Mini-Reviews TV TV

American Gods – Season Finale – 3ª Temporada

American Gods Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE AMERICAN GODS!

A muito aguardada (ou não) terceira temporada de American Gods chegou ao fim. A série tem sido pouco nivelada em apresentar as suas ideias desde a rutura com o criador Bryan Fuller, que continha em si uma visão mais filosófica e atraente e que lhe dava um carisma próprio e refrescante. Depois de uma desilusão tremenda com a temporada anterior, American Gods recupera alguns dos elementos que lhe conferiam um charme característico, mesmo que ainda esteja muito dispersa em apresentar aquilo que pretende. Shadow tenta rejeitar os avanços de Wednesday para o ajudar a embarcar numa nova aventura, e Laura planeia a sua vingança contra o mesmo. A par disso, Wednesday precisa de se reencontrar com velhos conhecidos para o ajudarem na sua demanda e evitar que os deuses mitológicos desapareçam da existência.

American Gods Season Finale

O MELHOR:

Apesar de muito não estar ainda bem encaminhado, American Gods lá conseguiu recuperar elementos mais metafóricos e simbolismos interessantes que dão alguma substância a esta temporada.

A presença de algumas estrela em papéis secundários, nomeadamente Dominique Jackson, Blythe Danner e Iwan Rheon, acaba por alicia o espectador a manter-se investido nas novas ideias que vão palpitando nas mentes dos argumentistas, mesmo que estes se percam várias vezes em conseguir torná-las credíveis. A banda-sonora continua a ser um dos pontos mais positivos, e algumas imagens são belas e realçam o trabalho de realização, para além de Ian McShane continuar a ter uma prestação soberba.

Mas todo o resto perdeu garra, força e carisma ao longo do tempo e tornou American Gods uma série que o público já não consegue ter o mesmo entusiasmo.

American Gods Season Finale

O PIOR:

Para além de muitas personagens serem meramente ornamentais ou de não terem um desenvolvimento que justifique a sua presença na série, American Gods continua a manter um ritmo bizarro e a querer incluir demasiadas linhas de história, confundindo o espectador para aquilo que verdadeiramente quer ilustrar.

Sem Bryan Fuller, a série carece de uma filosofia mais forte e de reforçar os contrastes entre os deuses mitológicos e aqueles que são chamados os deuses modernos, como a tecnologia, média e por aí fora. Muitos deles estão sempre a aparecer sem um contexto aliciante, agindo como um mecanismo barato de chamar atores famosos para os interpretar, mas sem nunca dando um contexto que seja coeso ou relevante para o desenvolvimento da narrativa. Para além disso, a narrativa começa a tornar-se incomodativa quando se dispersa e nunca é clara no seu propósito, estando sempre a saltitar de linha em linha sem contextualizar o público. Mesmo que os visuais estejam novamente a aproximar-se da génese da temporada inicial, American Gods está a perder o seu carisma e continua a não ser consistente nas suas temáticas.

Visualmente apelativa, mas sem a mesma força metafórica das suas raízes, a série está a sofrer com as renovações constantes porque não consegue encontrar um local confortável o suficiente para fazer justiça às suas origens, e aos avanços que a história inevitavelmente precisa. É caso para dizer que American Gods está metida numa salgalhada em que os argumentistas não estão a saber lidar com o seu potencial e acabam por deixar-se levar pela fórmula típica de Hollywood e perdem o foco por quererem incutir muitas personagens sem fechar algumas pontas soltas da narrativa de momentos anteriores. Estando a perder este entusiasmo, American Gods pode continuar a tentar igualar o seu sucesso inicial, mas pelo que se tem acompanhado, dificilmente conseguirá lá chegar.

Numa época em que os desenvolvimentos deveriam ser já satisfatórios em conclusões, continuam a ser lançadas imensas perguntas não respondidas por cima de outras que os argumentistas pensam que os espectadores se esquecem. Assim, torna-se um exercício preguiçoso e feito para massas apenas para continuar a render e perde o seu espírito inicial e a sua mensagem relevante do quanto o ser humano cria novas religiões e crenças em torno de bens materiais e que substitui as crenças de outrora e a fé em divindades que fazem parte de diferentes culturas por todo o globo.

American Gods Season Finale

Estado da Série: STAND-BY

Leiam o nosso Frame by Frame anterior de American Gods aqui.

0 56 100 1

56%
Average Rating

American Gods termina a sua terceira temporada e, embora se esteja a tentar aproximar gradualmente das suas origens, continua a parecer muito dispersa e a incluir demasiadas linhas de história para se tornar coesa e aliciante.

  • 56%

Comments