Cinema Críticas

Crítica: Love Actually (2003)

Love Actually Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE LOVE ACTUALLY!

O amor… acontece! E, de facto, uma das comédias românticas mais celebradas de todos os tempos é este cruzamento de personagens deliciosas que Richard Curtis trouxe para o grande ecrã em 2003. É um filme lindíssimo e que apela ao nosso coração, sem nunca perder aquele humor britânico delicioso e que nunca abranda o ritmo de Love Actually. Aqui, temos imensas pequenas histórias de como o amor surge nos contextos mais inesperados, mais difíceis, por vezes incompatível, outras vezes mesmo à frente do nariz. É também um clássico que deveria ter quebrado mais tabus na sua era, mas não deixa de ter elementos deliciosos e que nos revelam que o Natal é a melhor altura para amar e ser-se amado.

Love Actually Critica de Cinema

Toda a cheesiness cliché que conhecem está nos diálogos e génese estrutural de Love Actually. É uma comédia que tem plena consciência que não é para o agrado de todos, mas também sabe que é uma bonita ode ao sentimento que nos torna mais humanos. Tornou-se icónica pelo seu vasto elenco famoso, onde veteranos colidem com estrelas em ascensão para trazer um momento de conforto numa época tão especial. Apesar de adorar o filme, tenho de reconhecer algumas das suas fragilidades, tal como o retrato pobre do povo português e a ausência de amores LGBTQI+ que enriqueceriam inquestionavelmente mais a temática. Mesmo que essas opções não estivessem em cima da mesa, é difícil à mesma resistir a Love Actually, já que o filme tem um conjunto maravilhoso de personagens singulares e uma montagem adorável que nunca faz com que perca ritmo nem emoção. É aqui que Bill Nighy ascende ao estrelato mais óbvio com o seu arrogante e pomposo Billy Mack; onde Hugh Grant encarna um presidente que se apaixona por uma “plebeia”; onde Keira Knightley se casa e encanta o amigo do seu marido, onde Alan Rickman flirta com uma colega de trabalho; onde Liam Neeson dá conselhos amorosos ao seu filhote; onde Colin Firth se contagia pela beleza de Lúcia Moniz; entre muitas outras histórias de amor contagiantes e ternurentas.

Richard Curtis cria aqui um filme mosaico que entrelaça de alguma forma as histórias, utilizando personagens amorosas por si mesmas e colocando-as em contextos que levam o público a amá-las mesmo conhecendo muito pouco sobre elas. Por vezes não é preciso uma história original, mas sim uma astúcia para as colocar no momento certo para deixar o público sedento por mais. A banda-sonora é absolutamente magistral e é quase ela também uma personagem, já que é irresistível a rendição de Olivia Olson ao clássico de Mariah Carey, All I Want for Christmas is You, e à paródia musical de Bill Nighy, Christmas is All Around, que se tornaram icónicos com o lançamento do filme. É por esta veia cómica de Curtis em jogar com os elementos mais populares da época natalícia e de torná-la especial com estes contos bonitos sobre o amor, que Love Actually triunfa imenso.

Love Actually Critica de Cinema

Claro que nem todos têm o mesmo tempo de antena, mas todas as histórias são-nos entregues nas doses certas e nem todas têm aquele desfecho cliché que todos pensamos que têm. Isso é bom, já que Curtis acaba por ter noção que se der um final feliz a todas as suas mini-histórias, o filme acaba por parecer demasiado convencional ou até mesmo irrealista. Mas acima de tudo, Love Actually é fomentado pelo seu elenco extraordinário e por ter as melhores das intenções em utilizar uma época marcada por filmes e músicas muito próprias e culturais e de articular isso numa nova história que junta muitas outras em si, numa novela adorável sobre amor, luta, e descoberta. É quase prodigioso que Love Actually tenha chegado ao estatuto que chegou e se tenha tornado um dos clássicos natalícios mais vistos e consumidos todos os anos, ao lado do eterno Home Alone. Conseguir esta proeza é sinal de que Love Actually é mesmo uma obra artística que tem o espírito certo para a altura certa.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: O Amor Acontece

Título Original: Love Actually

Realização: Richard Curtis

Elenco: Bill Nighy, Gregor Fisher, Colin Firth, Sienna Guillory, Liam Neeson, Emma Thompson, Lulu Popplewell, Kris Marshall, Heike Makatsch, Martin Freeman, Joanna Page, Chiwetel Ejiofor, Andrew Lincoln, Keira Knightley, Hugh Grant, Martine McCutcheon, Laura Linney, Thomas Brodie-Sangster, Alan Rickman, Rodrigo Santoro, Lúcia Moniz, Billy Bob Thornton, Rowan Atkinson.

Duração: 135 min.

Trailer | Love Actually

Comments