Cinema Críticas

Crítica: Elyse (2020)

Elyse Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE ELYSE!

A esposa de Anthony Hopkins toma as rédeas de um drama sobre uma mulher que sofre de uma experiência traumática e, por isso, desenvolve severos problemas mentais e é acompanhada por um psiquiatra extremamente profissional, interpretado pelo vencedor de Óscar. Elyse é um drama apalhaçado, que parece saído de um episódio de telenovela, com performances terríveis e uma ambição demasiado elevada para o que é possível alcançar.

Elyse Critica de Cinema

Elyse é tão mas tão melodramático e tão pouco realista que se torna numa tortura visual. Anthony Hopkins é sempre um senhor no ecrã, mostrando o seu à vontade com a câmara. No entanto, todo o restante elenco é precário, arrancando prestações plásticas e pouco credíveis, removendo qualquer réstia de envolvimento do público com a sua temática delicada. É também um exercício pomposo de uma realizadora que está desesperada pela atenção de Hollywood e alcançar o sucesso que o seu esposo alcançou.

Stella Hopkins não é uma contadora de histórias competente, já que revela um precário entendimento de como se manifestam as doenças mentais, permitindo que um elenco pouco talentoso assuma as rédeas de algo que merece um tratamento muito mais transparente do que realmente recebe em Elyse. Por muito que alguns diálogos até tenham uma certa veracidade, Elyse afoga-se numa melancolia desnecessariamente aborrecida, que é ainda mais prejudicada, mais uma vez, pelas performances desinteressantes. Elyse não tem também uma estrutura estável em termos cinematográficos, trocando de tons sem uma razão aparente, revelando apenas mais uma tentativa frustrada de Stella tentar mostrar que é uma realizadora camaleónica.

Elyse Critica de Cinema

Se Elyse não fosse um filme tão forçado e tão pouco natural, talvez o cenário fosse mais sorridente. Até porque Anthony Hopkins acaba por desempenhar o papel mais importante do filme e a sua personagem é desperdiçada e reduzida a algo muito unidimensional. É também um exemplo de como “entre marido e mulher não deve haver uma câmara a fazer de colher” porque, na verdade, revela apenas que há sorte no amor mas não no cinema. E a combinação de ambos, em Elyse é notória que não funciona. Não há química entre a imagem, atores e produção, tornando Elyse um produto baço, sem vida e com uma missão frustrada de tentar ser mais do que aquilo que pode.

As boas intenções podem estar nas suas linhas de diálogo, mas a sua execução revela precisamente uma falta de cuidado incrível por parte de alguém que quer desalmadamente marcar pela diferença num mundo difícil em que o público é cada vez mais exigente.

Elyse Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Elyse

Título Original: Elyse

Realização: Stella Hopkins

Elenco: Anthony Hopkins, Donat Balaj, Lisa Pepper, Aaron Tucker, Tara Arroyave.

Duração: 95 min.

Trailer | Elyse

Comments