Cinema Críticas

Crítica: Death to 2020 (2020)

Death to 2020 Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE DEATH TO 2020!!!

2020. Um ano que prometia ser bastante promissor em todos os níveis imagináveis, mas que desde cedo mostrou sinais que não seria um ano como todos os outros. Desde o maior incêndio que tomou lugar na Austrália até à pandemia (que ainda hoje aterroriza as nossas vidas pessoais), passando ainda pelas constantes manobras na Casa Branca, 2020 foi um ano que é tido, para muitos, como um ano para esquecer. E agora que estamos na reta final, Charlie Brooker, criador da série antológica Black Mirror, coloca todos os seus esforços neste seu projeto-surpresa, Death to 2020, dando-nos um filme que se revela como uma agradável surpresa neste último fim-de-semana do ano!

Neste mockumentary, exploramos todos os eventos importantes que marcaram o ano de 2020 pela diferença, com um maior foco nas situações do Reino Unido e dos Estados Unidos, sob o olhar acutilante – e bastante subjetivo – de especialistas nas mais variadas áreas.

Oriundo da mente de Charlie Brooker – em conjunto com Al Campbell e Alice Mathias – esperava de tudo um pouco deste Death to 2020. Mas, num ano que se revelou como sendo negro, às vezes é necessário revesitá-lo. Deste feita, com um toque humorístico.

O mockumentary aborda os eventos mais importantes do ano – e outros nem tanto – com um toque de comédia que não é de fácil digestão – existem alguns momentos em que celebridades e figuras públicas e políticas são alvos de insultos, uns mais fortes que outros – mas que, passado algum tempo, lá começa a assentar nas nossas mentes. Mas atenção, Death to 2020 também sabe quando tem de ser ligeiramente mais sério, mas não menos acutilante. E não posse pensar num exemplo melhor senão no segmento dedicado a George Floyd e à questão da brutalidade policial. Porque de resto, é humor à força bruta.

Grande parte do crédito humorístico de Death to 2020 pode partir de Brooker, mas o elenco em si também merece os parabéns por trazer esse humor ao de cima. O elenco pode ser menor, mas quando inclui nomes como Samuel L. Jackson, Hugh Grant, Lisa Kudrow, Cristin Millioti, Tracey Ullman, Kumail Nanjiani, Leslie Jones, Joe Keery, Diane Morgan, Samson Kayo e Laurence Fishburne, qualidade é mais do que garantida. E acreditem, irão soltar risadas com o que cada um deles irá oferecer.

No entanto, não esperem daqui uma obra original. Sim, pode ser engraçada, e o elenco pode estar a tirar o maior dos prazeres, mas Death to 2020 também trilha um caminho já em si bastante familiar. Já para não falar que o tema central – o ano de 2020, numa análise humorística – pode não ser tão fácil para alguns lidarem.

Death to 2020 veio do nada, e conseguiu arrebatar-nos com uma visão humorística – a roçar na sátira – sobre os eventos que ocorreram à nossa volta. E ajuda ter um elenco talentoso à disposição. Mas não esperem daqui uma obra preciosa da Sétima Arte; distrai, e nisso cumpre com o seu objetivo.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Death to 2020

Realização: Charlie Brooker, Al Campbell, Alice Mathias

Elenco: Hugh Grant, Cristin Millioti, Samuel L. Jackson, Tracey Ullman, Laurence Fishburne, Lisa Kudrow, Kumail Nanjiani, Joe Keery, Leslie Jones, Diane Morgan, Samson Kayo

Duração: 70 minutos

Trailer | Death to 2020

Comments