Cinema Críticas

Crítica: Listen (2020)

Listen Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE LISTEN!

O cinema português tem crescido significativamente nos últimos anos em qualidade. Tanto que o Festival de Veneza revelou-se extremamente generoso por ter acarinhado este Listen de Ana Rocha de Sousa. A história tocante de um casal português que vive nos subúrbios de Londres com os seus três filhos e tentam dar o melhor que pode aos mesmos, mesmo num cenário financeiro precário. Até que tudo muda quando, um dia, a filha Lu apresenta umas manchas suspeitas no seu corpo, forçando os Serviços Sociais a removê-los do seu lar.

Listen Critica de Cinema

Listen é um filme que não é fácil para mim abordar. Confesso que sou tendencioso em tentar enaltecer uma obra que eu sei ter o coração no sítio certo, mas que na sua execução acaba por parecer algo genérico. O sentimento que Listen transmite é bonito, tão bonito que se torna verdadeiramente tocante. É um trabalho feito com uma dedicação reconhecível e a realizadora Ana Rocha de Sousa consegue transmitir as emoções facilmente no seu argumento e através das prestações muito competentes de Lúcia Moniz e Ruben Garcia. Há toda uma “luta contra o sistema” que merecia uma exploração mais profunda. E isto porque Listen é, tal como eu, demasiado tendencioso em glorificar os protagonistas e transparecer a sua dor para o público, e esquece-se de enaltecer as circunstâncias e a relevância dos Serviços Sociais no seu geral.

É quase como um exercício de heróis e vilões quando, na verdade, não há nem uma coisa nem outra. As circunstâncias variam de caso para caso e há toda uma ideia de falta de compreensão de um sistema que não é mutável perante os factos do que é apresentado. Listen acaba por cair nesta dicotomia entre glorificação emocional e um sistema que cisma em não compreender estas mesmas circunstâncias. Apesar de ter mesmo as melhores das intenções, Listen acaba por ter uma visão afunilada duma situação que, no fundo, tornar-se-ia ainda mais envolvente se adotasse uma estrutura mais complexa.

Listen Critica de Cinema

Mas há todo um conjunto de elementos que funciona em Listen para além da sua temática superficial, e é isso que o torna bonito aos olhos do povo português. Para além dum trabalho de câmara interessante, a banda-sonora e, em especial, o tema final “Hold My Hand“, cantado por Nessi Gomes, traz toda uma nostalgia que realça os momentos mais duros do filme. A metáfora de Listen reside mesmo na atribuição do seu título, onde num mundo barulhento, todos preferem ignorar e ouvir o pedir mais honesto de ajuda. Esta frieza com que retrata a sociedade torna Listen num produto melhor do que a sua execução generalista, reforçando que as intenções da realizadora são fortes e conscientes.

Por muito que Listen precisasse de um tratamento mais profundo, não deixa de ser uma obra que conquista. E, em especial, porque a dedicação e o esforço de Ana Rocha de Sousa é visível em todos os seus planos de câmara, para além de uma direção de fotografia que capta a ansiedade e a melancolia de forma simples e que permite a reflexão do espectador face àquilo que vai vendo ao longo da sua duração. É também pena que Listen não se prolongue um pouco mais e, talvez, essa fosse a solução para haver uma exploração mais dura do que aquilo que foi retratado. Ainda assim, Listen é um trabalho nacional muito competente e que, mesmo sabendo que estou a ser tendencioso, merece ser recompensado.

Listen Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Listen

Título Original: Listen

Realização: Ana Rocha de Sousa

Elenco: Lúcia Moniz, Sophia Myles, Ruben Garcia, Kiran Sonia Sawar, James Felner, Brian Bovell, Maisie Sly.

Duração: 73 min.

Trailer | Listen

Comments