Mini-Reviews TV TV

Archer – Season Finale – 11ª Temporada

Archer season finale

PODE CONTER SPOILERS DE ARCHER!!!

Diz a regra que, quando uma determinada série chega a um certo patamar, começa a perder os sinais da sua qualidade inerente. Isto até pode ser verdade em alguns casos, mas existem também algumas exceções a esta regra. E Archer é uma dessas exceções.

Depois de três temporadas num estado de coma (algo que serviu de mote para a trilogia de antologias de temáticas diferentes), Sterling Archer (H. Jon Benjamin) desperta para um mundo que mudou. Archer não só terá de lidar com estas novas mudanças, mas os seus colegas de trabalho também terão de lidar com este regresso inesperado.

O MELHOR:

Archer regressa às suas origens, mas mantém o seu tom claramente sarcástico.

Sim, esta 11ª temporada marca o regresso da série à velha fórmula que a marcou pela diferença (leia-se: paródia dos vários projetos em redor do género da espionagem), mas também apresenta-nos um novo status quo interessante. O mundo mudou, tornando-se mais “politicamente correto”, e o grande mote da temporada reside na jornada introspetiva do protagonista titular de tentar encontrar o seu lugar num mundo que aprendeu a seguir em frente sem a sua presença.

E para todos os efeitos e circunstâncias, Archer acarreta com esta missão com pompa e circunstância. Um dos maiores elogios da série reside na sua escrita inteligente que permite alguns meta-comentários sarcásticos sobre o novo funcionamento da sociedade (ainda que falte para ver como Archer e companhia lidaria com uma pandemia ao nível do COVID-19), acoplado com performances surpreendentes. Benjamin é claramente um destaque desta temporada pela sua dicotomia: por um lado, os seus maus comportamentos habituais acabam por trazer o pior das pessoas à sua volta ao de cima, mas também a temporada investe o seu tempo a trabalhar nas próprias concepções, oferecendo-nos um Archer que se mantém igual a si mesmo, mas com abertura suficiente para poder encarar um novo, estranho mundo.

O restante elenco secundário também tem direito a algum destaque, especialmente no que refere às suas mudanças durante estes três últimos anos e de como este trabalho árduo muda por completo no momento em que Archer regressa ao mundo dos vivos. Algumas mudanças são quase radicais [como Lana (Aisha Tyler) a casar-se com um homem mais velho, Cyril (Chris Parnell) a manter-se em forma ou Cheryl (Judy Greer) a manter-se mais calma que o habitual], outras são mais subtis, mas de qualquer das formas, estes sofreram mudanças quase radicais. E ver como estes novos indivíduos reagem ao regresso de Archer acaba por surtir um certo prazer.

No que toca ao nível técnico, Archer continua igual a si mesmo. Embora não aventure tanto por locais exóticos ou bizarros, continua a ser um testamento da equipa de produção. A animação continua em constante evolução, mas não se esquece dos elementos que a tornaram única neste seio televisivo.

O PIOR:

Esta temporada de Archer continua com a tendência de encurtar os seus episódios.

Não se sabe se tal se deve à pandemia atual ou se tal decisão foi intencional, mas o facto de a série consistir em 8 episódios, fica a ideia de que Archer ainda tinha muita história por contar.

Decerto que algumas destas ideias e histórias serão revisitadas num futuro próximo, visto que, surpreendentemente, Archer foi recentemente renovada para uma 12ª temporada. Resta esperar para ver que outras surpresas Adam Reed nos reservou.

Podem ler a nossa Mini-Review anterior de Archer aqui.

Estado da série: RENOVADA

0 86 100 1
86%
Average Rating

Depois de 3 temporadas num formato antológico, Archer regressa ao mundo real com o humor característico praticamente intacto.

  • 86%

Comments