Cinema Críticas

Crítica: Redemption Day (2021)

PODE CONTER SPOILERS DE REDEMPTION DAY!!!

De uma forma um tanto ou quanto geral, o mês de Janeiro de cada ano tende a ser o mais fraco em termos de lançamentos de filmes de qualidade, seja pela quantidade limitada dos mesmos, que procuram uma oportunidade mais rentável (o que normalmente toma lugar um pouco após o primeiro trimestre) ou pela sua qualidade duvidosa. Ou pior, a sua completa ausência. Este Redemption Day recai precisamente dentro dessas categorias.

Neste filme. Brad Paxton é um marine que, após uma missão que correu mal, decide que está na hora de se focar na família. As coisas correm para o torto quando a sua mulher, Kate, é raptada por terroristas da Argélia, o que leva Brad a fazer “justiça” pelas próprias mãos em território hostil.

Redemption Day Crítica de Cinema

Este filme serve de estreia de Hicham Hajji na cadeira de realizador. E como tal, este traz a Redemption Day o seu amor por Marrocos, sem esquecer também do conflito ainda aberto entre esse país e a Argélia. Tendo esse histórico, o seu esforço poderia dar ao filme um toque claramente diferente ao conflito entre os dois países numa perspetiva diferente. Infelizmente, o filme é do mais básico que se possa imaginar, e não num bom sentido.

A narrativa do filme em si é básica por si mesma, uma vez que nos atira à cara a mesma historieta de sempre nos filmes americanos de série B: herói de guerra com claros sinais de stress pós-traumático (ou que tenha deixado a vida militar para trás) é “obrigado” a sair da reforma quando um ente querido se encontra em perigo de vida. É uma ideia para uma narrativa que precisa urgentemente de uma nova vida; infelizmente, não é com Redemption Day que teremos essa nova vida. Ainda tenta introduzir algumas ideias sobre corrupção política ou mesmo sobre o conflito, mas estas adições acabam por ser mais supérfluas do que importantes.

Redemption Day Crítica de Cinema

Além disso, o filme tem graves problemas em referência ao seu ritmo. Todos os indícios apontavam para uma eventual operação de resgate, mas tal só acontece quando o filme entra no seu ato final. Por outras palavras, dois terços do filme são dedicados pura e simplesmente a discussão de ideias e planeamento. E no momento em que a ação se faz sentir, é do mais seguro e básico que possam pensar. Hoje em dia, são vários os filmes de ação que conseguem ser bastante energéticos (ainda que não sejam grande espingarda, em retrospetiva). Redemption Day também falha nessa execução.

O outro grave problema do filme é o facto de incluir alguns nomes conhecidos da indústria e não saber exatamente o que fazer com eles. Gary Dourdan (o Warwick Brown de CSI: Crime Scene Investigation), Serinda Swan, Andy Garcia, Ernie Hudson, Martin Donovan ou Robert Knepper são apenas algumas presenças que só servem para dar um ar de “luxo” e pouco mais do que isso, com os atores em geral a entregarem prestações repletas de clichés ou sem qualquer tipo de carisma.

Redemption Day Crítica de Cinema

Redemption Day podia ter o potencial de ser, no mínimo, um filme que, embora não fosse extraordinário, poderia entreter. Muitos filmes desta categoria específica conseguem esse feito. Infelizmente, nem mesmo as paisagens de Marrocos conseguem salvar este filme, com uma narrativa básica e com potencial para mais, uma execução penosa e prestações enfurecedores de atores e atrizes que conseguiram provar mais e melhor no passado.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Dia da Redenção

Título Original: Redemption Day

Realização: Hicham Hajji

Elenco: Gary Dourdan, Serinda Swan, Andy Garcia, Brice Bexter, Ernie Hudson, Martin Donovan, Robert Knepper, Samy Naceri

Duração: 99 minutos

Trailer | Redemption Day

Comments