Cinema Críticas

Crítica: Mignonnes (Cuties) (2020)

Mignonnes Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE MIGNONNES!

Eis que finalmente tive a oportunidade de ver o filme que está a gerar controvérsia por todo o mundo. E, de facto, entende-se a origem desta polarização tão grande da sociedade. Mignonnes é um filme altamente provocador e polémico, mas que talvez seja mais do que essencial para a nossa compreensão social de hoje em dia. Não quero, de todo, que esta crítica seja motivo de gerar discórdias porque todas as opiniões são aceitáveis perante um filme que tem demasiado trabalho provocador, mas vou tentar expressar-me o melhor que conseguir.

Mignonnes Critica de Cinema

Mignonnes acompanha a jovem de 11 anos Amy, que é proveniente duma família muçulmana altamente religiosa do Senegal, e que encontra refúgio num grupo de amigas rebeldes da escola. Amy faz os possíveis para se integrar no meio destas jovens tão peculiares, focando-se no objetivo de, com estas, ganhar um concurso de dança.

A verdade é que Mignonnes é um filme provocador porque utilizar menores para manifestar um problema social grave, onde a ausência parental pode levar a comportamentos erráticos. As pequenas Fathia Youssouf, Médina El Aidi-Azouni, Esther Gohourou, Ilanah Cami-Goursolas e Myriam Hamma são extraordinárias nos seus papéis, mas têm apenas 11 anos de idade. A realizadora Maïmouna Doucouré coloca-as em preparos muito pouco apropriados à sua idade, com danças lascivas e provocadoras e, por vezes, exagera demasiado na sua sexualização. A verdade é que, de facto, é chocante a forma leviana como o filme trabalha as suas atrizes menores e expõe-nas duma forma muito violenta para uma sociedade conservadora e facilmente impressionável. E não digo isto de forma irónica ou pejorativa, porque, de facto, o filme é mesmo lascivo. Mas, até que ponto não é necessário?

Mignonnes Critica de Cinema

Mignonnes é um filme difícil de digerir para um crítico que aprecia arte e é também cronista social. Tem tanto de moralmente condenável, quanto é uma obra que, de uma forma abrupta, se torna essencial. Infelizmente a sociedade ainda está longe de atingir a plenitude do seu próprio entendimento. Mignonnes toca precisamente nessa ferida, porque as crianças que são retratadas são exatamente aquilo que nenhum pai quer aceitar. Neste meio tecnologicamente evoluído, cada vez mais vemos crianças de 11 ou 12 anos a terem comportamentos atípicos para a sua idade. Começam a fumar, a ter as primeiras experiências sexuais, e a demonstrar interesse por temas que estão cada vez mais banalizados como o sexo, roupas reveladoras e por aí fora. Mesmo que as atrizes do filme sejam colocadas forçosamente em papéis que sejam dolorosos para o público, não estarão elas a ilustrar um problema que é bem real e que não queremos aceitar?

O boicote à Netflix é um pouco despropositado, pois o filme age sem vergonha ou preconceito em revelar a sua temática delicada. No entanto, a maior condenação recai sobre as opções da realização em abusar nas sequências de dança sexualizadas que, de facto, são demasiado provocadoras desnecessariamente. No entanto, não diria que o filme seja um “apelo à pedofilia” como já li nalguns artigos, mas sim um expor de um problema grave e facilmente impressionável. As opções de argumento em ver a decadência de uma protagonista tão pura e inocente são precisamente aquilo que torna Mignonnes numa obra a ter em conta para colocar o mundo a falar sobre estas questões.

Mignonnes Critica de Cinema

A protagonista Fathia Youssouf carrega o filme às suas costas duma forma abismal e a exigência do seu papel é formidável, mesmo ao ponto de ser nomeada ao Óscar. Claro que, para muitos, Mignonnes irá ser um filme que irão evitar a todo o custo e também não julgo quem o condenar, pelos motivos que já mencionei acima. Mas, seja como for, irei recordar-me do choque que Mignonnes causa por ser despreocupado em utilizar atrizes menores em contextos inapropriados para a sua idade, mas que abre os olhos para um problema educativo e parental por todo o mundo. E talvez seja esta a mensagem mais importante que o filme conseguiu alcançar, mas tirem vocês próprios as vossas conclusões.

Não serei apologista da sua remoção, mas concordo que há limites para se ser provocador quando nunca sabemos quem está a ver do outro lado do ecrã. Ainda assim Mignonnes é uma história forte, com um propósito claro e que, como obra de cinema, é mais que competente em deixar-nos desconfortáveis com a sua abordagem.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Mignonnes – Primeiros Passos

Título Original: Mignonnes

Realização: Maïmouna Doucouré

Elenco: Fathia Youssouf, Médina El Aidi-Azouni, Esther Gohourou, Ilanah Cami-Goursolas, Myriam Hamma.

Duração: 96 min.

Trailer | Mignonnes

Comments