluída uma linha LGBTQ+ que resulta num dos melhores episódios da série e, acima de qualquer outro aspeto, a beleza de escrita em torno do conceito de amor.

Move to Heaven é provavelmente uma das melhores séries do ano da gigante do streaming e, mesmo que gostaria, numa nota pessoal, que se ficasse por aqui por ter completado um ciclo com os elementos certos (e nas doses acertadas), caso haja uma renovação, o seu formato pode ainda marcar pela diferença, misturando um procedural com desenvolvimento ritmado das personagens e de continuar a progredir nos diversos contextos em que a morte surge e que tira proveito de uma equipa magnífica de argumentistas que sabem tocar-nos quando menos esperamos.

Move to Heaven Season Finale

O PIOR:

O facto de os episódios finais começarem a cansar um pouco da temática, Move to Heaven tem uma aura tão genuína e tão forte que acabamos por nos sentirmos investidos mesmo quando já estamos um pouco saturados de ver um pouco “mais do mesmo”.

A verdade é que as personagens ajudam a camuflar algumas circunstâncias menos boas da história, precisamente porque há sempre novos acontecimentos que influenciam o comportamento das personagens principais e que as incitam em desvendar novos mistérios. Permitindo que elas assumam a narrativa dá um contacto mais próximo com o espectador e, de alguma forma, voltamos novamente a ficar investidos no que vamos vendo, mesmo que se repita nalguns aspetos.

Ainda assim, é necessário um pacote de lenços XXL para conseguir lidar com todos os aspetos mais adoráveis, pesados, trágicos e de esperança que Move to Heaven nos entrega e, mesmo que nem todos nos toquem da mesma forma, é inegável que a Netflix encontrou aqui uma das suas melhores apostas asiáticas até ao momento e uma que inegavelmente merece encontrar a sua própria legião de fãs.

Move to Heaven Season Finale

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 88 100 1

88%
Average Rating

Move to Heaven é uma aposta surpreendente da Netflix, onde o elenco acompanha uma história comovente, apostando em conceitos ainda vistos como tabus pela sociedade em geral e, acima de tudo, tornando a temática fresca com a ajuda de personagens carismáticas.

  • 88%

Comments