Anime TV

DOTA: Dragon’s Blood – Season Finale – 1ª Temporada

DOTA Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE DOTA: DRAGON’S BLOOD!

Ao longo destes últimos anos, a Netflix tem apostado em versões equiparadas ao anime japonês, mas com produção norte-americana. Muitas vezes, há parcerias com os estúdios do Japão para trazer novas histórias e explorar novos mundos. Depois do sucesso de Castlevania, é a vez de DOTA: Dragon’s Blood ser adaptado para uma série deste género, depois do fiasco recente de Dragon’s Dogma. A verdade é que DOTA: Dragon’s Blood é uma série que procura unir um pouco o “melhor dos dois mundos” de ambos os registos anteriores, mas falha redondamente em conseguir cativar com a sua história demasiado dispersa e personagens pouco carismáticas. Davion é um caçador de dragões que se embrulha inesperadamente numa situações onde decide defender um dragão de nome Slyrak, acabando por se tornar no hospedeiro do espírito deste mesmo dragão aquando da sua morte. Sem memória do sucedido, Davion junta-se a uma princesa, de nome Mirana, e juntos pretendem unir os povos deste reino fantástico enquanto são perseguidos por diversos perigos.

DOTA Season Finale

O MELHOR:

DOTA: Dragon’s Blood é um registo que suscita curiosidade devido ao meio em que se insere.

O worldbuilding, embora extremamente débil na sua composição na série, acaba por incluir alguns elementos de interesse, juntando várias mitologias e personagens fantasiadas que revelam um novo mundo para explorar. Na linha dos grandes épicos de fantasia, DOTA: Dragon’s Blood procura entregar ao espectador uma versão diferente (em termos narrativos), mas visualmente aproximado de Castlevania, onde dragões, elfos e humanos colidem com crenças e costumes distintos. O resultado não é propriamente estável, mas algumas imagens da série estão bem conseguidas, e a diversificação de tons acaba por ser eye catching em alguns momentos. É também um trabalho que contém uma banda-sonora com alguns temas que trazem intensidade, tornando algumas das cenas mais palpitantes de ação envolventes.

DOTA Season Finale

O PIOR:

No entanto, DOTA: Dragon’s Blood é um exercício frustrante e desequilibrado em quase todos os aspetos principais.

Em termos técnicos, mesmo que algumas das imagens sejam belas, há um trabalho de montagem que remove a imersão do espectador, apressando o ritmo da série e tornando-a algo amadora na sua composição. Para além disso, os episódios acabam por não ser muito elucidativos em contextualizar as personagens e a cheesiness dos diálogos não assenta no tipo de história que pretende ilustrar. As personagens acabam por perder carisma por não serem claras nas suas motivações e os diálogos infantilizados não permitem agarrar a atenção do público por muito tempo. Outra questão problemática é o casting do elenco vocal, que parece não ter sido o melhor, já que as vozes parecem não encaixar nas personagens que estão a representar. Era também evitável o uso de palavrões que são colocados à pressão para dar um look mais moderno e cool que, mais uma vez, não assenta bem dentro da génese da temática.

DOTA Season Finale

A animação em si é também um pouco preguiçosa e restringe os movimentos das personagens, fazendo com que as sequências de ação por vezes pareçam muito mecanizadas ou robóticas. Ao misturar um 3D suave (mas facilmente identificável), DOTA: Dragon’s Blood acaba por perder charme e faz com que o público vá perdendo o interesse durante as sequências supostamente mais empolgantes. Mas o pior defeito da série reside mesmo na sua história pouco estruturada, já que pretende incluir demasiada informação e acaba por ter dificuldades em situar o espectador para o seu objetivo principal. A quantidade de personagens e linhas de enredo que se vão entrecruzando confundem mais do que elucidam, e sente-se uma ânsia em ter que haver ação constante só porque sim.

Mesmo que alguns fãs se identifiquem com a sua temática que, de facto, é interessante, DOTA: Dragon’s Blood cai um pouco no trágico insucesso de Dragon’s Dogma e torna-se um exercício que não encontra um local de conforto onde consiga estabilizar o seu enredo difuso. Ainda assim, é uma série que pode ainda mostrar algum potencial numa futura temporada, mas para isso, é necessário ser um pouco mais linear e menos ambiciosa. Talvez assim consiga ter tempo para aprender com outra série de temática semelhante, The Dragon Prince, também proveniente da Netflix, que acaba por ter um worldbuilding mais bem estruturado e personagens bem mais cativantes.

DOTA Season Finale

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews de Anime aqui.

0 53 100 1
53%
Average Rating

A nova série animada da Netflix, baseada num videojogo, tem algumas imagens interessantes e insere-se num meio fantasioso com muito potencial, mas é demasiado ambiciosa e perde-se na coerência com que expõe as suas personagens. Para além disso, tem problemas técnicos que removem a nossa atenção em muitos dos seus momentos-chave.

  • 53%

Comments