Cinema Críticas

Crítica: Every Breath You Take (2021)

Every Breath You Take Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE EVERY BREATH YOU TAKE!

Hollywood é um meio muito competitivo e, por vezes, há certos filmes que, de facto, poderão ter mais impacto com a sua saída direta para video-on-demand do que propriamente nas salas de cinema. Every Breath You Take é um thriller realizado por Vaughn Stein e tem no seu elenco Casey Affleck, Sam Claflin e Michelle Monaghan, baseando-se numa premissa que poderia ter ido muito mais além do que apenas demonizar quem sofre de doenças mentais. Philip é um psiquiatra bem sucedido que recebe a notícia que a sua paciente Daphne cometeu suicídio. Não muito tempo depois, o irmão da mesma começa a invadir o espaço pessoal do psiquiatra, começando a mexer com as dinâmicas familiares do mesmo.

Every Breath You Take Critica de Cinema

Every Breath You Take é um thriller de difícil digestão. Tem algumas componentes interessantes, que o realçam de certa forma, mas tem uma abordagem extremamente pobre de algumas questões que poderiam ter mais substância. As prestações, no seu geral, são excelentes, com especial destaque para Claflin que continua a crescer como ator e a escolher papéis diversificados; e Affleck encontra precisamente um papel em que a sua atitude melancólica assenta na perfeição (ainda que, numa nota pessoal, continue a não ser fã do mesmo). No entanto, a narrativa de Every Breath You Take é focada no exagero e distorce algumas componentes que deviam ser tratadas com outro tipo de abordagem. A doença mental, como todos nós sabemos, é algo que não deve ser levado como algo linear, muito menos ser utilizada como veículo para incitar “terror” nas vidas de pessoas aparentemente saudáveis. Mesmo que seja usado como pretexto para entregar um thriller minimamente atraente, a sua exploração é feita de forma baça e sem grande estudo, apoiando-se em twists “para massas” que ignoram o significado e o tratamento das mesmas, contribuindo para um filme algo básico e pouco eficaz.

A evolução de Every Breath You Take acaba por ser linear e pouco envolvente, apoiando-se no seu elenco talentoso, mas discriminando a sua vertente mais educativa. A verdade é que em termos de psiquiatria, o filme é extremamente superficial, e mesmo que alguns twists sejam bem aplicados aqui ou acolá, paira uma sensação de menosprezo perante a sua temática principal. É um filme que certamente encaixa bem, em termos de evolução da ação em si, num domingo à tarde, e tinha um potencial que, se fosse bem encaminhado, poderia atingir um nível de qualidade muito superior. Mas sem uma realização estável e um argumento que prefere focar-se em entretenimento básico e não explorar os seus atributos, acaba por assentar numa ideia de “cinema preguiçoso”, reduzindo-se a si mesmo a algo sem grande estímulo.

Every Breath You Take Critica de Cinema

Embora sejamos forçados a dar o devido mérito aos atores que nele participam, Every Breath You Take acaba por desperdiçar o tempo dos demais (e, por conseguinte, do espectador) que agindo apenas como uma desculpa de que é a doença mental que força as pessoas a cometer atos atrozes sem justificação plausível. Embora entretenha, o filme tinha obrigatoriedade de não ser linear e de não tornar algo tão delicado como veículo de angariar espectadores por fins puramente lucrativos. Baço e sem grande criatividade, ainda que nos mantenha minimamente atentos durante toda a sua duração, Every Breath You Take é um filme frustrante e que, infelizmente, não consegue tornar-se credível com a sua história.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: A Cada Suspiro Teu

Título Original: Every Breath You Take

Realização: Vaughn Stein

Elenco: Casey Affleck, Michelle Monaghan, Sam Claflin, Veronica Ferres, India Eisley, Emily Alyn Lind.

Duração: 105 min.

Trailer | Every Breath You Take

Comments