Cinema Críticas

Crítica: Holidate (2020)

Holidate Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE HOLIDATE!

Não sei se é de mim ou se por estar trancado em casa há muito tempo, mas estou a começar a ficar um softie com as novas comédias românticas. Depois de um The Broken Hearts Gallery agradavelmente surpreendente, agora Holidate junta-se à trupe. Holidate é, tal como o nome indica, um “feripar” (podiam definitivamente ter encontrado uma melhor tradução para a expressão ou então mantinham a original, esta é horrível…), onde desconhecidos acabam por meramente marcar encontros na época dos feriados para tornar mais tolerável a presença das famílias conservadoras e tradicionais. Sloane e Jackson são dois desses casos e, para além de odiarem os feriados, estão ambos solteiros e a precisar de mudar de ares amorosos. Assim que se conhecem, começam a desenvolver um carinho especial um pelo outro e… já sabem onde isto vai parar.

Holidate Critica de Cinema

Como podem ver, Holidate não tem ponta por onde se lhe pegue em originalidade. É também um filme tão cliché e tão vulgar que se torna difícil, num panorama amplo, conseguir espremer conteúdo suficiente para uma classificação positiva. No entanto, Emma Roberts e Luke Bracey têm uma química fantástica e o tipo de humor que Holidate incute é acutilante e surte efeito a todo o momento. Para além disso, a patetice acaba por ser tão século XXI que resulta na perfeição para satirizar um pouco a forma como as pessoas procuram desculpas para encontros básicos. Se a casualidade dos encontros resulta ou não, em Holidate podem encontrar um raio de esperança para encontrar algo mais do que apenas sexo ou um bom jantar.

A verdade é que Holidate tem personagens secundárias divertidas e, mesmo que sejam estupidamente ordinárias e sem nada de novo a trazer para o espetador, não deixam de ter aspetos particulares que conquistam. A cheesiness de Holidate acaba por resultar e de nos proporcionar um serão bastante divertido. Claro que não há forma de pintarmos esta comédia romântica como algo superior porque está longe de o ser, mas tem charme, carisma e um humor que assenta que nem uma luva para nos dar um sorriso durante os feriados mais chatos que conhecemos.

Holidate Critica de Cinema

Portanto, mesmo que fiquem reticentes em dar uma oportunidade, ficam a saber que Holidate é extremamente banal, mas tem um charme próprio e contagiante, e muito disto se deve aos seus incrivelmente engraçados protagonistas. E, melhor do que tudo, tem uma irreverência nas suas linhas de diálogo que proporcionam verdadeiros momentos de prazer, seja pela parte cómica ou dramática. Sendo assim, Holidate torna-se mais um guilty pleasure de 2020 e uma produção agradável da Netflix.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Amor com Data Marcada

Título Original: Holidate

Realização: John Whitesell

Elenco: Emma Roberts, Luke Bracey, Kristin Chenoweth, Frances Fisher, Jessica Capshaw, Mikaela Hoover, Jake Manley.

Duração: 103 min.

Trailer | Holidate

Comments