Cinema Críticas

Crítica: Bastards’ Road (2020)

Crítica: Bastard’s Road (2020)

PODE CONTER SPOILERS DE BASTARDS’ ROAD!

You’re carrying on for them… You’re not letting them die

A maioria de nós aprecia um bom filme de guerra. Baseado em factos verídicos, em que os heróis lutaram contra probabilidades inimagináveis, uns sacrificam-se para os outros poderem continuar a lutar e, no fim, os vilões são derrotados e os bravos soldados regressam a casa. No entanto, “Coming home from war is just the beginning” (o regresso a casa da guerra é apenas o início)!

When you take a life, a part of you is lost”, quantas peças se perdem então num batalhão em que ¼ dos elementos perderam a vida e cujos combates se estendem em múltiplas campanhas que duraram meses? Esta é uma das perguntas que Bastards’ Road se propõe a explorar no seu premiado documentário. Ao longo do filme seguimos a caminhada de Jonathan Hancock, um Forrest Gump da vida real, que percorre 5.800 milhas (9.334 km; para pôr em perspetiva, considerando que Portugal tem 3.920 km de perímetro, a distancia percorrida por Hancock era a suficiente para mais de 2 voltas inteiras ao país) para visitar os seus companheiros Marines – da 2/4 Fox Company, também conhecidos por “The Magnificent Bastards” – e as famílias daqueles que caíram em combate. Esta viagem é, no entanto, mais do que uma aventura… é um escape da vida real para Jon conseguir aprender a lidar com os vários “demónios” que o atormentam, e a começar o seu próprio processo de perdão e cura.

Realizado e produzido por Brian Morrison e com Mark Stafford como argumentista, Bastard’s Road teve a sua estreia mundial em 2020 no Santa Barbara International Film Festival onde ganhou o prémio de Melhor Documentário. Desde aí foi arrecadando prémios por onde tem passado: Prémio Audiência para Documentário no Slamdance Film Festival, Prémio Audiência e Melhor Cinematografia no Loudoun Arts Film Festival, Prémio do Júri para Melhor Documentário no Naples International Film Festival, e Melhor Documentário nos DeadCenter Film Festival, no Sunscreen Film Festival e no Franklin International Independent Film Festival. Para além dos prémios em festivais, Bastards’ Road tem sido muito bem recebido e apoiado pelo United States Department of Veterans Affairs, que revê no documentário muitos dos problemas que a comunidade de veteranos tem que lidar diariamente e suporta os temas de esperança e resiliência transmitidos pelo filme. Com os cinemas fechados Bastards’ Road terá a sua estreia em plataformas digitais em Maio de 2021 nos EUA e tem uma estreia internacional planeada ao longo deste ano.

Nobody comes unscathed

Bastards’ Road funciona bem a diversos níveis. Não só pelo tema já por si apelativo, mas porque através da viagem e duma confissão sincera e crua de Jonathan Hancock consegue destapar e examinar os bastidores da vida militar após o regresso a casa. Somos confrontados com números enormes de taxa de suicídio (mais de 60.000 veteranos tiraram a própria vida entre 2008-2017 nos EUA), com um diagnóstico generalizado de PTSD (transtorno de stress pós-traumático), excessiva medicação, falta de apoio psicológico profissional, alcoolismo. Os danos provocados à família e aos amigos e, muitas vezes a linha que segura tudo isto são os laços de fraternidade criada entre os militares, são explorados a uma luz muito pessoal. Como registo fotovideográfico Bastards’ Road é uma experiência tocante, real e inesquecível, com paisagens deslumbrantes, relatos e emoções vivas, tudo isto acompanhado com uma envolvente banda-sonora. O ponto onde o documentário nos deixa mais apreensivos prende-se com uma linha narrativa quebrada, que nos remove a ligação completa na viagem de Jon, para que o possamos acompanhar do início ao fim.

Bastards’ Road é uma viagem, uma experiência e uma reportagem que nos levará ao fundo das consequências da guerra, mostrando-nos que existe esperança quando não se escolhe o isolamento. Aliadas a uma história incrível, a excelente cinematografia e banda-sonora mostram porque Bastards’ Road é um dos melhores documentários do ano.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Bastards’ Road

Realização: Brian Morrison

Duração: 98 minutos

Trailer | Bastards’ Road

Comments