Cinema Críticas

Crítica: Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen (2020)

Kimetsu no Yaiba Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE KIMETSU NO YAIBA: MUGEN RESSHA-HEN!

Era provavelmente um dos filmes mais aguardados do ano. Um que bateu recordes surpreendentes no seu país de origem, no Japão, e que agora chega aos EUA e continua a mostrar o seu poder, satisfazendo todas as expectativas de fãs de todo o mundo de um dos animes mais cobiçados e visualmente intensos do momento. Kimetsu no Yaiba, ou como é conhecido em inglês Demon Slayer, regressa para um filme que faz a ponte entre a conclusão da primeira temporada do anime, e abre portas para a sua continuação, também ela, no formato de série. Tanjiro, Nezuko, Inosuke e Zenitsu enfrentam novos desafios num comboio onde um demónio, enviado pelo mestre dos mesmos, Muzan Kibutsuji, ameaça a vida de imensos humanos que se encontram de viagem no mesmo, para além dos nossos heróis. Mas esta viagem é importante para Tanjiro, já que precisa de dominar a arte do fogo na sua jornada para se tornar um Hashira (um guerreiro com habilidades especiais e capaz de derrotar os mais poderosos demónios), e necessita da ajuda do mestre desta habilidade denominado de Kyôjurô Rengoku, o Hashira das Chamas.

Kimetsu no Yaiba Critica de Cinema

Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen é uma obra esplendorosa, com visuais magníficos e sequências de ação vertiginosas, auxiliada por um argumento que consegue inserir-nos num worldbuilding ainda em crescimento e que tira proveito de um desenvolvimento de personagens com recurso a uma filosofia cativante e diversificada. Sem querer enveredar por spoilers para que os leitores tirem o máximo proveito da experiência visual que é Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen, é caso para dizer que o filme continua a ter o foco bem definido e a ser criativo na exposição do background das personagens e das suas motivações para colocarem a sua vida em perigo pela humanidade, e para destruírem as forças malignas que ameaçam a sua existência. É extremamente importante referir que nenhum espectador que tenha acompanhado a primeira temporada do anime se deve aventurar neste filme sem o devido conhecimento. Não há contextualização (e não tem que a ter, já que isto é um seguimento das aventuras de Tanjiro e companhia) e não é uma obra que pense em mais nada sem ser isso mesmo: entregar aos fãs o que eles necessitam e dar continuidade à narrativa que tanto os conquistou há já dois anos atrás.

Kimetsu no Yaiba Critica de Cinema

Kimetsu no Yaiba é um anime extraordinariamente interessante no seu geral, tendo algumas dificuldades, no entanto, em posicionar os seus arcos narrativos no local certo, e este filme não foge muito desse defeito. Adaptado dos mangás de Koyoharu Gotouge, Kimetsu no Yaiba é algo muito particular, com um worldbuilding fabuloso e que tem os valores mais profundos do que nos torna humanos nas suas entrelinhas. Mugen Ressha-Hen, permanece com o mesmo charme e carisma, fazendo com que não existam desilusões a nível dos elementos que tanto o tornaram especial; no entanto, é um filme que, infelizmente, cai no defeito de não saber quando terminar, incitando um pequeno (mas gigantesco em termos de impacto) arco narrativo de ação que podia ser incluindo no início da segunda temporada ou até num especial de continuidade. Ao ser colocado no filme, acaba por fazer um overstuffing que é algo forçado para efeitos dramáticos, e revela uma ambição enorme em apressar um pouco o decorrer da ação apresentada até então. No entanto, quer se veja esta questão por este prisma, ou se se pensar que “Kimetsu no Yaiba a mais, nunca é demais”, o espectador irá continuar deliciado com o deslumbre visual das sequências e permanecerá com o mesmo envolvimento do início ao fim.

Kimetsu no Yaiba Critica de Cinema

Kimetsu no Yaiba tornou-se um fenómeno de culto, e uma das novas obsessões da cultura popular de todo o mundo, e é provavelmente o mais ansiado anime do momento e, mesmo que não seja perfeito, este filme acaba por, não só recuperar a nostalgia e saudade que já tínhamos das aventuras destes intrépidos e diversificados heróis, como progride em termos de worldbuilding e intensifica as ameaças que estão ainda por vir. Numa simbiose perfeita de vários tipos de animação, o estúdio Ufotable assume-se como um dos mais promissores em termos visuais até à data e torna este filme em particular, uma experiência única de arte visual e que vai deixar o sangue dos fãs a ferver e a desejar por mais e pelos eventos que se seguirão. Mesmo que, num tom pessoal, preferiria um filme mais curto e sem recurso a efeitos dramáticos que surgem de forma um pouco forçada, Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Ha é uma obra fabulosa, palpitante, deslumbrante e que irá, sem sombra de dúvida, deliciar os fãs do anime de todo o mundo.

Mas, reforço novamente, leitores que não tenham acompanhado as aventuras de Tanjiro, Nezuko, Inosuke e Zenitsu desde o início, não vejam este filme de forma isolada porque não irão tirar proveito, mesmo que vejam o potencial artístico do mesmo. Até lá, aguarda-se entusiasticamente pela segunda temporada e que as aventuras destes heróis magníficos continuem a ser tão cativantes quanto este.

Kimetsu no Yaiba Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Caçador de Demónios: O Comboio Amaldiçoado

Título Original: Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen

Realização: Haruo Sotozaki

Elenco: Natsuki Hanae, Saori Hayami, Yoshitsugu Matsuoka, Hiro Shimono, Junya Enoki, Takahiro Sakurai, Satoshi Hino, Tomokazu Sugita.

Duração: 117 min.

Trailer | Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen

Comments