Mini-Reviews TV TV

Jupiter’s Legacy – Season Finale – 1ª Temporada

Jupiter's Legacy Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE JUPITER’S LEGACY!

Steven S. DeKnight é um nome que não é desconhecido para os amantes da televisão, já que foi o anfitrião de produções como Spartacus e Daredevil. Ele regressa para adaptar os comics de Mark Millar e Frank Quitely, Jupiter’s Legacy, onde um grupo de super-heróis veteranos precisa de preparar os seus filhos para primarem pela segurança dos habitantes da Terra, ao passo que uma nova ameaça surge de onde menos se espera e que obriga os heróis a ter de apressar este treino. Jupiter’s Legacy é uma produção da Netflix que desilude em quase todos os prismas, com uma realização muitas vezes penosa, um casting que, em geral, não se adequa ao tipo de personagens que interpretam e com uma narrativa básica e sem grande alma.

Jupiter's Legacy Season Finale

O MELHOR:

Mesmo que sejam poucos os pontos fortes de Jupiter’s Legacy, há que, pelo menos, dar valor aos esforços de alguns dos atores que tentam ajudar a elevar um pouco a produção, sejam eles Josh Duhamel (ainda que não lhe assente, de forma alguma, este tipo de personagem) e Ben Daniels, que acaba por arrancar o melhor papel de toda a temporada.

Jupiter’s Legacy tem apenas um aspeto que captou a minha atenção em torná-lo num produto diferente: ver o superheroísmo como um fardo, capaz de conduzir a problemas mentais severos, e que acaba por ser uma linha de história interessante, ainda que não explorada até ao seu verdadeiro potencial. Para a filha de Sheldon e Grace, Chloe, ser filha de super-heróis é uma maldição, e uma que a leva por um caminho de autodestruição, ainda que a personagem, de certa forma, comece a tornar-se irritante, e muito disto se deve ao facto de DeKnight perder o rumo que quer dar à história. Enquanto Daniels consegue segurar as rédeas da sua porção narrativa, já o restante acaba por surgir algo disperso e a contextualização de muitas personagens é deixada “à sombra da bananeira”, fazendo com que Jupiter’s Legacy caia numa mediocridade quando o potencial acaba por estar lá.

Jupiter's Legacy Season Finale
JUPITER’S LEGACY (L to R) ELENA KAMPOURIS as CHLOE SAMPSON in episode 104 of JUPITER’S LEGACY. Cr. STEVE WILKIE/NETFLIX © 2021

O PIOR:

O ramo dos super-heróis está a começar a mostrar sinais de fadiga e de pouca inovação.

O crescimento de produções com base na mesma génese está a ter dificuldades em conseguir ser adaptado de forma convincente e, lamento a todos os fãs de Duhamel, mas o visual da série não o favorece em nenhuma circunstância. As personagens, no seu geral, são pouco interessantes, sem camadas dramáticas que sejam convincentes, caindo numa tentativa de neo-noir aplicada forçosamente na personagem principal e que ofusca o desenvolvimento das restantes, levando a série a perder o seu foco e a disparar para todo o lado em termos de narrativa.

Os episódios perdem força por nunca assentarem devidamente num ponto em concreto e a equipa de argumentistas não consegue sustentar com eficácia as diversas personalidades/caráteres das personagens, fazendo-as cair numa rotina que lhes remove seriedade ou falha redondamente em atribuir-lhes camadas de relevância. Nunca sabemos propriamente qual é o objetivo primário da série e, onde estaria toda a base de interesse (e de novidade, por assim dizer) de Jupiter’s Legacy, a ambição de querer “espetáculo visual” atrapalha todo o processo criativo da mesma.

Para além disto, em termos técnicos, Jupiter’s Legacy é algo infantil e os efeitos visuais não conquistam, tornando-se num produto superficial e plástico onde vemos um bom elenco a ser desperdiçado por opções argumentativas menos boas e o casting, recheado de estrelas, não assenta no tipo de personagens que interpretam. Este é um dos casos onde a Netflix demonstra as suas fragilidades em termos criativos e onde há uma sede de produzir algo que está “na moda” em vez de procurar conquistar os fãs com objetivos claros e refrescantes e de tornar relevante um produto com uma mensagem concreta. É uma pena, mas Jupiter’s Legacy é um verdadeiro desperdício de tempo.

Jupiter's Legacy Season Finale
JUPITER’S LEGACY (L to R) MATT LANTER as GEORGE HUTCHENCE in episode 108 of JUPITER’S LEGACY Cr. Steve Wilkie/Netflix © 2021

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 45 100 1
45%
Average Rating

A nova série da Netflix de super-heróis, baseada nos comics de Mark Millar e Frank Quitely, é pobre e tem dificuldades técnicas e argumentativas que nunca chegam a um ponto em concreto e caem numa monotonia cansativa e sem grande alma.

  • 45%

Comments