Mini-Reviews TV TV

His Dark Materials – Season Finale – 2ª Temporada

His Dark Materials Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE HIS DARK MATERIALS!

Lyra Belacqua está de volta com novas aventuras com o seu fiel companheiro Pan e o seu novo amigo Will. Ao chegarem a um novo mundo, Lyra e Will depressa se apercebem que não estão seguros e que a sua missão para derrubar o Ministério não é tão linear quanto parece. Juntos, precisam de encontrar um punhal sagrado e que abre portas para outros mundos, enquanto leem o Aleteómetro para saberem qual o rumo que devem tomar. Enquanto isso, a sua mãe Mrs. Coulter desenvolve um novo plano e Lee Scoresby segue em viagem em busca de Lyra para a proteger. O mundo está a ficar descontrolado e a guerra entre mundos é iminente. Quem irá sobreviver no futuro?

His Dark Materials Season Finale

O MELHOR:

His Dark Materials tem valores de produção extremamente cativantes, com efeitos visuais deslumbrantes e personagens carismáticas.

Ruth Wilson continua a assegurar a sua personagem, tornando-se cada vez mais mortífera e a sua prestação cada vez mais intensa. Para além disso, a inclusão de Mary, interpretada pela doce Simone Kirby, também é um dos maiores trunfos da temporada e aguardam-se por desenvolvimentos mais elucidativos sobre o seu papel no enredo. Enquanto os efeitos visuais, a banda-sonora e a direção de fotografia mantêm-se apelativos, já a narrativa continua a ter alguns entraves… mas já lá vamos. His Dark Materials entra numa altura fulcral onde as personagens acabam por reconhecer e abraçar os seus destinos e novas revelações vão melhorando significativamente a história, ainda que os percalços continuem a não fazê-la tornar-se algo melhor.

A ausência de James McAvoy nesta temporada permitiu que os argumentistas se focassem nas novas relações e conseguissem torná-las mais credíveis e cativantes para o público. O jovem Amir Wilson também se revela uma adição amorosa ao elenco, quebrando a regra de se ter apenas um protagonista que, neste caso, caía sobre os ombros de Dafne Keen. Mesmo que os atores conquistem a longo prazo (ou na maioria das vezes), há todo um trabalho que tem obrigatoriamente que convencer através da construção da narrativa e, infelizmente, é onde His Dark Materials continua a pecar.

His Dark Materials Season Finale

O PIOR:

É incomodativa a sensação de que His Dark Materials se retrai imenso para apelar a uma camada mais jovem.

Nunca fico totalmente saciado com os contornos narrativos porque os momentos-chave acabam por passar muito rápido e sem a intensidade devida; para além de um worldbuilding que tropeça em si mesmo com frequência e nunca nos deixa totalmente elucidados com o que representam, quer as personagens, quer o seu papel concreto na história. Esta infantilização óbvia de uma história que devia ter um grau de violência ligeiramente maior (acreditem que não era necessário muito) conferir-lhe-ia um caráter mais denso e maduro, que é algo que a série tenta alcançar a todo o custo, mas parece que se vai lembrando organicamente que o público mais jovem pode ser mais suscetível.

Estes entraves baixam a qualidade de His Dark Materials bastante, e o facto de cismar em permanecer com alguns mistérios desnecessários também não ajuda. Para além disso, o season finale desta temporada é totalmente apressado, desprovido de um dramatismo convincente e sempre com erros cronológicos ou factuais que se tornam verdadeiramente incomodativos. Outra questão que a série não trabalha bem é o grau de relevância que as personagens têm em todo o seu percurso, já que são descartadas sem nunca percebermos bem qual seria o seu impacto verdadeiro na história. É o caso de Lee Scoresby, Carlo Boreal ou até mesmo o recente John Parry, pai de Will. Estas personagens parecem ter chegado ao final da sua importância e nunca deixaram uma marca verdadeiramente significativa na aventura de Lyra e companhia. São, de facto, redundantes, e refletem uma alternativa barata de criar personagens doces e com um coração genuíno meramente para causar impacto mas nunca lhes dando propriamente dimensão ou propósito narrativo.

Há também um problema gigantesco em não explorar o vilão de serviço convenientemente. Enquanto que Ruth Wilson é todo um epicentro que nos deixa arrepiados pelo seu temperamento volátil, já todo o Ministério é reduzido a breves momentos que apenas reforçam que ele ainda lá está. Mas há todo um background que não existe e é necessário para percebermos, não só o quão perigoso é, como a sua função e de como ascendeu ao poder. As intenções de His Dark Materials são nobres e a série tinha obrigação de nos trazer uma aventura com muito mais substância do que realmente nos trouxe até agora. Viver de um bom elenco e de visuais sedutores não é suficiente para fazer de His Dark Materials algo memorável… e enquanto os argumentistas não refletirem e não assentarem naquilo que é necessário verdadeiramente, a série tornar-se-á mais um produto baço e sem alma.

His Dark Materials Season Finale

Estado da Série: RENOVADA

Leiam a nossa Mini-Review anterior de His Dark Materials aqui.

0 65 100 1
65%
Average Rating

A segunda temporada de His Dark Materials tem algumas adições interessantes, mas continua a retrair-se num argumento que não é muito explícito nem consegue criar personagens funcionais, tornando-se um produto mais preocupado com as massas do que com a qualidade da sua história.

  • 65%

Comments