Cinema Críticas

Crítica: Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna (2020)

Digimon Adventure Last Evolution Kizuna Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE DIGIMON ADVENTURE: LAST EVOLUTION KIZUNA!!!

Já pararam para pensar que já lá vão 21 anos desde que Digimon entrou nas nossas vidas? Apesar de ser maioritariamente apontado como uma espécie de rip-off de Pokémon, esta saga depressa encontrou o seu lugar nos corações e memórias de vários jovens em todo o mundo. Pois bem, é com este Last Evolution Kizuna que a série como a conhecíamos chega ao fim, com um filme agridoce que serve de “carta de amor” aos fãs mais acérrimos da saga.

O filme arranca cinco anos depois dos eventos de Digimon Adventure tri., Os DigiDestined, agora na sua fase adulta, procuram pelo seu lugar no mundo, ao passo que as suas aventuras com os seus Digimons começam a tomar uma importância secundária. Os jovens são chamados de volta à ação com o aparecimento do misterioso Eosmon, mas nem tudo é tão fácil, quando Tai e Matt descobrem que os seus laços com Agumon e Gabumon, respetivamente, têm os seus dias contados. E aqui entra um dilema: aproveitarão eles o tempo que lhes resta, ou tentarão salvar o mundo pela última vez?

Não posso dizer que tenha crescido juntamente com Digimon, uma vez que a minha vida, enquanto criança, estava mais centrada no rumo casa-escola-escola-casa, com pouquíssimo tempo para estar a par dos desenhos animados que passavam nos canais generalistas da altura. No entanto, ainda me encontrava fascinado nas poucas vezes que via a série clássica, ainda que dobrada na versão portuguesa. Desde então, envelheci, tomei algumas decisões (e vivi com as consequências das mesmas), arranjei trabalho. Tornei-me num adulto. E pelo caminho, ao mesmo tempo que fui criando laços com pessoas que marcaram a minha vida, também fui perdendo contacto com as mesmas, ainda que as mantenha junto do meu coração e nas minhas memórias.

Pode parecer estranho estar a iniciar esta crítica de forma tão pessoal como esta, mas é precisamente esse tema que toma o centro das atenções em Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna: a transição para a vida adulta e a perda de laços poderosos nesse processo. Encontramos alguns dos DigiDestined com as suas vidas já preparadas para o sucesso; tirando Tai e Matt, com cada um numa encruzilhada pessoal sobre o próximo passo a tomar. É um aspeto humano que cria uma ressonância surpreendente com as pessoas nascidas durante a década de 90, portanto, não será de estranhar que alguns de nós nos vejamos na pele de Tai ou Matt.

Como já seria de esperar de Digimon, a narrativa conta com um elemento de tensão que proporciona vários momentos de ação, bem ao estilo a que nos habituámos anos antes; mas sendo uma longa-metragem, existe qualidade surpreendente na forma como se apresenta, seja no design das personagens que nos remonta à série original, na estética da iluminação, nos cenários ora realistas do Japão ora psicadélicas do Mundo Digital, ou mesmo nas sequências de ação mais energéticas.

No entanto, e apesar desse apelo, Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna é um filme mais introspetivo, que nos convida a considerar alguns temas relevantes sobre a transição para a vida adulta. A maior parte dos DigiDestined fica relegada para segundo plano (tirando o elenco principal de Digimon Adventure 02, que depois de serem relegados a cameos nos filmes que compõem Digimon Adventure tri., encontram-se numa posição mais relevante), com o foco redobrado em Tai e Matt, nas suas jornadas pessoais e nas suas relações com os seus parceiros digitais. E o filme sai a ganhar nesse aspeto.

Ainda assim, Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna não é um filme que surta resultado em alguns aspetos. O filme apresenta-nos um antagonista com uma história trágica, mas torna-se semelhante a uma direção tomada há pouco tempo. Existe também a questão de não respeitar por completo a cronologia estabelecida, especialmente no que toca a ignorar alguns dos eventos retratados em Digimon Adventure tri.

O filme consegue ser emocional por seu próprio direito, mas esse mesmo impacto é quase nulo quando consideramos que anda por aí um reboot da série original, desta vez decorrendo na era moderna. A nova série tem sido uma fonte de surpresas, sendo um bom ponto de arranque para quem não está familiarizado com a saga e apresenta novas ideias para deixar os fãs veteranos intrigados. Mesmo assim, o que poderia ser um momento poderoso no filme acaba por se perder quando temos esse novo projeto em mente.

Dito isto, e se considerarmos o filme como a conclusão natural da série que arrancou em 1999, Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna é uma conclusão emocional que todo o fã deve ser. Se não de deixarem seduzir pelo facelift apresentado, então deixem-se seduzir por uma história emocionante e ressonante para todas as idades.

Podem ler outras das nossas Críticas aqui.

Título: Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna

Realização: Tomohisa Taguchi

Elenco: Natsuki Hanae, Yoshimasa Hosoya, Mayu Matsuoka, Chika Sakamoto, Mayumi Yamaguchi

Duração: 94 minutos

 

Trailer | Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna

Comments