Cinema Críticas

Crítica: Colectiv (2019)

Colectiv Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE COLECTIV!

Em novembro de 2015, um incêndio repentino num local de espetáculos em Bucareste, na Roménia, devido a uma falha de funcionamento do fogo de artifício dum concerto da banda de metal Goodbye to Gravity, provocou a morte de 26 pessoas no local, enquanto que 38 foram levadas de urgência para hospitais da cidade e redondezas. No entanto, muitos destes sobreviventes acabaram por perecer nesses mesmos hospitais, não pelas queimaduras em questão, mas pela má gestão e regulamentação desses mesmos hospitais. O realizador Alexander Nanau desvenda toda uma conspiração assustadora e desmascara um governo corrupto com auxílio de uma equipa de jornalistas de investigação do jornal Gazeta Sporturilor.

Colectiv Critica de Cinema

Colectiv é um filme supremo. Um filme que conta já com duas nomeações para os Óscares da Academia e que é um ato corajoso de exposição, cuidadosamente montado e com uma mensagem extraordinariamente assustadora e relevante. É absolutamente admirável como Nanau consegue nunca perder o foco nem dispersar daquilo que pretende defender e transmitir. Colectiv age como uma ode ao cinema documental de investigação, fazendo com que o espectador tenha uma visão ampla das dificuldades de um país em combater o governo que descaradamente menospreza os seus cidadãos e conduz a uma quebra de confiança por parte dos mesmos. O sistema de saúde romeno é apenas um de muitos que ainda vive desta corrupção e a coragem da equipa de jornalistas é absolutamente vertiginosa. Há aqui mágoa, sentimento, uma ânsia em retaliar contra anos e anos de opressão e maus-tratos, negligência e dor.

A verdade é que Colectiv não irá ser um filme que terá elementos de entretenimento básicos, porque o seu objetivo não é esse. A arte documental vai para além de algo que serve meramente como prazer momentâneo. A sua coragem e autenticidade em refletir sobre os seres humanos e a sua complexa sociedade, faz com que este seja um tipo de cinema interventivo que é cru, doloroso e, ao mesmo tempo, chocante. As imagens de Colectiv exprimem uma ânsia em querer começar a combater os organismos que oprimem aqueles que tentam levar uma vida honesta e que, ainda assim, são esquecidos e maltratados pelas entidades que os deviam salvar e proteger. Num registo linear fabuloso, calculadamente montado e com imagens de quebrar o coração em mil pedaços, Colectiv é uma força magnética que nos prende e nos faz refletir sobre a importância da verdade e de começar-se a avaliar os governos que se continuam a reger pela corrupção e onde o dinheiro continua a ditar o sofrimento e destino da nossa espécie.

Colectiv Critica de Cinema

Isto é cinema puro e duro. Um registo inesquecível que demonstra coragem, dedicação e determinação em não divergir do que é importante ilustrar. É quase como se Colectiv fosse uma expressão visual de “sem papas na língua”, onde jornalistas corajosos decidem elucidar a sociedade que está alheia a isto, para que comecem a tomar decisões mais sensatas e lutar contra um sistema que se preocupa mais com os bolsos cheios do que com a saúde da população. É já um dos melhores filmes de sempre e um que merece ser visto e saboreado (ainda que com sequências dolorosas) para que abra portas a todo um tipo novo de cinema interventivo que, em vez de especulações, se apoia em factos.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Coletiv

Título Original: Coletivo

Realização: Alexander Nanau

Duração: 109 min.

Trailer | Colectiv

Comments