Cinema Críticas

Crítica: Paradise Cove (2021)

Paradise Cove Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE PARADISE COVE!!!

Eis uma questão sobre alguns filmes que caem nos nossos colos: por vezes podem até ter uma qualidade expectável ou surpreendente. O mesmo se aplica aos chamados “filmes de série B”: sabe-se que a sua qualidade fica bastante a desejar, mas caramba, se não conseguem providenciar um resquício de entretenimento fácil. Infelizmente, Paradise Cove não é um desses casos.

O filme centra-se em Knox e Tracey, um casal que decide renovar uma casa em desgaste em Paradise Cove, Malibu. O que poderia ser uma espécie de operação fácil e de duração relativa torna-se num verdadeiro pesadelo quando se deparam com Bree, uma sem-abrigo que tomou residência na casa em questão.

Paradise Cove Crítica de Cinema

Não existe maneira de contornar o inevitável: Paradise Cove é simplesmente mau! O conceito não é necessariamente inovador em si, mas quando bem executado a nível da direção, escrita e performativa, consegue proporcionar um thriller básico, mas competente. E este filme falha redondamente em todos os níveis imagináveis.

Um thriller eficaz consegue proporcionar momentos de tensão palpável, de uma forma geral. Pode ter momentos elaborados ou simples, mas a própria atmosfera de um filme consegue oferecer um entretenimento fácil e captar o nosso interesse desde o primeiro até ao último minutos. Infelizmente, tal não se regista, e muito se deve à direção claramente amadora de Martin Guigui que, infelizmente, não consegue construir a atmosfera necessária para a eficácia do filme. Está tudo montado em volta do fake tension, algo que não era o pretendido, claramente.

Paradise Cove Crítica de Cinema

A própria narrativa do filme também se apresenta como uma das falhas graves. Trata-se praticamente num produto bastante banal e previsível, repleto de armadilhas que os melhores thrillers atuais tendem a evitar (com sucesso relativo) e de algumas escolhas duvidáveis que poderiam fazer sentido se o filme tivesse sido feito nos anos 80, mas que não têm qualquer lugar nos dias de hoje. Claro que, em retrospetiva, escolhas inteligentes poderiam significar um filme bastante curto, mas ainda assim, torna-se numa espécie de exercício da nossa paciência. E isto sem falar do facto de Paradise Cove ser mais um filme que consegue criar vilões nos sem-abrigo, o que não corresponde à verdade dos nossos dias.

Todd Grinnell, Mena SuvariKristin Bauer van Straten completam o trio de personagens centrais do filme, e é caso para dizer que os três, já para não falar do elenco em geral, deixa bastante a desejar. As escolhas duvidosas que o filme apresenta também podem ser apontados às performances dos seus atores. Cada um deles oferece performances que não conseguem ser verdadeiramente convincentes, ao ponto de estarmos perante seres humanos maldosos em vez de seres humanos com as devidas complexidades necessárias para podermos tecer os nossos julgamentos. Mas enfim, acabam por não ter carisma, singular ou coletiva, e as escolhas representadas no filme são inconcebíveis, no mínimo.

Paradise Cove Crítica de Cinema

No seu todo, Paradise Cove podia até ser um thriller competente se tivesse consigo os ingredientes necessários para tal. Infelizmente, acaba por ser uma péssima desculpa para se fazer um filme na costa de Los Angeles. Uma verdadeira perda de tempo para todos.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Paradise Cove

Realização: Martin Guigui

Elenco: Todd Grinnell, Mena Suvari, Kristin Bauer van Straten, Eddie Goines, Ruben Garfias

Duração: 103 minutos

Trailer | Paradise Cove

Comments