Mini-Reviews TV TV

Leonardo – Season Finale – 1ª Temporada

Leonardo Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE LEONARDO!

As séries baseadas na História da humanidade têm uma apresentação distinta, e as dificuldades de conseguirem apelar a um público vasto são imensas. Por um lado, o público gosta de uma abordagem mais “aproximada” da realidade, num registo que engloba um envolvimento de entretenimento maior como Narcos ou The Crown, que absorvem aspetos verídicos e lhes dão um toque de ficção em prole dos efeitos dramáticos que provocam no espectador; outros, utilizam uma figura histórica para desenvolver um enredo completamente distinto daquilo que é conhecido pelos historiadores, e atribuem características às personagens muito próprias para garantir que o enredo não pareça completamente descabido para o público.

Leonardo, a nova série italiana numa coprodução entre vários países, pega em Leonardo Da Vinci e tenta inserir-se no meio destas duas distintas categorias do drama histórico em televisão. Aqui, Da Vinci é preso pelo suposto homicídio da sua amiga de longa data Caterina de Cremona, sendo questionado pelo investigador Stefano Giraldi (um Freddie Highmore muito diferente do que estamos habituados a ver em ecrã), que força Da Vinci a recordar os momentos anteriores da sua vida que conduziram à morte desta figura icónica na vida do artista mais famoso do mundo. Ao repensar em todo o caminho que o conduziu até esta situação atípica, Leonardo recorda os muitos intervenientes da sua vida, e todo o percurso que o levou a tornar-se no célebre pintor e o que o inspirou a elaborar as suas obras mais famosas. No entanto, alguém da sua vida traiu a sua confiança, mas quem será?

Leonardo Season Finale

O MELHOR:

Leonardo encontra em Aidan Turner, depois do sucesso em Poldark, um conforto extremamente eficaz na criação da sua personagem principal.

O ator consegue ser muito carismático, ainda que a narrativa seja algo estranha e dispare para muitos lados. O elenco, liderado por Turner, inclui ainda Matilda De Angelis (que pudemos ver na recente aposta da HBO, The Undoing, ao lado de Nicole Kidman e Hugh Grant), Highmore, e James D’Arcy, acaba por ser competente na maioria dos seus momentos-chave, mas não é suficiente para salvar Leonardo de ser uma série que necessitava de um pedaço de realidade histórica mais palpável, e de um orçamento maior para impedir que o espectador tenha uma ideia artificial dos cenários que recuperam uma Itália em construção no século XVI.

Escrita por Frank Spotnitz, criador de The Man in the High Castle, e Steve Thompson, Leonardo é uma série que aposta num tratamento mais suavizado e utiliza Da Vinci como um herói social sem ter que se esforçar muito para o ser, numa altura em que a homossexualidade era vista como uma maldição. Pelo menos, os argumentistas souberam utilizar a sexualidade do artista de uma forma interessante, fazendo com que a série se distancie daquelas produções que preferem ocultar um facto e alterar para uma sociedade heteronormativa, mesmo que, segundo a História, Da Vinci fosse, na verdade, bissexual. Tal como Da Vinci’s Demons, a personagem de Leonardo acaba por ser objeto de transformações feitas para uma Hollywood moderna, ainda que a prestação de Turner ajude a criarmos uma ligação forte com a mesma, fazendo com que estejamos a torcer por ele desde o início. Para além disto, Leonardo acaba por ser uma série que consegue minimamente desenvolver as personagens secundárias de forma gradual, ainda que prefira ocultar muitos aspetos em prol de entretenimento fácil e que acaba por reduzir a série a algo muito pouco substancial.

Entre um grafismo débil pela falta de orçamento e cenários que se notam serem completamente artificiais, Leonardo acaba por conseguir elevar-se da mediocridade por possuir um elenco que agarra com firmeza as personagens, mesmo que o argumento não faça jus ao seu trabalho.

Leonardo Season Finale

O PIOR:

O enredo acaba por suavizar muitas das experiências de Leonardo e tenta dar-lhe um toque muito pouco vincado na componente histórica real.

A deturpação de factos pode ser algo extremamente aprazível em termos de efeitos dramáticos, mas em Leonardo não há um clique com esta questão. E muito se deve à tentativa de incluir esta figura histórica em cenários que funcionam mais como uma manipulação direta da personagem em contextos diferentes dos factos, para tornar a série apelativa às massas, do que procurarem uma abordagem mais linear e mais vincada nos valores (e feitos) mais importantes deste icónico artista. Apesar de entreter bastante, Leonardo afoga-se num pretensiosismo hollywoodesco que é demasiado óbvio e que remove com a seriedade com que encaramos a sua temática. Os acontecimentos parecem plásticos, as relações entre personagens muito forçadas e, pior do que isso, o enredo criminal acaba por ser um objeto óbvio de criar uma adrenalina fictícia que não consegue alcançar a ambição que pretende.

Tudo isto aliado a uma composição visual pouco credível, Leonardo acaba por ser mais um objeto de uma procura desenfreada de monopolizar uma personagem histórica sem o trabalho de tentar aproximar-se da história real do mesmo, continuando o legado de Hollywood em idealizar mais do que seguir alguma veracidade. Ainda assim, tem alguns aspetos importantes e, pelo menos, não tem receio em abordar o aspeto sexual do artista e de dar, por vezes, uns twists interessantes ao seu processo criativo e que o levou a criar as obras mais icónicas que, ainda hoje, nos inspiram.

Only art can take the pain an suffering of our lives and turn it into beauty.

Leonardo Season Finale

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 64 100 1
64%
Average Rating

Leonardo tem um protagonista muito carismático e uma abordagem pessoal do mesmo interessante, mas acaba por se afastar muito da História real do artista mais famoso do mundo, e o enredo criminal acaba por não conseguir ajudar a tornar os eventos mais apelativos, revelando uma monopolização (ainda muito presente) das figuras históricas em Hollywood.

  • 64%

Comments