Open Sesame Rubricas Uncategorized

My Neighbor Totoro, um dos meus amigos de infância

PODE CONTER SPOILERS DE MY NEIGHBOR TOTORO!!!

My Neighbor Totoro (Tonari no Totoro), uma obra prima de Hayao Miyazaki do Studio Ghibli, retrata na perfeição que a beleza de uma história não está na sua conclusão, mas na pureza e mestria de como é contada. Nascida em 1988, tal como eu, My Neighbor Totoro foi uma das chaves, juntamente com Hotaru no Haka (Grave of the Fireflies), para chegar a este mundo dos animes.

Hayao Miyazaki leva-nos de volta ao tempo de um Japão pós-guerra rural, deixando para trás os horrores da guerra, o cheiro a sangue nas ruas e o medo do amanhã. Em My Neighbor Totoro, reencontramos a simplicidade do nosso mundo, do sorriso de uma criança enquanto descobre a natureza que a rodeia. Dos afortunados que são aqueles que, longe dos pilares de ferro, nessas medonhas e frias florestas cinzentas, vivem tendo como vizinhos a vida. Seja esta vida o retrato de um rio novo inquieto, uma floresta impenetrável ou um campo agrícola que nos traz o trabalho de mão dada com a paz de espírito.

My Neighbor Totoro desvenda a história de Satsuki e Mei, duas irmãs que se mudam com o pai para o interior do Japão, de forma a ficarem mais próximas da mãe doente. Lá, encontram uma casa “assombrada” pelos nossos conhecidos Susuwatari (soot spreaders), e um mítico jardim que será a porta para novas aventuras.

A relação entre Satsuki e Mei, mais que especial, retrata a união de duas irmãs que se adoram e vivem uma para a outra. Venerando, aos olhos do espectador, a oportunidade que lhes foi dada de ter alguém que as acompanhará no longo, e nem sempre fácil, percurso que é a vida. Como pilar da casa, o pai de Satsuki e Mei fervilha de alegria ao ver o crescimento das pequenas, nunca criando barreiras à imaginação. Ter um pai que mergulha sem vergonhas ou medos no mundo imaginário de uma criança, é um dos detalhes deste filme de anime que, aos poucos e sem dar conta, nos envolve.

No decorrer da história, Hayao Miyazaki brinda-nos com alguns seres míticos, dando um especial destaque a Totoro. Representado como o guardião da floresta, este simpático gigante adensa a beleza de My Neighbor Totoro, identificando valores como o respeito pela natureza e o agradecimento por toda a vida que temos o privilégio de conhecer. Totoro, apesar de ser uma personagem secundária, deixa um sorriso no espectador sempre que surge. Caricato, original e adorável, Totoro, que surge em várias animações, mas de formas diferentes, patenteou o percurso do Studio Ghibli. Um Ser facilmente reconhecido por muitos que provavelmente nunca sequer viram My Neighbor Totoro.

Deste anime existem ainda dois pontos a abordar:

– A  palete de cores e o tipo de desenho utilizado, dando um ar jovial e alegre, presente de início ao fim. Desde o brilhantismo do uso de cores mais escuras em ambientes tristes e serrados, a cores de tons mais pasteis e animosos em momentos de descoberta, felicidade e mistério. Vale a pena recordar que estamos a falar de 1988, hoje um dado adquirido de uso deste estilo, noutro tempo a audácia de fazer algo diferente.

– As músicas de Joe Hisaishi, destacando Tonari no Totoro (My Neighbor Totoro). Bastam os primeiros segundos para que o espirito se sinta imediatamente como uma criança, a mente se perca em memórias esquecidas, a voz se liberte e o coração aqueça. “Tonari no Totoro Totoro Totoro Totoro, Tsukiyo no ban ni OKARINA fuiteru,Tonari no Totoro Totoro Totoro Totoro”

My Neighbor Totoro é um filme belíssimo para ver na companhia dos mais pequenos. Musicalmente acompanhante e envolvente a cada ação das personagens. Envolto numa animação de desenho descomplexado e cores singelas. Onde uma pequena história cria uma marcante e icónica personagem, o meu vizinho Totoro.

Qualquer um consegue contar uma história, mas só aquele que realmente a sente, honestamente a vive.

Podem ler outras entradas do Open Sesame aqui.

Comments