Cinema Críticas

Crítica: Cher and the Loneliest Elephant (2021)

Cher and the Loneliest Elephant

CONTÉM SPOILERS DE CHER AND THE LONELIEST ELEPHANT!

Há histórias inspiradoras que nos conquistam, mesmo que a apresentação visual não seja a melhor. Durante este ano anterior onde sofremos (e a saga continua) com a pandemia de COVID-19, ainda existem raios de esperança para vermos a humanidade a trabalhar em prol de causas mais importantes do que o nosso próprio umbigo. O mundo ficou sensibilizado com a história de Kavaan, um elefante asiático que viveu durante anos em condições precárias num jardim zoológico penoso no Paquistão. Depois de uma campanha incessante nas redes sociais, Kavaan desperta a curiosidade de uma superestrela que decide fazer todos os possíveis para salvar este elefante majestoso de todo o sofrimento que tem passado; e esta celebridade tem um nome: Cher, a musa da pop que se consagrou na música com o seu hit Believe.

Cher and the Loneliest Elephant

Cher and the Loneliest Elephant é uma história bonita num cenário trágico e que nos leva a refletir sobre a forma como os zoos preocupam-se mais com o dinheiro que recebem para eles mesmos e não com os animais que estão nos seus cuidados. Kavaan viva num recinto pobre, sem estímulos para que o cérebro colossal destes mamíferos tão inteligentes e tão emocionais; acorrentado muitas vezes devido à agressividade derivada de tantos maus-tratos e negligência que foram, durante anos, a sua realidade. Agora, Kavaan recebe uma oportunidade de se mudar para um santuário onde poderá, não só ser um elefante saudável até à sua morte, como irá conhecer alguns membros da sua espécie depois de tantos anos em isolamento. Para quem não sabe, os elefantes são uma espécie altamente sociável, vivendo em grupos de dez ou mais indivíduos, com uma hierarquia definida e espírito de entreajuda e aprendizagem. Deixar um elefante no estado em que Kavaan se encontrava é um atentado aos direitos dos animais e uma prova cruel de como continuamos a ignorar os muitos problemas que exercemos no reino animal.

Cher faz os possíveis e consegue arranjar uma nova casa para este elefante carismático, que precisa de viajar do Paquistão para o Cambójia, numa viagem perigosa e que pode por a segurança do animal e das pessoas que o estão a tentar resgatar, e o resultado é um pequeno filme doce, bonito, com uma mensagem maravilhosa de esperança e que não nos poupa a umas lágrimas aqui e acolá. No entanto, é um filme pobre em estrutura e algo amador em criar um envolvimento artístico forte, sendo mais expositivo do que propriamente um produto a ser apreciado pela sua componente técnica. Mesmo que não seja um que prime neste ramo, por vezes o poder da mensagem fala mais alto. Cher and the Loneliest Elephant é um filme singelo, com graves problemas técnicos, mas que tem um coração tão doce e poderoso que nos conquista durante toda a sua (curta) duração.

Cher and the Loneliest Elephant

Age mais como uma propaganda de conservação do que propriamente como um produto de cinema, mas numa altura como esta, são precisas histórias que nos deixem felizes e com esperança de que continuemos a crescer para sermos indivíduos mais humildes no tratamento de outras espécies que habitam o planeta connosco. A história de Kavaan é inspiradora e pode ajudar muitos outros animais pelo mundo fora que vivem em condições deploráveis em zoos, fazendo com que, mesmo não tendo uma apresentação artística decente, o torne num produto ainda essencial e comovente.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Cher e o Elefante Solitário

Título Original: Cher and the Loneliest Elephant

Realização: Jonathan Finnigan

Duração: 46 min.

Trailer | Cher and the Loneliest Elephant

Comments