Cinema Críticas

Crítica: Caged (2021)

Caged Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE CAGED!

Numa altura em que o cinema está todo a chegar à internet, há algumas películas que nos podem passar ao lado com o frenesim. Caged acompanha a história de Harlow Reid que se encontra preso por alegadamente ter assassinado a sua esposa. Embora se declare inocente, Harlow é colocado numa cela, isolado do mundo, e é atormentado por uma guarda-prisional temível. Para agravar a situação, Harlow começa a alucinar com a sua falecida esposa e com figuras assustadoras que derivam do seu isolamento.

Caged Critica de Cinema

Caged podia ser tão melhor do que é, na verdade. Tem duas prestações excelentes de Edi Gathegi (que ainda há pouco nos encantou em Princess of the Row) e Melora Hardin, ainda que as suas personagens não tenham tempo ou material suficiente para brilharem ainda mais. Caged é um filme totalmente genérico, sem grande força e sem grande entusiasmo. Tem alguns aspetos interessantes mas a sua premissa merecia um tratamento mais profundo. Os eventos que se vão desenrolando na mente do protagonista acabam por simbolizar uma parte importante na vida dos reclusos que estão desprovidos de contacto social ou com o exterior e começam a desenvolver psicoses e a deturpar aquilo que é real do que não é. Caged roça apenas a superfície desta questão e não necessitava quase de expor o terror da forma que o faz, porque a vivência do protagonista é um terror por si mesmo.

Misturar um género algo sobrenatural pode ter algumas consequências e infelizmente Caged cai precisamente no erro de dar fisicalidade a este terror. Era bem mais interessante se o realizador e argumentista Aaron Fjellman procurasse encontrar um equilíbrio entre a insanidade, o sentimento de culpa e a busca incessante pela inocência e da crença de que tudo se irá resolver. O maior terror é embrulharmo-nos num misto de incoerências psicológicas e mentais que começam a enfraquecer o cérebro do protagonista. Honestamente, a forma como Caged ilustra este sumo artístico delicioso é precária e pouco envolvente. A duração do filme acaba por ser sua inimiga também, mas a ideia é extremamente interessante. É quase como termos uma ideia forte e não ponderarmos as nossas opções, cedendo a uma linearidade que faz com que o filme seja mais um igual a muitos outros.

Caged Critica de Cinema

Há que dar mérito aos atores, que mesmo sendo desperdiçados em alguns momentos, seguram as suas personagens com força. Há o choque de talento com preguiça e Caged acaba por ser daqueles dramas que vai passar ao lado de muitos quando tinha potencial para se igualar ou ser melhor do que muitos do género que já foram lançados até hoje. Ainda que reconheça algum apreço por ser um filme com alguma coragem em abordar uma temática sensível, tenho pena que o resultado tenha sido tão pobre. Ainda assim, para quem gosta de dramas prisionais, Caged é completamente inofensivo e o facto de ser curtinho não é um desperdício completo de tempo.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Encarcerado

Título Original: Caged

Realização: Aaron Fjellman

Elenco: Edi Gathegi, Melora Hardin, Angela Sarafyan, Tony Amendola, Jose Rosete, James Jagger.

Duração: 80 min.

Trailer | Caged

Comments