Cinema Críticas

Crítica: Die Another Day (2002)

Die Another Day Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE DIE ANOTHER DAY!

E voltámos às nossas maratonas de 007 e Pierce Brosnan regressa como o espião mais irresistível do cinema numa nova aventura que, para muitos, é considerada a pior de toda a saga. Eu não sou uma dessas pessoas que abomina Die Another Day, mas reconheço que, dentro de uma saga com tantos altos e baixos, este não é um daqueles que faz sobressair as melhores características de James Bond. James é capturado na Coreia do Norte depois de uma operação que corre mal, e é preso e torturado durante uns bons anos. Desamparado e sem fé na organização que o contratou, James alia-se a um magnata da Coreia para se vingar de Zao, um dos terroristas envolvidos na sua apreensão. É ao viajar para Cuba, que James conhece Jinx, uma sedutora e formidável espia, que se torna numa aliada, e juntos, tentam desvendar a estranha ligação entre Zao e um magnata de tráfico de diamantes de nome Gustav Graves.

Die Another Day Critica de Cinema

Die Another Day não é um dos piores filmes de Bond, mas também não é dos melhores. Tem os elementos que são necessários para ficarmos entretidos, ainda que existam exageros visuais que o realizador Lee Tamahori incute que parecem saídos mais de um capítulo de Velocidade Furiosa e que carecem do charme e classe dos clássicos do espião. Ao contrário de muitos, penso que Halle Berry encaixa perfeitamente no contexto de bond girl, sendo sedutora e funcional, já que muitos dos filmes anteriores reduziam o papel da mulher para algo mais ornamental. Mesmo que a história seja ela também pouco criativa, porque de facto é, Die Another Day tem o ritmo com as doses de adrenalina certas para nos manter colados ao ecrã, mesmo que se comece a sentir uma fadiga óbvia na prestação de Brosnan. Outro problema grave que os filmes, em particular de Brosnan têm, e já referi isso noutras críticas anteriores, é a da tecnologia que começa a ser demasiado predominante e intrusiva nalguns momentos. A verdade é que as engenhocas de Bond são engraçadas mas acabam por tirar um protagonismo mais realista ao espião. O efeito cool é agradável, mas nem sempre é aplicado da melhor maneira, e isso prejudica a nossa relação com um protagonista que, primeiramente (e porque não havia assim tanta tecnologia inovadora na altura), tentava desvendar o mistério por si e sem recurso a meios para.

Com isto o que pretendo dizer é que os filmes de James Bond têm obrigatoriamente que colocar o protagonista como sendo alguém que depende mais do seu instinto do que da tecnologia para se desenvencilhar das situações problemáticas em que se encontra muitas vezes. Ao tomar este passo, há todo um aspeto de realismo que se torna mais envolvente e remove esta “plastificação” ou “artificialização” da ação de 007. A intelectualidade acima da tecnologia. É um passo sensato e, se for para continuar a ter destaque, pelo menos suavizar o impacto da mesma na conduta da personagem. Os vilões, infelizmente, acabam por também não ser muito convincentes e Die Another Day acaba por parecer um filme mais genérico de ação do que qualquer outra coisa, para além de uma música dos créditos iniciais de Madonna que é, igualmente, banal.

Die Another Day Critica de Cinema

Ainda assim há que dar mérito à componente técnica onde são notórios os avanços que foram feitos para criar explosões mais convincentes e efeitos sonoros que provocam uma sensação incrível de nos transportar para o centro da ação. Die Another Day é o último filme de Pierce Brosnan como James Bond e, embora não seja maravilhoso, também não merece ser demonizado. Ainda assim, agora com a entrada de Daniel Craig, há toda uma riqueza variada de novos elementos que funcionam bem melhor do que até agora funcionaram. E veremos isso na próxima crítica…

Leiam outras Críticas aqui.

Título: 007 – Morre Noutro Dia

Título Original: Die Another Day

Realização: Lee Tamahori

Elenco: Pierce Brosnan, Halle Berry, Toby Stephens, Rosamund Pike, Rick Yune, Judi Dench, John Cleese, Michael Madsen, Will Yun Lee, Kenneth Tsang, Emilio Echevarría, Colin Salmon.

Duração: 132 min.

Trailer | Die Another Day

Comments