Cinema Críticas

Crítica: Time (2020)

Time Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE TIME!!!

Durante a nossa experiência em redor dos documentários, vamos encontrando vários géneros. Alguns podem mostrar a beleza da natureza (e o porquê de a mantermos no nosso tempo), enquanto existem outros que se baseiam em crimes reais. Estes últimos costumam variar entre os vários procedimentos de julgamentos e da sua resolução e os relatos em primeira pessoa dos condenados. Mas são raros os documentários que se centram nos entes queridos dos reclusos, e todos os esforços que tomam para que justiça seja feita. Time é uma dessas raridades.

Este documentário centra-se Sibil “Fox” Richardson, uma mulher que, além de ter de orientar a sua vida e cuidar dos seus seis filhos, também faz tudo por tudo para libertar o seu marido, Robert, que fora condenado a uma pena de prisão de 60 anos por um assalto a um banco.

Time Crítica de Cinema

Num toque pessoal, confesso que é sempre um desafio estar a elaborar críticas sobre documentários. Muito porque, por incrível que possa parecer, nem todos conseguem ser iguais no que toca à abordagem do tema central dos mesmos. Esses documentários tornam-se difíceis de escrever, mas ao mesmo tempo desafiantes. Time, na sua génese, pode ser visto como mais um documentário sobre o problema com o sistema judicial norte-americano e a suas penas pesadas. No entanto, o que o torna cativante é a perspetiva única.

Tal como tinha mencionado acima, são raros os documentários de crimes reais que abordam fontes alternativas para contar a sua história, uma vez que estamos habituados às chamadas “restituições” ou relatos em primeira pessoa, e são raras as ocasiões em que podemos ter o ponto de vista de quem está do lado de fora dos acontecimentos. E embora Robert Richardson, um dos principais autores do crime, seja o espectro que paira em todos os momentos, Time pertence mais à sua mulher, Sibil, e aos seus esforços de manter uma réstia de normalidade na sua vida.

Time Crítica de Cinema

E é claro que se trata de um documentário que não deixa ninguém indiferente. Por mais que mostre a luta de Sibil de manter uma vida normal com os filhos e de tentar de tudo para libertar um ente querido com uma sentença injusta, Time também ilustra que o tempo, no seu aspeto mais abstrato, pode muito bem ser o maior aliado ou inimigo de todos nós. E essa função ambivalente está espelhada em Sibil, que durante 20 anos tentou construir uma vida digna para a sua família – ao ponto de fundar uma concessionária automóvel de sucesso, e os seus filhos a ficarem bem encaminhados para a vida apesar de terem um pai ausente. Mas por outro lado, são 20 anos de momentos roubados. de dor, de angústia. Serve de testamento que, não importa o tempo que demore, tudo é possível para quem tem uma alma lutadora. Portanto, quando chegamos ao desfecho inevitável, com o que aprendemos sobre Sibil e os seus filhos – especificamente os gémeos Freedom e Justus – mais satisfatório é o resultado final.

Todos estes momentos estão aglomerados numa edição de imagem e direção soberbas. Filmado completamente a preto-e-branco, o documentário ainda nos mostra alguns momentos decorridos na era moderna (na véspera de uma nova decisão em relação à sentença de Robert) em justaposição com imagens de arquivo, fruto de filmagens que a própria Sibil concedeu a Garrett Bradley. Estes pequenos momentos conseguem pautar ainda mais a dupla função do tempo neste documentário, como recordação de alguns momentos mais doces que a vida pode oferecer, ao mesmo tempo que representa tempo perdido que jamais poderá ser recuperado.

Time Crítica de Cinema

Em suma, Time é mais do que um simples documentário sobre um crime real. É um testamento de força e coragem de uma mulher que, face a imensas adversidades, conseguiu reconstruir a sua vida e continuou a lutar pela justiça até às últimas consequências. Pode ser visto mais como um ensaio sobre como o ser humano é capaz de alcançar tudo, demore o tempo que demorar. Basta que tenha paciência e, acima de tudo, força de vontade para lutar por um futuro melhor.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Time

Realização: Garrett Bradley 

Elenco: Fox Rich, Freedom Rich, Justus Rich, Remington Rich, Rob G. Rich, Rob Rich II

Duração: 81 minutos

Trailer | Time

Comments