Cinema Críticas

Crítica: Ne Zha (2019)

Ne Zha Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE NE ZHA!

Depois de ter visto Jiang Ziya e, por conseguinte, descobrir que era o segundo capítulo de uma trilogia animada sobre a mitologia chinesa, depressa me fui informar do seu antecessor. Ne Zha conta a história de dois antagonistas que são criados pelo “Senhor do Universo”, com base em duas esferas preciosas, sendo que uma é denominada de Pedra do Demónio e a outra Pedra Espiritual. É ao cargo de um guardião que estas esferas serão colocadas em duas crianças que estão prestes a nascer e uma delas triunfará acima da outra passados três anos. Esta colocação das esferas acaba por apressar o crescimento da criança e fazê-la ter tempo para aprender a dominar os seus poderes. No entanto, um dos guardiões, que foi rejeitado pelo “Senhor do Universo”, cria uma cilada que leva a que a Pedra do Demónio seja transportada para Ne Zha, enquanto que a Pedra Espiritual é levada aos dragões exilados do reino, que estão a planear um regresso em forma à Terra e dominarem a raça humana que prospera no mesmo. É aqui que ficamos a conhecer o nosso protagonista rebelde, Ne Zha, que tem dois puxinhos no cabelo, um rosto aproximado de um baby Joker, uma atitude arrogante e uma incapacidade de controlar os seus poderes, sendo rejeitado pela população humana do reino onde vive. Mas com tão pouco tempo para viver, conseguirá Ne Zha mudar a história a que está destinado? Irá ele confrontar o seu arqui-inimigo e dominar os seus poderes?

Ne Zha Critica de Cinema

Ne Zha é uma surpresa a muitos níveis, já que absorve as lendas chinesas mitológicas e, mais uma vez, coloca-as em destaque numa rendição visual do equilíbrio do planeta, a que os asiáticos chamam de yin e yang. É uma fábula divertida, com sequências de humor deliciosas e personagens muito carismáticas, para além de um tipo de animação muito particular e que faz um bom uso da tecnologia 3D, criando um enredo diversificado e educativo. Não é por nada que se tornou um dos filmes mais lucrativos da História da China, e o mérito é todo do realizador Yu Yang, que não se deixa influenciar pela doçura dos contos-de-fada para crianças mais banais, tornando a sua visão muito mais caprichada em conquistar diversas gerações. Ao fazer-nos criar empatia com o aparente vilão da sua narrativa, Ne Zha torna-se um marco significativo na animação infantil, que vai buscar elementos de Avatar: The Last Airbender e os conjuga com esta mitologia tão rica do seu país. Ao contrário de Jiang Ziya, Ne Zha acaba por ser mais ponderado em não colocar demasiada informação para que o público ocidental consiga envolver-se na sua história e suscitar a curiosidade em pesquisar algumas destas referências culturais tão interessantes.

Ainda que pudesse explorar melhor os motivos dos seus vilões principais e das consequências das suas ações, Ne Zha acaba por ser uma aventura irreverente que articula valores sociais importantes e adiciona uma camada fantasiosa muito cativante, com visuais caprichados, e moralismos que assentam bem em todas as gerações que o visualizem. Sendo o começo desta trilogia, Ne Zha, de facto, acaba por ter um trabalho bem mais seletivo na informação que transmite ao público em geral, e abre portas para um universo fantasioso novo e com bastantes oportunidades de desenvolvimento de histórias frescas e inovadoras. Infelizmente, Jiang Ziya, por muito bom que seja, acaba por não respeitar esta atitude seletiva, tornando-se maçador e confuso com a quantidade de elementos mitológicos não-explicados que contém em si. Ne Zha acaba por ser um capítulo que engloba bastantes géneros diferentes e os alia a uma atitude infantil mais, dita, ousada e oportunista, quebrando com a fórmula cliché de os aspetos dramáticos serem suavizados para não chocar. Ne Zha encontra um meio termo equilibrado sem ser demasiado agressivo, nem demasiado soft, tornando a experiência do espectador bastante gratificante ao longo da sua duração.

Ne Zha Critica de Cinema

 

Mesmo que nem tudo seja perfeito, Ne Zha é uma aventura recomendável para este fim-de-semana e que irá chamar a atenção de todos os que estão em busca de uma nova epopeia de fantasia que, há muito, não chega. Portanto, Ne Zha é uma animação invulgar, extremamente rica em metáforas e referências mitológicas e que tem um humor delicioso que nos deixa rendidos rapidamente ao seu charme.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Ne Zha

Título Original: Ne Zha

Realização: Yu Yang

Elenco: Yangting Lü, Joseph, Mo Han, Hao Chen, Qi Lü, Jiaming Zhang, Wei Yang.

Duração: 110 min.

Trailer | Ne Zha

Comments