Cinema Críticas

Crítica: The Spy Who Loved Me (1977)

The Spy Who Loved Me Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE THE SPY WHO LOVED ME!

Chegámos ao 10º filme da nossa maratona de James Bond, com Sir Roger Moore no papel principal do espião mais famoso do mundo. Em The Spy Who Loved Me, 007 precisa de descobrir a origem dos desaparecimentos misteriosos de submarinos provenientes do Reino Unido e da Rússia e, para isso, vai contar com a ajuda da agente do KGB Major Anya Amasova. Discutivelmente o melhor filme de Sir Roger Moore, The Spy Who Loved Me traz de volta a essência de Bond mas tem uma história muito… banal?

The Spy Who Loved Me Critica de Cinema

Não quero que os fãs de Bond me interpretem mal, mas The Spy Who Loved Me não é propriamente um dos meus filmes prediletos. Por muito que este seja uma entrada divertida e tão aventureira como todas as outras, o meu envolvimento com o mesmo foi muito menor. Muito se deve ao facto de a narrativa não agarrar tanto e das prestações mecânicas da maioria do elenco. Barbara Bach não consegue convencer e não tem carisma suficiente para liderar o filme ao lado de Roger Moore. Para além disso, sinto que a história de The Spy Who Loved Me acaba por ser demasiado familiar, e não traz nada de novo que seja significativo.

Mesmo que tenha aspetos fantásticos, para não falar da banda-sonora de Marvin Hamlisch on point e os efeitos visuais cada vez melhores e mais realistas proporcionam um serão de entretenimento excelente, The Spy Who Loved Me não consegue tornar os vilões memoráveis como os filmes anteriores. Obviamente que o ator Richard Kiel consegue trazer alguma fervura fresca, mas esperava-se mais de Stromberg, o vilão principal. O facto do filme não conseguir apostar em camadas necessárias a estas personagens, torna-as um pouco desinteressantes e a história em torno dos submarinos acaba por, mais uma vez, se prolongar demasiado, tornando-se algo aborrecida.

The Spy Who Loved Me Critica de Cinema

Mas, claro, Sir Roger Moore continua a conquistar como James Bond, para além de uma realização hábil de Lewis Gilbert que claramente tira proveito das melhorias técnicas disponíveis ao seu serviço. Devo confessar que também não fiquei fã do tema de abertura de Carly Simon, insosso e sem ritmo, e que quase serve como presságio para eu me recordar: “olha, este é aquele filme do James Bond que não gostas assim tanto!”. Esqueço-me sempre, mas também não é problema! Portanto, The Spy Who Loved Me não é dos meus filmes prediletos da saga, mas não deixa de ser um filme de espionagem divertido e com todos os elementos que já conhecemos e que tornam estas aventuras tão especiais.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: 007 – Agente Irresistível

Título Original: The Spy Who Loved Me

Realização: Lewis Gilbert

Elenco: Roger Moore, Barbara Bach, Curd Jürgens, Richard Kiel, Caroline Munro, Walter Gotell, Geoffrey Keen, Bernard Lee.

Duração: 125 min.

Trailer | The Spy Who Loved Me

Comments