Cinema Críticas

Crítica: Concrete Cowboy (2020)

Concrete Cowboy Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE CONCRETE COWBOY!!!

A atual pandemia afetou todos os tipos de negócios pelo mundo inteiro. A área do entretenimento foi um dos mais afetados, especialmente as salas de cinemas, que se viram forçadas a fechar as portas e a encontrar outras vias de distribuição, como video on demand ou serviços de streamingConcrete Cowboy é um desses casos, acabando por ter sido adquirido pela Netflix para ser distribuído a nível mundial.

Cole é um adolescente de Detroit com uma vida bastante complicada, ao ponto de se meter em sarilhos atrás de sarilhos. Sem outra opção, a sua mãe envia-o para Filadélfia passar o verão com o seu pai distante, Harp. E é aqui que Cole dá de caras com um estilo de vida que nunca tinha visto: a ideia de cowboys urbanos.

Concrete Cowboy Crítica de Cinema

Verdade seja dita, a ideia da existência de cowboys dos clássicos do Western em plena era moderna e localizados nas metrópoles mais conhecidas pode até ser uma ideia que só poderia ser inventada, no sentido de ser um conceito que raramente é exposto pelas redes sociais ou mesmo em artigos jornalísticos. No entanto, este é um conceito bastante real, tomando base num grupo verídico de cowboys urbanos, os Fletcher Street Urban Riding Club. Numa forma simples, este grupo é composto por indivíduo afro-americanos que mantém a tradição de equitação e cuidado dos cavalos em plena cidade de Filadélfia. É um conceito que nunca tinha sido visto antes, e por seu benefício, Concrete Cowboy cumpre com o seu dever de conceder uma luz a uma subcultura americana que, para o público espalhado pelo mundo fora, é praticamente uma novidade!

É uma pena que a abordagem a esta subcultura até à data desconhecida por muitos seja feita através de uma narrativa genérica. Não quer dizer que não tenha alguma coisa para partilhar – são feitas menções a questões socialmente relevantes tais como a gentrificação ou a apropriação de costumes por pessoas de etnias diferentes, por exemplo – mas o filme certamente sairia a ganhar se mostrar como essas questões afetam o dia-a-dia destes cavaleiros, que batalham para conseguirem sobreviver com dignidade, em vez de estas questões serem relegadas para uma ou duas linhas de diálogo. Porque fora isso, Concrete Cowboy é mais uma daquelas histórias coming-of-age em que um/a adolescente tenta lidar e viver com um ente afastado, juntamente com alguns clichés aqui e acolá.

Concrete Cowboy Crítica de Cinema

Com a narrativa do filme revelando-se como um dos elementos mais fracos do filme – e que possui alguns aspetos poderiam ter sido melhor aprofundados – as suas esperanças residiam no elenco que tem ao seu dispor. É caso para dizer que todos os olhos estavam postos em Idris Elba e Caleb McLaughlin, e ambos conseguem carregar o filme nos seus ombros. Elba interpreta Harp como um homem duro e casmurro, mas há momentos em que deixa transparecer algumas das suas vulnerabilidades. Mas é claro que a surpresa reside em McLaughlin, que surpreende como um adolescente à beira de uma explosão de raiva e que depressa se vai embrenhando neste estilo de vida bizarro. O filme conta ainda com algumas caras conhecidas como Lorraine Toussaint, Jharrell Jerome ou Method Man em papéis de relativo relevo, mas não possuem o mesmo peso emocional que o duo protagonista exibe. Jerome podia ser uma exceção, mas o seu arco, por causa da narrativa vaga, acaba por sair prejudicado. De mencionar que, de uma forma interessante, alguns dos cowboys reais do grupo dão aqui o ar de sua graça, concedendo alguma autenticidade em tentar capturar a essência destes cowboys urbanos de Filadélfia.

Os aspetos técnicos cumprem com as suas funções, especialmente quando damos o salto para Fletcher Street, e há momentos em que a fotografia é absolutamente majestosa. Cumpre com o seu dever, mas fica a ideia que tem aspetos de edição que precisa de melhorar. Por outras palavras, está competente, mas tirando uma exceção ou outra, não surpreende tanto quanto o esperado.

Com isto tudo, resta concluir que Concrete Cowboy é um daqueles filmes típicos de serão em família. Não impressiona a nível da escrita, e mesmo o aspeto técnico precisava de algumas melhorias. Ainda assim, o filme é suportado por duas performances competentes de Idris Elba Caleb McLaughlin, já para não falar de abordar uma subcultura que possui material suficiente para um documentário poderoso.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: O Cowboy do Asfalto

Título Original: Concrete Cowboy

Realização: Ricky Staub

Elenco: Idris Elba, Caleb McLaughlin, Lorraine Toussaint, Jharrel Jerome, Method Man, Ivannah-Mercedes, Jamil Prattis

Duração: 111 minutos

Trailer | Concrete Cowboy

Comments