Cinema Críticas

Crítica: Supernova (2020)

Supernova Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE SUPERNOVA!

Os romances LGBTQ+ têm crescido a um ritmo admirável e, cada vez mais, existem atores corajosos em desafiar a sociedade para se tornar num meio de aceitação maior e melhor. Supernova reúne dois amigos de longa data, Colin Firth e Stanley Tucci, que interpretam um casal homossexual que embarca uma road trip numa caravana pelos locais mais bucólicos de Inglaterra e vão fazendo paragens para visitar familiares e amigos de quem se foram afastando ao longo tempo. Mas esta viagem tem um propósito: Tusker (Tucci) sofre de demência e está rapidamente a perder a memória, colocando o seu marido Sam (Firth) numa posição emocional e delicada, onde os limites do seu amor é testado com frequência.

Supernova Critica de Cinema

Supernova é um dos tearjerkers mais bonitos deste começo de ano, com duas prestações fabulosas por parte dos seus protagonistas, e que ganha força por não divergir do seu objetivo primário. Não é um filme em que o espectador necessite de grandes personagens secundárias, porque o seu objetivo é notoriamente claro em retirar o maior proveito dos seus dois atores principais e da sua química que é, sem dúvida, imprescindível. Realizado por Harry Macqueen, Supernova é uma metáfora bonita sobre o amor que é puro, genuíno e que, felizmente, não cai em exageros melodramáticos. Uma supernova é um fenómeno natural ainda pouco compreendido pelos cientistas, consistindo na explosão de uma estrela quando esta está perto do seu fim. É o alicerce perfeito para explicar Supernova enquanto fenómeno cinematográfico, retratando com fidelidade aquilo que o filme transmite para o espectador.

Sendo um exercício curtinho, Supernova acaba por gradualmente fazer-nos entender aquilo que une estas duas personagens e testa constantemente o ponto máximo do seu amor um pelo outro. Apesar dos tearjerkers seguirem sempre uma fórmula que se torna cliché (e Supernova não foge à regra) e repetitiva, é precisamente em tentarem colocar o espectador mais próximo dos seus protagonistas que nos faz criar uma empatia forte com os mesmos, para além de nos transportar para algo que é-nos totalmente plausível e natural devido às magníficas prestações de Firth e Tucci. Este é o maior trunfo que Supernova tem e que o distingue de muitos romances do género. É simples, bonito, metafórico e encantador. Pode não ser totalmente original, porque não é, pode até nem ter uma história complexa, porque de facto não o tem, mas tem um sentimento que é puro aos nossos olhos e tem uma intenção maravilhosa em testar os limites da sociedade ao fazê-la entender que não há barreiras que nos separam e que não são apenas os romances heteronormativos que conquistam ou nos fazem chorar.

Supernova Critica de Cinema

Supernova é um filme lindíssimo, que entrega duas das melhores prestações dos dois atores das suas carreiras, e que rivaliza com aqueles clássicos romancistas como The Notebook e/ou A Walk to Remember, porque acaba por ter as doses certas de um amor genuíno que só é possível com a notória química entre Firth e Tucci. Portanto, se ainda estão em espírito de São Valentim, Supernova é o filme que vos irá tocar de uma forma surpreendente.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Supernova

Título Original: Supernova

Realização: Harry Macqueen

Elenco: Colin Firth, Stanley Tucci, Pippa Haywood, Peter MacQueen, Nina Marlin.

Duração: 94 min.

Trailer | Supernova

Comments