Cinema Críticas

Crítica: Perfume: The Story of a Murderer (2006)

Perfume Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE PERFUME: THE STORY OF A MURDERER!

Considerado por muitos peritos como infilmável, Perfume: The Story of a Murderer é baseado no meu livro favorito de Patrick Süskind. É a história que acompanha Jean-Baptiste Grenouille, um homem que nasce com um sentido olfativo surpreendentemente mais apurado que qualquer outro ser humano. Nasceu no sítio mais pútrido do mundo: o mercado do peixe numa Paris do século XVIII, e teve uma vida ingrata e precária durante todo o seu crescimento… mas foi sempre um indivíduo que lutou para alcançar o seu sonho: criar o perfume perfeito e que permite controlar a humanidade. Nesta jornada, Jean-Baptiste conhece indivíduos que lhe ensinam as técnicas de como explorar a arte da perfumaria e como absorver e preservar os cheiros mais irresistíveis da natureza. E Grenouille acaba por deixar-se levar pelos seus instintos e começa a assassinar virgens para obter o seu atraente aroma.

Perfume Critica de Cinema

Perfume: The Story of a Murderer foi um desafio para mim na altura do seu lançamento. Estava tão cético e reticente que uma parte de mim não tinha quaisquer expectativas positivas ao vê-lo numa tela de cinema. Tanto que o brilho nos meus olhos espelhava toda a minha satisfação por ver as páginas do meu livro favorito ganharem vida com uma qualidade soberba. Perfume: The Story of a Murderer é uma obra complexa e que requer uma certa mestria e originalidade em conseguir trazer toda a sinestesia que o livro provoca, especialmente porque é focado no sentido olfativo. Para além disso, o livro de Süskind retrata imensas temáticas importantes sobre o ser humano e da sua complexidade divina; o de ser notado e amado; uma procura incessante sobre identidade e do ideal de perfeição; um paradoxo entre o animal e o humano; da ascensão de decadência de um génio.

É toda uma sopa de ingredientes maravilhosos e que culmina numa reflexão profunda sobre os nossos desejos, tentações e ansiedades. O filme de Tom Tykwer é o mais caro da História do cinema alemão, com uma recriação belíssima de um romance magistral que é quase tão bom quanto o livro. Há sempre opções argumentativas que necessitam de ser feitas e, claro, o momento de Grenouille na caverna é um exemplo de muitos que podia ter sido explorado com uma intensidade mais aprofundada. No entanto, não censuro completamente a escolha dos produtos e argumentistas em terem deixado este capítulo para a narração soberba de Sir John Hurt, pois empanturrava um filme já longo com algo que é facilmente contornável. Perfume: The Story of a Murderer é uma obra tecnicamente preciosa, com cenários adequados aos diversos contextos e uma banda-sonora que pinta as sequências como se fosse a última nota de um perfume gracioso. Tykwer é muito hábil a criar emoções através de imagem, tal como o livro conseguia através das palavras. As descrições de Süskind são tão vívidas que um dos meus maiores receios é que isso não fosse possível recriar em cinema, mas o designer de produção Uli Hanisch esmerou-se e trouxe à vida toda uma Paris polarizada, que saltita entre lojas deslumbrantes e ostensivas a becos fétidos e decadentes.

Perfume Critica de Cinema

As prestações são absolutamente vertiginosas, com um Ben Whishaw que encaixa na perfeição nas exigências de Grenouille, seja pelo seu lado humano ou instintivo e nos papéis secundários temos Dustin Hoffman e Alan Rickman que trabalham com perícia as suas personagens relevantes no desenvolvimento pessoal do protagonista. É caso para dizer que Perfume: The Story of a Murderer consegue voar alto e manter-se, em geral, fiel ao material de origem onde é inspirado. Mas acima de tudo, é no argumento que a história do filme ganha uma pujança gigantesca e isto deve-se ao facto de conseguirem transpor os moralismos mais importantes para o ecrã. Era a tarefa mais árdua, já que Perfume: The Story of a Murderer é uma obra extremamente complexa nas suas abordagens mais profundas. Note-se que, nas entrelinhas do filme (e do livro claro), há todo um complexo divino de Grenouille em criar algo que consiga dominar o amor da humanidade, o que lhe foi negado desde a nascença; há também toda uma busca por identidade e, ao contrário dos restantes humanos, Grenouille não consegue identificar o seu próprio odor, fazendo-o sentir-se como um marginal. O protagonista acredita que a essência de cada pessoa está no seu odor pessoal e este aparente talento leva-o a sucumbir aos seus instintos mais maliciosos, fazendo-o assassinar virgens para obter a sua pureza e inocência. É quase como se Grenouille não conseguisse controlar esta ânsia e este desejo e tem obrigatoriamente que o perpetuar na sua vida.

Estas nuances roçam a superfície de temas poderosos e que nos fazem questionar-nos sobre nós próprios e aquilo que procuramos para a nossa própria vida. Perfume: The Story of a Murderer é um retrato fiel de alguém que sempre desejou amar e ser amado, mas que foi ostracizado por uma sociedade opressiva e que o tratou sempre como um membro irrelevante e ignorante. A nossa necessidade enquanto seres humanos de nos querermos fazer notar e ser ouvidos; aquela busca incansável por uma adoração generalista para sermos felizes; a perpetuação de um amor que tem que ser retirado à força. Perfume: The Story of a Murderer é um triunfo para o cinema, já que se tornou numa das obras mais ricas e mais intensas dos últimos anos e que, mesmo não conseguindo captar tudo com o tempo de antena devido, todas as opções acabam por ser perdoadas porque a mensagem principal está lá e mais viva do que se pensava inicialmente.

Perfume Critica de Cinema

Portanto, Perfume: The Story of a Murderer é um conjunto de doze notas criativas e a que é adicionada uma décima terceira para atingir a perfeição. É um tipo de cinema profundo, complexo, e acima de tudo, reflexivo e sensorial. Algo que é precioso manter para as futuras gerações.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: O Perfume: A História de um Assassino

Título Original: Perfume: The Story of a Murderer

Realização: Tom Tykwer

Elenco: Ben Whishaw, Simon Chandler, Birgit Minichmayr, Reg Wilson, Sian Thomas, Michael Smiley, Sam Douglas, Karoline Herfuth, Dustin Hoffman, Rachel Hurd-Wood, Alan Rickman, Corinna Harfouch, John Hurt.

Duração: 147 min.

Trailer | Perfume: The Story of a Murderer

Comments