Cinema Críticas

Crítica: Superman: Man of Tomorrow (2020)

Superman: Man of Tomorrow Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE SUPERMAN: MAN OF TOMORROW!!!

Dizer que a DC tem vindo a desiludir não é uma grande surpresa, quanto muito vendo pela falta de filmes que consigam puxar pela audiência, ou então aqueles que simplesmente deixam a desejar no meio tanto hype. Os filmes animados, por outros, têm-se mantido consistentes, pelo menos ao filme que marcou o fim da continuidade que tem vindo a marcar presença desde o princípio da década passada. Mas isso não significa que não iremos ter mais filmes animados de alguns heróis icónicos, uma vez que nos esperam novas aventuras com uma nova equipa criativa. E a arrancar esta nova fase, temos este Superman: Man of Tomorrow.

Neste filme, encontramos Clark Kent como um estagiário no Daily Planet, enquanto pratica algum super-heroísmo como o Flying Man. No entanto, os seus ideais e estilo de vida serão colocados à prova quando ameaças de outro planeta começam a chegar à Terra. 

Superman: Man of Tomorrow Crítica de Cinema

Agora, para que conste, não contem com Superman: Man of Tomorrow como uma ideia verdadeiramente original. Sim sim, valendo o que vale, o filme, na sua narrativa, toma algumas liberdades em referência ao material de inspiração e atira-o para uma nova rota diferente do habitual. No entanto, trata-se, novamente, numa espécie de história de origem do herói. Tendo em conta que a vida do herói pré-fato azul e capa vermelha já teve direito a diversas adaptações – inclusive uma série televisiva com 10 temporadas! – esta história não tem exatamente algo de novo para nos contar. 

Mas é preciso reforçar algumas ideias diferentes que ajudam a tornar este filme mais fácil de se ver. Ao invés de retrarar o trajeto de Clark desde o início da sua vida, acompanhamo-lo já com algumas experiência com o mundo à sua volta, ao mesmo tempo que os seus feitos heróicos ainda estão por concretizar em pleno. É uma abordagem diferente que nos relembra o método empregue em Spider-Man: Homecoming, e para todos os efeitos e circunstâncias, acaba por nos oferecer uma espécie de história diferente, ainda que tingida por algumas familiaridade para quem acompanhou a história de Clark Kent e a já típica limitação da duração do filme. 

Superman: Man of Tomorrow Crítica de Cinema

Outro elemento positivo que salta logo à vista em Superman: Man of Tomorrow reside no seu aspeto gráfico. Desta feita, o filme ignora o estilo dos filmes anteriores e opta por uma espécie de técnica de cel shading. Embora este método já não se torne tão útil em anos recentes, ajuda a captar aquela vibe de estarmos a folhear por uma banda desenhada. Mas também possui as suas limitações, uma vez que é possível notar-se em alguns problemas de frames que abrandam de repente. Mas isto é apenas uma mera queixa pessoal, considerando que todo o aspeto gráfico do filme – inclusive a animação em 3D – está surpreendente para um filme animado lançado diretamente para o conforto doméstico. 

Outro aspeto surpreendente no filme reside no leque de atores eleitos para os papéis principais. A continuidade anterior não era estranha em incluir alguns nomes sonantes para os seus filmes, e Superman: Man of Tomorrow não é exceção. Começando com Darren Criss no papel de Clark Kent ainda “verde”, longe de espelhar toda a sua filosofia da “Verdade, Justiça e Modo de Vida Americano”, mas não menos jovial e, por vezes, brincalhão. A ele juntam-se ainda outros astros em papéis de relativo relevo, tais como Zachary Quinto como Lex Luthor, Alexandra Daddario como Lois Lane, Ryan Hurst como Lobo, Brett Dalton como Parasite ou Ike Amadi como J’onn J’onnz. Claro que nem todas as performances estão no mesmo nível de qualidade, mas não deixa de ser um elenco talentoso que cumpre bem com os seus respetivos papéis. 

Superman: Man of Tomorrow Crítica de Cinema

Em suma, Superman: Man of Tomorrow pode não ser o filme mais extraordinário em termos narrativos pela falta de originalidade e limitações do tempo (ainda que faça algumas escolhas arrojadas pelo caminho), mas é uma obra geralmente bem interpretada e com um aspeto visual cativante. Se os restantes filmes animados da DC mantiverem esta onda, pode ser que tenhamos direito a mais filmes especiais. 

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Superman: Man of Tomorrow

Realização: Chris Palmer

Elenco: Darren Criss, Zachary Quinto, Ike Amadi, Eugene Byrd, Alexandra Daddario, Brett Dalton, Neil Flynn, Ryan Hurst, Bellamy Young

Duração: 86 minutos

Trailer | Superman: Man of Tomorrow

Comments