Cinema Críticas

Crítica: Clue (1985)

Clue Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE CLUE!

Sou um fã incondicional do jogo Cluedo (em inglês Clue) e pensava eu que o meu primeiro argumento de cinema ia ser precisamente sobre ele. Enganei-me depois de descobrir que alguém já o tinha feito em 1985. Clue é realizado por Jonathan Lynn e é uma comédia que traz aquelas personagens deliciosas do jogo de tabuleiro, onde as perguntas são chave para entender quem é o assassino que matou o anfitrião de uma “festa” que uniu seis estranhos na sua mansão. Estes estranhos precisam de se aliar aos empregados da casa para descobrir quem é o assassino.

Clue Critica de Cinema

Clue é um filme muito divertido e que capta a essência do jogo, utilizando o humor como veículo para cativar os espectadores. Tem pormenores excelentes de produção, desde o guarda-roupa até ao design dos cenários. É como que se fossemos projetados para o tabuleiro do nosso jogo e fizéssemos parte dele. Com um elenco muito competente, Clue constrói o seu mistério sem se levar muito a sério e, por um lado resulta, por outro nem por isso. O filme por vezes cai no erro de ser demasiado satírico de si próprio e o investimento do espectador vai-se perdendo até chegar ao ato final que é onde o filme brilha verdadeiramente. Com um Tim Curry fenomenal e o resto de um elenco competente nas suas personagens (note-se que nunca foi necessário exigência nestes retratos caricaturais), Clue é um mistério bastante engraçado, embora sofra um pouco de uma hiperatividade que não nos deixa pensar muito sobre o que está a acontecer.

Apesar de Clue ser um filme muito original a utilizar o mote do jogo de tabuleiro, parece que está constantemente a apressar-se e deixa-nos extremamente confusos com tudo o que está a acontecer. Isto pode parecer intencional do filme, e até certo ponto é, mas depois já começa a parecer um ato de desespero porque está com receio de se tornar demasiado evidente. Este apressar dos momentos e uma montagem que necessitava de um pouco mais de trabalho, Clue conquista precisamente quando se aproxima do seu final. É extremamente criativo quando denuncia o(a) verdadeiro(a) culpado(a) dos homicídios que vão acontecendo aparentemente de forma aleatória. Mesmo que não consiga ser algo de extraordinário em toda a sua duração, Clue aproveita a sua autossatirização e, num golpe genial, deixa-nos agarrados até ao último segundo para ouvir o mirabolante desenlace.

Clue Critica de Cinema

Portanto, para os amantes do jogo, Clue vai satisfazer as vossas expectativas por conjugar uma narrativa engraçada com personagens carismáticas, mesmo que acabe por tornar-se demasiado irónico consigo mesmo. O ritmo também é um problema constante, mas a verdade é que há momentos hilariantes e nada nos prepara para um dos desfechos mais originais de sempre. Até dá vontade de jogar isto entre amigos… se não estivéssemos confinados por esta altura. Clue é um filme muito competente em recuperar o espírito e, embora fique algo dececionado por não ter sido brilhante, fico muito satisfeito pelo seu clímax que é tão hilariante quanto é plausível e coerente.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Cluedo

Título Original: Clue

Realização: Jonathan Lynn

Elenco: Eileen Brennan, Tim Curry, Madeline Kahn, Christopher Lloyd, Michael McKean, Martin Mull, Lesley Ann Warren, Colleen Camp, Lee Ving.

Duração: 94 min.

Trailer | Clue

Comments