Cinema Críticas

Crítica: Jurassic Park III (2001)

Jurassic Park III Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE JURASSIC PARK III!

Como vos escrevi na crítica de Jumanji, o realizador Joe Johnston é um que é um guilty pleasure para mim. Não pretendo defendê-lo em tudo, já que estou familiarizado com os seus erros mais comuns. No entanto, não deixo de respeitar o seu trabalho e de nutrir um certo carinho por ele por trazer ou fazer parte de alguns dos filmes que mais me tocaram até hoje. E também terão de desculpar o meu fascínio pela saga de Jurassic Park porque foi sempre uma que me acompanhou todos os anos e que nunca deixa de me conquistar mesmo depois de ter perdido a conta de quantas vezes a revi.

Jurassic Park III Critica de Cinema

Portanto, nesta terceira entrada do franchise, Joe Johnston substitui Steven Spielberg e os resultados deixam a desejar, visto que se nota já uma ambição de moneymaking maior do que contar uma história mais rica e fresca. Mas, na verdade, porque não dar uma oportunidade? Se o cinema entreter e render de alguma forma não é justificável? Na maioria dos casos isso é óbvio, mas não considero o caso de Jurassic Park III.

Portanto, estamos de volta à ilha Sorna onde um jovem tem um acidente de paraquedismo e vai parar à já conhecida ilha repleta de dinossauros esfomeados. E, estranhamente, um casal tenta a todo o custo recrutar o Dr. Alan Grant para uma expedição à mesma ilha e, mesmo com muita reticência, o paleontólogo lá acaba por ceder. Mas parece que a sua chegada não escapa a vários pares de olhos famintos da selva e um par de olhos em específico que o Dr. Grant ainda não tinha conhecido.

Jurassic Park III Critica de Cinema

Jurassic Park III tem algumas características muito interessantes, especialmente a inclusão do espinossauro e de novos atributos evolutivos dos velociraptors. Utilizando maioritariamente a tecnologia dos capítulos anteriores, Johnston acaba por criar uma aventura singela mas que tem a mesma dose de adrenalina dos antecessores. Apesar de ter uma duração muito curta e de assentar quase como uma side quest de algo muito maior, Jurassic Park III conjuga todos os elementos necessários para proporcionar ao espectador um serão de entretenimento fácil e entusiasmante. As personagens acabam por cair em estereótipos pouco apelativos, é certo, mas não são totalmente execráveis e os atores que lhes dão vida também têm a sua dose de profissionalismo. As sequências de ação continuam a manter a mesma qualidade fílmica e é bom ver que Johnston não alterou os métodos mais característicos de Spielberg.

Mesmo que o argumento peque em dar camadas mais significativas às personagens, é uma entrada que não consigo ver com o mesmo desdém com que foi (e ainda é) massacrada. Pode não ser o melhor capítulo do franchise, de facto, mas Jurassic Park III não deixa de respeitar os valores incutidos nos anteriores e de dar uma continuidade entusiasmante à saga. O que tem a acrescentar é pouco, mas é genuíno, e a presença de Sam Neill volta a recuperar toda uma nostalgia que era essencial para manter os fãs investidos. Já para não falar do espinossauro que é digno de pesadelo e com uma astúcia que revela as fragilidades da criação artificial destes dinossauros. É aquele ponto de partida para que o espectador tenha noção de que, na teoria, os dinossauros continuaram a evoluir e a adquirir comportamentos atípicos. O espinossauro não mata para comer, mas tem um instinto letal que o leva a tentar ser impiedosamente o topo da cadeia alimentar; para além dos velociraptors que têm uma capacidade de resolver problemas e de nutrir empatia uns com os outros, tal como uma alcateia de lobos ou bando de leões.

Jurassic Park III Critica de Cinema

Esta coordenação científica interessante acaba por dar um pouco mais de charme a Jurassic Park III e de mostrar que este é um franchise ainda com alguma pujança. Depois de algum tempo, finalmente chegou Jurassic World e a tecnologia tomou outras liberdades que não eram possíveis na altura. Mais tarde iremos deixar aqui a sua crítica, mas até lá, deem uma oportunidade a esta sequela que não é tão terrível como a pintaram e não desgasta nem prejudica inteiramente o legado que este franchise pretende trazer.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Parque Jurássico 3

Título Original: Jurassic Park III

Realização: Joe Johnston

Elenco: Sam Neill, William H. Macy, Téa Leoni, Alessandro Nivola, Trevor Morgan, Michael Jeter, John Diehl, Bruce A. Young, Laura Dern.

Duração: 92 min.

Trailer | Jurassic Park III

Comments