Cinema Críticas

Crítica: Stowaway (2021)

Stowaway Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE STOWAWAY!!!

Em anos, o género da ficção científica tem sofrido uma mudança diferente do habitual, tomando uma maior aposta no conceito de sobrevivência num ambiente inóspito com o mínimo de recursos possíveis. É um subgénero que tem vindo a fazer furor em anos recentes e com alguns resultados deveras surpreendentes (The Martian é um dos melhores exemplos). Stowaway, o filme que marca o regresso do realizador Joe Penna após Arctic, é um exemplo disso.

O filme centra-se numa tripulação de três astronautas que embarca numa missão de dois anos até a uma colónia espacial em Marte. No entanto, pouco após a descolagem, estes deparam-se com um quarto passageiro. Com os sistemas de suporte de vida em risco, os tripulantes terão de encontrar maneiras de prolongar a sua própria sobrevivência, antes de tomarem ações mais drásticas.

Stowaway Crítica de Cinema

Contra todas as expectativas imagináveis, Stowaway revela-se como uma das surpresas mais agradáveis que a Netflix pôde ter apresentado mais recentemente. Fruto de uma nova colaboração entre Penna e Ryan Morrisono filme apresenta-nos um conceito simples, mas que depressa engloba um número de ramificações que coloca os seus personagens à prova de uma forma constante. A melhor forma de descrever esta narrativa, em específico, reside na forma minimalista e de lenta digestão como nos atira para o centro das atenções. O que poderia ser uma missão rotineira acaba por se tornar numa luta pela sobrevivência, além de um comentário relevante sobre a natureza da ética, o que pode muito bem servir como uma lição de uma aula de Filosofia. Com uma missão promissora em risco de acabar em desastre, é aceite sacrificar uma vida? Ou luta-se até às últimas consequências e esperar pelo melhor? São questões que perduram desde o princípio ao fim deste filme, ainda que apresente algumas gralhas na narrativa que, à luz de uma realidade mais contemporânea, não possuem uma espécie de senso comum. Já para não falar do seu ato final que certamente despertará uma certa controvérsia.

Num campo mais técnico, Stowaway é maravilhoso. Com a quase totalidade da ação a decorrer no interior do vaivém, existe uma espécie de intimidade com os seus tripulantes, além de contribuir para uma maior sensação de claustrofobia. E este é o ponto de partida para alguns dos efeitos visuais bastante convincentes que o filme proporciona, seja pela forma como a Terra se torna mais distante com o passar do tempo ou como alguns fenómenos espaciais são demonstrados aqui. Há que mencionar o contributo de Volker Bertelmann na banda sonora: embora não seja de todo impressionante ou épico, há que saudar o impacto que os seus tons mais melódicos conseguem causar nos momentos mais importantes, quer sejam mais “leves” ou mais tensos.

Stowaway Crítica de Cinema

Outro ponto que o filme possui a seu favor reside no seu elenco que, embora reduzido em escala, compensa bastante na forma como cada um se entrega nos seus papéis. Existe o caso de Anna Kendrick que, apesar de possuir uma postura mais leve, também revela a sua determinação quando a oportunidade certa surge. Toni Collette não faz um maior recurso ao over-acting que tem vindo a demonstrar recentemente, mas compensa com alguns toques subtis que demonstram o seu conflito interno em relação aos eventos que atravessa e o peso que as suas escolhas acarretam. Daniel Dae Kim possui também uma postura afável, ainda que possua uma espécie de “calma” que consegue confundir com insensibilidade. Shamier Anderson recebeu aqui um desafio maior, uma vez que possui uma maior experiência no pequeno ecrã em séries como Wynonna Earp ou Goliathmas acaba também ele por surpreender pela positiva, de uma forma um tanto ou quanto geral.

Em suma, Stowaway é uma experiência cinematográfica que merece ser vista. Ainda que tenha alguns problemas a nível narrativo, estes não denigrem por completo o que o filme tem para oferecer: uma história de sobrevivência em que um passo mal dado pode ditar a vida dos tripulantes. É ambicioso na sua abordagem visual, e conta com um quarteto de atores (relativamente) conhecidos com performances convincentes.

Podem ler outras Críticas aqui

Título: Passageiro Acidental

Título Original: Stowaway

Realização: Joe Penna

Elenco: Anna Kendrick, Daniel Dae Kim, Toni Collette, Shamier Anderson

Duração: 116 minutos

Trailer | Stowaway

Comments