Mini-Reviews TV TV

This is a Robbery: The World’s Greatest Art Heist – Series Finale – 1ª Temporada

This is a Robbery Series Finale

CONTÉM SPOILERS DE THIS IS A ROBBERY: THE WORLD’S GREATEST ART HEIST!

A Netflix tem apostado no true crime de forma incrível, trazendo quase todos os meses, histórias reais complexas, fascinantes e, ao mesmo tempo, devastadoras. Num registo mais leve, eis que nos chega This is a Robbery: The World’s Greatest Art Heist, que nos remete para um dos maiores furtos e obras de arte da História dos EUA. Na noite de 18 de Março de 1990, dois homens disfarçados de polícias entram no Museu Isabella Stewart Gardner e roubam peças de arte valiosas de Rembrandt, Matisse, entre outros. Os anos vão passando e a lista dos suspeitos parece aumentar significativamente, sendo que este é dos mais complexos e bizarros golpes contemporâneos de furto premeditado.

This is a Robbery Series Finale

O MELHOR:

Para os fãs de true crime, This is a Robbery: The World’s Greatest Art Heist é um “bico d’obra”.

É uma peça curta, com quatro episódios, que nos leva por uma viagem atribulada e não muito consistente sobre o que realmente aconteceu naquela noite fatídica. Se, por um lado pode agradar a muitos, por outro irá desagradar de imediato a outros, já que o tom da minissérie não é denso nem dramático, optando muitas vezes por adquirir uma postura jocosa na exposição dos intervenientes e nunca levando a sério a gravidade da sua situação. Numa nota pessoal, penso que este será o traço que faz com que This is a Robbery seja bem mais aprazível do que se seguisse a fórmula normal do género. Embora as inconsistências sejam abundantes, este exercício de televisão de Colin Barnicle entretém o suficiente para nos deixar divertidos durante umas breves horas, ainda que isso não seja suficiente para o elevar.

Um dos aspetos interessantes é que, para além de ir a fundo nalgumas questões interessantes por parte dos investigadores, também nos reforça a ideia do quão preciosa é a arte e o quanto estes artistas centenários se tornaram figuras icónicas e revolucionaram os conceitos da pintura e da incontestável marca que faz com que seja difícil a criação de cópias destas mesmas obras. Mas tudo isto, para além de uns intervenientes sugestivamente cómicos, não é suficiente para salvar esta “salgalhada” pouco coerente da mediocridade.

This is a Robbery Series Finale

O PIOR:

This is a Robbery é um produto feito algo à pressa e sem uma base forte para nos deixar totalmente conscientes da dimensão do seu problema.

Enquanto o tom irónico da minissérie ajuda a divertir-nos, por outro, acaba por deixar o público um pouco à deriva quanto ao seu foco de gravidade. Para além disso, dispersa-se muito naquilo que é um jogo de gato e rato muito pouco substancial e fundamentado, já que se torna frustrante chegar ao final e não se obter conclusão de nada. O trabalho de Barnicle acaba por recompensar ligeiramente quando vai variando de cenários, mas a mudança constante de focos especulativos acabam por fatigar rapidamente e revela um tom mais amador que, de facto, não devia ter. Ainda assim, algumas passagens acabam por nos aliciar, ainda que nunca cheguem a um resultado palpável.

A sensação que This is a Robbery transmite, no seu todo, ao público, é que foi feito exclusivamente para preencher uma brecha no catálogo da Netflix e que a pressa em querer entregar o produto final acaba por comprometer o quanto necessário ele é, por muito divertido que seja. Com algumas personagens caricatas, mas muito trabalho especulativo e sem grande fundamento, This is a Robbery é entretenimento básico que não é estruturalmente forte o suficiente para marcar pela diferença, e é um tipo de true crime que está mais preocupado em vender do que a obter um resultado prático e credível.

This is a Robbery Series Finale

Estado da Série: TERMINADA

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 55 100 1
55%
Average Rating

This is a Robbery é um exercício de true crime que é muito instável na sua composição, saltitando de focos demasiado rápido para nos deixar verdadeiramente confiantes na informação que nos é transmitida, por muito engraçados que os intervenientes sejam ao longo dos episódios.

  • 55%

Comments