Cinema Críticas

Crítica: The Mitchells vs. The Machines (2021)

The Mitchells vs. The Machines Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE THE MITCHELLS VS. THE MACHINES!

Depois do sucesso tremendo de Spider-Man: Into the Spider-Verse, a Sony Pictures Animation está de volta com o seu novo clássico: uma aventura familiar onde os Mitchells se deparam com um apocalipse tecnológico e precisam de sobreviver ao mesmo e garantir a prosperidade da raça humana. Sendo uma família algo disfuncional, os Mitchells não podiam ser mais diferentes uns dos outros; cada um com traços vincados de personalidade. O patriarca Rick é um adepto das atividades ao ar livre, e nunca se adaptou propriamente a uma vida dominada pela tecnologia, já a sua filha Katie tem o sonho de ser cineasta e sempre encontrou no cinema o seu refúgio. A segurar as pontas soltas está a mãe Linda e o mais pequeno membro da família, Aaron, um eterno apaixonado por dinossauros com problemas sociais. Ah, e não nos podemos esquecer do adorável e trapalhão pug que encerra este núcleo familiar, Monchi. Quando Katie recebe a notícia que foi admitida na prestigiada universidade de cinema que sempre ambicionou para a sua vida, o seu mundo vira de pernas para o ar com a invasão de uma tecnologia que captura os seres humanos e lança um novo rumo de tirania no planeta.

The Mitchells vs. The Machines Critica de Cinema
The Mitchell Family: Linda (Maya Rudolph), Katie (Abbi Jacobson), their dog Monchi, Aaron (Michael Rianda) and Rick (Danny McBride) in Columbia Pictures and Sony Pictures Animation’s CONNECTED.

The Mitchells vs. The Machines é um filme animado distribuído pela Netflix que é mais surpreendente do que inicialmente se esperava. Tem todas as características de uma animação ousada e sem receio de cometer alguns riscos; com personagens carismáticas e repletas de particularidades deliciosas, ao passo que o elenco vocal ajuda a realçá-las em quase todos os momentos do filme. Ainda que as ambições levem a melhor nalguns aspetos mais “tresloucados” desta aventura deliciosa, The Mitchells vs. The Machines tem um propósito muito educativo, enveredando pelos malefícios da tecnologia e da invasão que ela tem nas nossas vidas. E esta componente é injetada em relações familiares com que o espectador consegue facilmente identificar-se e relacionar-se, tornando a experiência mais gratificante e adequada a toda a família.

Em termos visuais, o filme consegue adotar diferentes aspetos de animação, combinando diversos registos que nos relembram de um dia-a-dia que é feito através do monitor de um objeto artificial e de toda a criatividade que advém da criação de memes, colagens de fotografias e a modernização de um tradicionalismo que está a desvanecer na nossa conduta enquanto espécie. A verdade é que The Mitchells vs. The Machines tem imensos elementos interessantes que lhe dão força para marcar pela diferença, ainda que, noutros, peque por não conseguir distribuir a sua atenção de igual forma. Embora com mensagens subliminares acutilantes, o filme tem alguma dificuldade em desenvolver o vilão da sua história (cuja voz advém da incrivelmente talentosa Olivia Colman) e exagera no ato final em querer incluir a fórmula cliché de “heróis que são zeros à esquerda”. Embora as personagens ajudem a suavizarmos um pouco a nossa visão crítica (que no entanto está sempre presente), The Mitchells vs. The Machines desequilibra-se com querer incluir elementos fantasiosos que não encaixam propriamente bem no tipo de história que quer contar.

The Mitchells vs. The Machines Critica de Cinema

Se se ficasse por algo mais simples e não recorresse a tanto ruído visual a caminho do desenlace, pudesse ter um impacto ainda maior do que teve. Mesmo assim, é um filme altamente recomendável, e que trabalha muito bem as mensagens que nos levam a refletir do nosso uso (e abuso) da tecnologia que jamais poderá ser determinante da nossa felicidade. O romper com o materialismo e o fortalecimento das relações familiares é todo o foco principal da obra e, neste aspeto, não há nada a apontar de negativo. Mesmo não sendo perfeito, The Mitchells vs. The Machines é uma aventura adorável, com o espírito no sítio certo e que é o programa ideal para este fim-de-semana em família.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Os Mitchells vs. As Máquinas

Título Original: The Mitchells vs. The Machines

Realização: Michael Rianda & Jeff Rowe

Elenco: Abbi Jacobson, Danny McBride, Maya Rudolph, Michael Rianda, Eric André, Olivia Colman, Fred Armisen, Beck Bennett, Chrissy Teigen, John Legend, Charlyne Yi, Blake Griffin, Conan O’Brien.

Duração: 113 min.

Trailer | The Mitchells vs. The Machines

Comments