Cinema Críticas

Crítica: French Exit (2020)

French Exit Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE FRENCH EXIT!

É sempre um deleite voltar a ver Michelle Pfeiffer num bom papel, especialmente depois da sua nomeação para os agora-arruinados-Golden-Globes por este filme adaptado da peça de Patrick DeWitt (pela mão do próprio), French Exit. Frances Price é uma socialite que vive em Manhattan e está a ter dificuldades em sobreviver com o que resta da sua herança e terá de se mudar para o apartamento de uma amiga em Paris com o seu gato e filho Malcolm em busca de um novo estilo de vida. Realizado por Azazel Jacobs, French Exit é um filme que tem algumas características muito interessantes, mas que nunca assenta propriamente em algo coerente e que age como uma sátira a um tipo de vivência que já não está propriamente muito vincado na realidade mundana dos dias de hoje.

French Exit Critica de Cinema

French Exit tem prestações extremamente competentes, um humor que, se fosse explorado com um pouquinho mais de graça, talvez conseguisse elevar o filme ligeiramente a algo mais prazeroso, para além de Jacobs revelar algumas surpresas na cadeira de realização. Mas todo este charme que French Exit incute na sua ornamentação falha redondamente em conseguir superar um argumento pouco coerente e coeso, sem rumo nem algo que justifique propriamente a sua existência. A verdade é que inevitavelmente sentimos que esta película é um desperdício de bons atores e mesmo bom material que pretende criar uma junção entre Carnage de Roman Polanski e o recente (e penoso) Blithe Spirit de Edward Hall. O resultado é um misto de atributos artísticos e dedicação árdua de uma equipa que não sabe propriamente o que está a fazer nem o porquê. French Exit é um tipo de filme que tem dificuldades de expressão e de assumir uma identidade, já que o argumento do próprio DeWitt parece carecer de um rumo próprio e de se afastar um pouco da génese teatral, tornando-se pouco envolvente e sem grande estímulo.

Mesmo que Pfeiffer brilhe em quase todas as suas cenas, a sua personagem não está construída de forma a estabelecermos uma empatia duradoura, para além das secundárias nunca conseguirem ascender propriamente a algo confortável ou que nos deixe a refletir sobre as mesmas. No entanto, os esforços de Lucas Hedges, Valerie Mahaffey e Susan Coyne acabam por ofuscar um pouco a nossa segurança… levando-nos a dar uma oportunidade para ver até onde o filme vai para nos transmitir uma mensagem. O problema é que ela nunca chega… vamos vagueando na mente de DeWitt durante quase duas horas sem termos estabelecido qualquer conclusão sobre French Exit, e isto torna-se incomodativo porque são inevitáveis as frustrações quando sabemos que o potencial está todo ali.

French Exit Critica de Cinema
Michelle Pfeiffer and Lucas Hedges star in French Exit trailer
https://www.youtube.com/watch?v=bqMJeE15YiA
Credit: Sony Pictures Classics

Desnecessariamente banal e com a falta de um fio condutor que justifique ou que torne a sua existência mais aprazível, French Exit torna-se um produto que tem, de facto, algumas componentes interessantes dos pontos de vista técnico e performativo, mas o seu argumento fere a sua capacidade de se tornar algo concreto e que transmita uma mensagem com firmeza, fazendo com que o espectador facilmente perca o interesse.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Uma Saída à Moda Francesa

Título Original: French Exit

Realização: Azazel Jacobs

Elenco: Michelle Pfeiffer, Lucas Hedges, Tracy Letts, Valerie Mahaffey, Susan Coyne, Imogen Poots, Danielle Macdonald, Isaach De Bankolé, Daniel di Tomasso.

Duração: 113 min.

Trailer | French Exit

Comments