Mini-Reviews TV TV

The Wilds – Season Finale – 1ª Temporada

The Wilds Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE THE WILDS!

Há certas apostas televisivas que acabam por surpreender, mesmo com orçamentos que não lhes fazem justiça. The Wilds é uma mistura de Lost com The 100, onde um grupo de jovens raparigas têm o infortúnio de vivenciar um desastre aéreo e ficam presas numa ilha algures aparentemente entre os EUA e o Hawaii, onde supostamente iriam frequentar um “curso” para jovens problemáticas. É no clima de sobrevivência que as jovens se vão aproximando e ficamos a conhecer as suas histórias pessoais, mas há algo de estranho neste acidente que as levou a estarem precisamente onde se encontram.

The Wilds Season Finale

O MELHOR:

The Wilds, de facto, tem imensas influências de Lost, que é uma série que pessoalmente não me agradou minimamente.

É também uma série que trabalha extremamente bem o desenvolvimento de personagens, tentando sempre permanecer equilibrada no tempo de antena que confere a cada uma das suas protagonistas. As prestações, que inicialmente são relativamente más (e falarei disso um pouco mais para a frente), começam a melhorar a olhos vistos com o avançar da história, tornando-se cada vez mais intrigantes e sendo auxiliadas por uma escrita ritmada e repleta de criatividade. Embora tenha defeitos muito óbvios, The Wilds consegue trabalhar com afinco aquilo que verdadeiramente importa: as jovens e as relações entre si, com todos os atritos e aproximações que vão tendo ao longo dos dez episódios da temporada.

Há todo um background interessante que as torna apetecíveis ao público, com problemas da adolescência delicados e quase todas vítimas de um machismo tóxico e opressivo durante o seu desenvolvimento e maturação. As influências sociais são magníficas e todas bem estruturadas para dar camadas às mesmas, culminando numa sopa deliciosa de alicerces narrativos que tornam The Wilds uma das séries a não perder num futuro próximo. Lideradas por Sarah Pidgeon, as meninas de The Wilds são atrizes em ascensão que convém recordar para mais tarde, esforçando-se para dar cada vez mais ênfase dramático ao longo da série. Com surpresas óbvias, todas têm personalidades voláteis e os seus traumas ou desgostos pessoais definem-nas como sendo personagens com algo de extremamente relevante para contar. Desde a irreverente Fatin (Sophia Ali), passando pela doce Shelby (Mia Healey), a temperamental Toni (Erana James), a sofrida Leah (Sarah Pidgeon), a competitiva Rachel (Reign Edwards), a introvertida Nora (Helena Howard), a positiva Martha (Jenna Clause), até à ponderada Dot (Shannon Berry), The Wilds cria na sua génese uma tentativa de emancipação e crescimento que é subtil e maravilhosa, evitando sempre cair exageros melodramáticos.

É pela construção abismal das personagens e pela escrita talentosa da equipa que The Wilds nunca se descai em ambições desmesuradas nem nos coloca numa posição em que estamos sempre com mais perguntas do que as respostas que vamos obtendo do seu mistério mais óbvio. Ao contrário de Lost, The Wilds complementa as suas falhas orçamentais com um enredo cativante e, mesmo não sendo tudo perfeito, pelo menos esforça-se para respeitar o seu público fornecendo a matéria que precisam para se manterem investidos em todos os seus capítulos.

The Wilds Season Finale
The Wilds
CR: Matt Klitscher/Amazon Studios

O PIOR:

Há toda uma sensação de falta de perigo numa ilha que não tem a exploração que merecia.

Isto é, apesar de The Wilds utilizar o seu mistério como base para unir as personagens, há todo um profissionalismo em criar alguns elementos fulcrais como o suspense que cai por terra. Muito se deve aos problemas orçamentais e à necessidade de criar um ambiente mais teen-friendly do que propriamente ser credível nalgumas sequências de sobrevivência essenciais para que a série se eleve de algo não tão juvenil.

Mesmo que o mistério seja respondido, há certas opções de história que não caem muito bem, já que parece haver toda uma infantilização de alguns elementos atuais, quando não devia focar-se em algo mais adulto e que provocasse no espectador uma sensação de temer pelas vidas das suas personagens… não é, de facto, o que acontece. Para além disso, como mencionei anteriormente, as prestações inicialmente careciam de qualidade, sendo que a maioria das jovens atrizes são estreantes e a sua expressividade estava ainda muito verde, assemelhando-se muito às produções do canal The CW, como The 100 ou Riverdale. Mesmo que este fator melhore com o passar dos episódios, há algum casting que teria mais impacto se fosse escolhido com atores mais experientes, especialmente os que são responsáveis pela execução do mistério principal de The Wilds.

No entanto, The Wilds é, de facto, uma surpresa muito agradável e que irá entreter-vos do início ao fim, muito graças à escrita habilidosa e criativa da equipa em questão, porque prefere tocar-nos pelo sumo principal que são as personagens e dedicar-se menos a mistérios saloios e pouco credíveis que não funcionam num contexto prático, que foi o calcanhar de Aquiles da série que deu origem a esta, Lost.

The Wilds Season Finale

Estado da Série: RENOVADA

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 80 100 1

80%
Average Rating

The Wilds é um estudo de personagens soberbo, ainda que tenha algumas dificuldades orçamentais que comprometem o seu grafismo e removem alguma da intensidade que era necessária para se elevar. No entanto, é uma surpresa extremamente agradável e um serão que irá apelar aos fãs mais jovens.

  • 80%

Comments