Cinema Críticas

Crítica: Raya and the Last Dragon (2021)

Raya and the Last Dragon Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE RAYA AND THE LAST DRAGON!!!

Com a pandemia ainda em força, todas as salas de cinema viram-se forçadas a ficarem encerradas ao público, tirando-lhes oportunidades de verem verdadeiros espetáculos num ecrã gigante. Com este panorama, as várias distribuidoras viram-se obrigadas a pensar fora da caixa e lançar os seus filmes nos vários serviços de streaming existentes no mercado. A Disney+ não foi exceção, uma vez que, no ano passado, distribuiu o filme Mulan de forma antecipada, com um custo extra (devido à janela de lançamento, a versão portuguesa esquivou-se desse destino). E foi com essa abordagem em mente que a Disney decidiu lançar o seu mais recente filme de animação original depois de MoanaRaya and the Last Dragon

Neste filme, o reino de Kumandra encontra-se dividido em cinco fações, com o balanço num fio ténue. Numa tentativa de retificar as coisas e unir as fações, Raya, a filha do chefe de uma das fações, embarca numa jornada em busca do último dragão, travando amizades inesperadas e enfrentando vários obstáculos pelo caminho.

Raya and the Last Dragon Crítica de Cinema 0-min

Os filmes animados da Disney sempre foram caracterizados pela sua componente visual e estética, estabelecendo as suas próprias identidades e tornando-os, assim, distinguíveis entre si. Raya and the Last Dragon não é exceção a esta regra. Tomando inspiração na mitologia oriental, o mundo que este filme representa pode até ser fictício, mas não deixa de esconder a sua criatividade. Cada uma das fações – ou tribos, como preferirem – tem a sua escolha de arquitetura, guarda-roupa e maquilhagem, dando assim uma espécie de variedade neste mundo. Ajuda também que as criaturas aqui presentes também apresentem alguns traços desta inspiração, além de terem um design que lhes tornam catisças e adoráveis (vocês vão adorar o Tuk Tuk, trust us). James Newton Howardencarregue da banda sonora do filme, traz uma sensação épica bastante evidente com o desenrolar do filme, além de incuir algumas sonoridades orientais para ajudar na ideia da inclusão.

Infelizmente, a narrativa do filme deixa um tanto ou quanto a desejar. Ainda que possua uma mensagem palpável e ressonante com o mundo de hoje em – a ideia de confiança no próximo e de não confiar tanto nos nossos próprios preconceitos – a verdade é que esta está ligada a uma história que já tinha sido repetida vezes e vezes sem conta. Vemos a protagonista a viajar de terra em terra em busca de partes de um objeto místico e criar laços de amizade com membros de outras tribos pelo caminho. Certamente ajudaria se esta trupe em questão estivesse melhor escrita, uma vez que, aparte dos seus designs e de algumas peculiaridades, as suas motivações são as mesmas entre si. Há, pelo menos, três personagens que escapam a esta armadilha, mas por vezes não chega.

Raya and the Last Dragon Crítica de Cinema

Felizmente, o elenco maioritariamente oriental está mais do que à altura do desafio, e tem alguns nomes conhecidos a darem o seu melhor com o material que têm em mãos. Kelly Marie Tran – que talvez possam conhecer pela sua presença em Star Wars – The Last Jedi – encontra aqui uma oportunidade de ouro com a sua Raya e acaba por sair por cima com uma performance tocante. Gemma Chan também tem aqui uma performance de peso ao interpretar a rival de Raya, Namaari, trazendo algumas complexidades para uma personagem que poderia muito bem ser “apenas mais uma vilã odiável”. No entanto, a cereja no topo do bolo recai em Awkwafina, que traz o seu humor característico a Sisu, o dragão titular do filme, revelando-se como uma fonte de comédia genuína e algumas lições importante sobre a confiança no próximo.

Raya and the Last Dragon, em termos da narrativa, não é perfeito devido à sua história um tanto ou quanto familiar em certos aspetos, apesar de ter uma mensagem importante. Contudo, não deixa de ser um filme visualmente criativo e cativante para a Disney, já para não falar de contar com um elenco sólido do primeiro ao último. É um daqueles filmes que vale a pena ver e rever vezes e vezes sem conta.

Para já, o filme encontra-se disponível na Disney+ via Acesso Premium; no entanto, estará disponível para todos a partir do dia 4 de Junho.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Raya e o Último Dragão

Título Original: Raya and the Last Dragon

Realização: Don Hall, Carlos López Estrada

Elenco: Kelly Marie Tran, Awkwafina, Izaac Wang, Gemma Chan, Daniel Dae Kim, Benedict Wong, Sandra Oh, Alan Tudyk

Duração: 114 minutos

Trailer | Raya and the Last Dragon

Comments