Mini-Reviews TV TV

The Falcon and the Winter Soldier – Series Finale – 1ª Temporada

The Falcon and the Winter Soldier series finale

PODE CONTER SPOILERS DE THE FALCON AND THE WINTER SOLDIER!!!

No início do ano, o Universo Cinematográfico da Marvel finalmente chegou às nossas televisões e outras plataformas aquando da aguardada estreia de WandaVision. Dada a sua calorosa receção por parte da crítica e dos fãs, seria mais do que óbvios que os olhos e ouvidos estariam em alerta máximo quando chegasse a próxima aventura da Marvel em formato episódico. E nem foi preciso esperar tanto tempo, uma vez que, duas semanas depois, o mundo testemunhou a estreia do muito aguardado The Falcon and the Winter Soldier, também esta uma série da marca Disney+!

Tal como WandaVision, The Falcon and the Winter Soldier arranca alguns meses depois dos eventos de Avengers Endgame, com Sam (Anthony Mackie) a retomar a sua vida ao executar alguns trabalhos para a Força Aérea ao mesmo tempo que tenta salvar o negócio da família. Ao mesmo tempo, Bucky (Sebastian Stan) tenta ajustar à sua nova vida civil enquanto tenta encontrar maneiras de se redimir dos seus atos enquanto desempenhava o papel de Soldado do Inverno. Os seus mundos entram numa rota de colisão quando ambos decidem fazer frente aos Flag Smashers, um grupo radical liderado por Karli Morgenthau (Erin Kellyman) que pretende trazer o mundo de volta ao status quo antes do Blip. Como se isso não bastasse, Sam e Bucky têm de lidar ainda com John Walker (Wyatt Russell), o homem eleito pelo governo norte-americano para suceder a Steve Rogers como Capitão América. 

The Falcon and the Winter Soldier series finale

O MELHOR:

Apesar de não ser completamente original em comparação com WandaVisionThe Falcon and the Winter Soldier tem algo importante para contar durante o decorrer de seis episódios. 

Enquanto a primeira serviu de ensaio sobre o luto de uma pessoa amada, esta centra-se num aspeto importante das nossas vidas: o legado. E é esse o tema central da série. Embora não esteja presente, é possível sentir-se o peso do legado que Steve Rogers deixou para trás, e a série permite-nos acompanhar alguns conflitos internos de algumas personagens em relação ao estatuto de Capitão América. 

No entanto, nas mãos de Malcolm Spellman – que serve de showrunner da série – The Falcon and the Winter Soldier acaba por ir ainda mais longe nesta missão inicial. De facto, a série aborda uma míriade de temáticas que, mesmo hoje em dia, causam uma enorme ressonância. Desde as medidas anti-imigração até à inclusão de stress pós-traumático, passando ainda pela posição de um homem ou mulher de cor numa sociedade injusta, e atirando ainda um segmento que ilustra o tratamento desumano que alguns veteranos de guerra sofrem depois de imensos sacrifícios pelo seu país, chega-se à conclusão que a série inclui alguns temas sensíveis que estão bem escondidos por detrás das várias sequências de ação que nos tem sido fornecidas desde o princípio ao fim. 

The Falcon and the Winter Soldier series finale

WandaVision tirou um enorme proveito ao colocar as personagens Wanda e Vision, que anteriormente eram consideradas secundárias no grande ecrã, no centro das atenções, e os resultados estão mais do que à vista. The Falcon and the Winter Soldier não é exceção, com Mackie Stan a terem a sua dose de atenção e desenvolvimento. Stan consegue safar-se ao retratar o seu Bucky com um conflito interno em relação ao seu passado sangrento, mas é Mackie que pode ser visto como o claro protagonista da história, trazendo consigo uma veia mais dramática, ainda que mantenha o seu carisma e humor magnéticos quando a necessidade assim o pede. Vemos, em primeira mão, o seu conflito interno enquanto homem de cor no possível papel de Capitão América, e os passos que ele dá tornam-se bastante convincentes, tornando o pay-off mais do que merecido. 

Além destes dois, a série resgata ainda Daniel BrühlEmily VanCamp como Helmut Zemo e Sharon Carter, respetivamente. Enquanto a última tenha alguns momentos de verdadeiro mistério – além de um ponto de vista que pode ser visto como credível – Brühl sai a ganhar nesta “segunda vida”, não só corrigindo esta versão do personagem para se assemelhar ao que fora visto nas bandas desenhadas, mas também por imbuir alguns momentos de humor surpreendente, além de servir a função de loose cannon, sem sabendo quais serão as suas verdadeiras intenções. 

The Falcon and the Winter Soldier series finale

Sendo esta uma série, seria de esperar que algumas caras novas fossem aparecendo e que tivessem uma maior influência na história. Enquanto tenha bastantes reservas aquando de Kellyman e da sua Morgenthau, é preciso falar sobre John Walker. Este depressa assume uma postura arrogante que o tornam mais fácil de odiar, além de protagonizar um dos momentos mais chocantes da série. E é por isso que Wyatt Russell merece todo o apreço possível, ainda que o seu trajeto no final se torne um tanto ou quanto abrupto e qualquer tipo de build-up previamente estabelecido. 

Mas existe uma personagem “inédita” na série que merece o destaque nesta crítica, apesar do seu tempo de antena reduzido: Isaiah Bradley. Apesar de as suas cenas serem um tanto ou quanto curtas, Carl Lumbly aproveita cada oportunidade possível para trazer um sensação de tragédia e fúria aquando do passado traumatizante do seu personagem. Não só serve de paralelismo com o tratamento das pessoas de cor e dos veteranos de guerra, mas também servem de motivação para Sam repensar a sua abordagem daquele ponto em diante. 

The Falcon and the Winter Soldier series finale

O PIOR:

Apesar de algumas boas ideias e uma execução impressionante, The Falcon and the WInter Soldier não é completamente imune de problemas. 

Esta série deu para conhecermos um pouco mais da vida pessoal de Sam e Bucky fora das suas identidades super-heróicas, o que permitiu conhecer toda uma panóplias de pessoas. Infelizmente, fica a ideia que a série podia ter feito mais com elas. 

Outro ponto menos positivo reside, precisamente, no seu episódio final. Não se pode negar que teve direito a alguns bons momentos, mas parece que se dedicou a encerrar algumas linhas de forma a suscitar interesse para novo material narrativo daquele ponto em diante do que conceder surpresas genuínas que fomentassem a um diálogo. 

Mas entre as desilusões a nível narrativo, a maior delas é precisamente Karli Morgenthau. Inicialmente, a personagem tomou uma abordagem “bruta”, mas com alguns indícios de complexidade que a pudessem colocar ao lado de antagonistas igualmente complexos dentro do UCM. Infelizmente, esta acaba por regredir o progresso perto do final da série, tornando-a mais uma vilã básica do que a personagem importante que o início da série dava a entender. 

The Falcon and the Winter Soldier series finale

Ainda que tenha esses defeitos, The Falcon and the Winter Soldier tem motivos mais do que suficientes para merecer a nossa atenção. Possui sequências de ação soberbas, um trabalho cuidado no desenvolvimento das suas personagens (principalmente com Anthony Mackie) e alguns temas socialmente relevantes que não foram explorados como deve ser no UCM

Todos os episódios da série já estão disponíveis na Disney+. Apesar de alguns rumores que apontam para uma potencial segunda temporada, tal poderá não acontecer tão cedo. Felizmente, Loki é a próxima série a estrear, com data marcada para 11 de Junho em todo o mundo. E de acordo com alguns rumores, existe a possibilidade de Anthony Mackie regressar ao grande ecrã com Malcolm Spellman de regresso como guionista. Mas, para todos os efeitos e circunstâncias, The Falcon and the WInter Soldier termina aqui.

Podem ler outras Mini-Reviews aqui

Estado da série: TERMINADA

0 74 100 1
74%
Average Rating

Apesar de conter alguns defeitos bastante aparentes, The Falcon and the Winter Soldier é uma boa adição ao Universo Cinematográfico da Marvel, combinando a ação e o aspeto políticos dos filmes do Capitão América com temáticas relevantes para os dias de hoje, além de conceder o devido destaque a mais duas personagens dos filmes com potencial para mais.

  • 74%

Comments