Mini-Reviews TV TV

La Révolution – Season Finale – 1ª Temporada

La Revolution Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE LA RÉVOLUTION!

A Netflix tem apostado imenso em conteúdo europeu; tanto que as suas melhores produções estão a explorar o melhor que o nosso continente tem para oferecer, longe das americanizações que já estamos fartos de conhecer. A sua mais recente é proveniente de França e chama-se La Révolution e, tal como nome indica, foca-se na revolução francesa, mas com um toque invulgar de misticismo. Este reinventar da história acompanha o futuro inventor da guilhotina que descobre uma estranha doença que os aristocratas estão a usar para aniquilar a população pobre.

La Revolution Season Finale

O MELHOR:

La Révolution tem aspetos extremamente bons, nomeadamente a componente técnica.

Aliás, é louvável até. Uma produção a larga escala com um guarda-roupa, design de produção e fotografia no seu auge, embelezados ainda mais por uma banda-sonora palpitante e prestações magníficas. Fornece um conjunto de elementos que fazem os nossos olhos arregalarem-se pelo esplendor das suas imagens, mesmo que nem tudo seja bom. Há também uma certa criatividade em deturpar a narrativa histórica e adicionar um elemento sobrenatural para torná-la ainda mais apetecível para massas… ainda que isto seja igualmente o seu maior inimigo, mas já lá vamos.

Liderada por Amir El Kacem e Lionel Erdogan, La Révolution tem atores desconhecidos (ou relativamente desconhecidos) e consegue apostar imenso nas suas prestações. Se a história não fosse tão dispersa e por vezes repetitiva, La Révolution seria muito provavelmente uma das melhores apostas da Netflix dos últimos anos, já que os visuais e as performances são o seu ponto mais forte.

La Revolution Season Finale

O PIOR:

É precisamente pela história ser dispersa e demasiado familiar que faz com que La Révolution não consiga superar as suas maiores falhas.

Por muito que o elemento sobrenatural ajude a série a ter uma pitada de mistério que, inicialmente, nos cativa; tudo começa a desmoronar-se por não haver uma linearidade ou coesão no fluxo da história. Sentimos que as personagens estão demasiado espalhadas durante o seu tempo de antena; como que o fio que as une não seja totalmente percetível… é uma sensação estranha, porque a série tem praticamente tudo o que é necessária para ter sucesso.

Por mais incrível que pareça, enquanto estamos investidos nas personagens e no seu desenvolvimento e nos estonteantes visuais, começamos a sentir uma fadiga extrema no desenrolar da história. A falta de articulação entre as diversas linhas faz com que La Révolution perca carisma e garra à medida que avança.

Apesar de ser ver bastante bem, é uma série que se deixa abater pelas suas próprias ambições e o espectador vai sentindo isso com o avançar da narrativa. Torna-se repetitiva como muitas outras, pouco elucidativa por vezes e, pior do que isso, utiliza a sua extrema componente técnica como uma desculpa para as suas falhas. Um livro de capa bonita não significa que tenha conteúdo fascinante e esta metáfora é o que melhor caracteriza La Révolution.

Ainda assim, para quem gosta de uma história diferente ou factos históricos contados com uma dose interessante de fantasia, La Révolution pode ser exatamente aquilo que precisavam.

La Revolution Season Finale

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 62 100 1
62%
Average Rating

La Révolution é uma série francesa de alto calibre da Netflix que, embora tenha quase todos os elementos na dose certa, falha em construir uma narrativa linear e coesa.

  • 62%

Comments