Mini-Reviews TV TV

Doom Patrol – Season Finale – 2ª Temporada

Doom Patrol season finale

PODE CONTER SPOILERS DE DOOM PATROL!!!

2019 testemunhou a chegada de um número enorme de séries inéditas nos mais variados géneros. Algumas foram engraçadas, outras intensas, e ainda houve uma ou outra que só pode ser descrita como “estranha”. Doom Patrol, a segunda série original da DC Universe, pertence claramente a este último. Depois de uma primeira temporada espantosa, eis que esta regressa para uma segunda temporada mais curta, mas não menos estranha.

Arrancando pouco tempo depois da conclusão da temporada anterior, Doom Patrol mostra-nos Cliff (Brendan Fraser), Larry (Matt Bomer), Rita (April Bowlby), Jane (Diane Guerrero) e Vic (Joivan Wade) a lidarem com a verdade sobre o papel de Niles Caulder (Timothy Dalton) nas suas respetivas desgraças, mas também têm de lidar com outros problemas pessoais. Já para não falar de tomarem cautela com Dorothy Spinner (Abigail Shapiro), a filha de Niles com poder mais que suficiente para destruir o mundo.

O MELHOR:

Doom Patrol eleva a sua loucura, humor e sensibilidade nesta segunda temporada.

A primeira temporada mereceu todo o renome merecido graças à sua vontade de arriscar ao explorar o lado mais esquisito da DC que outras séries teimam em não querer explorar. E embora essa mesma temporada tenha os seus momentos em que ficamos paralisados e a digerir o que estamos a ver, a segunda temporada eleva ainda mais essa mesma fasquia. Essa mesma dose de loucura pode estar mais espalhada, mas não nos deixa de oferecer alguns episódios em que, no fim, só podemos explodir no ecrã com um What the f… Exemplos disso podem ser encontrados em episódios como Tyme Patrol, Sex Patrol ou Dumb Patrol.

Mas mais do que isso, Doom Patrol sempre foi visto como uma exploração de mentes perturbadas pelos seus “pecados do passado”. E esse aspeto está de regresso e, graças à ausência de um antagonista central (para o bem ou para o mal), pudemos ver outros novos detalhes destes “heróis” e nas suas perspetivas sobre o conceito de família. Vermos Cliff em constante raiva por ter sido um péssimo marido e pai, Larry a lamentar pela destruição da sua família graças aos seus segredos, ou Rita a encontrar um propósito para ela mesma, são aspetos que ajudam a humanizar estes seres quebrados e de como vêem uns aos outros (deixem-me dizer que a amizade entre Larry e Rita é uma das histórias mais belas sobre amizade incondicional)

Grande parte do elenco está de regresso nesta nova aventura, e personagens que estavam relegados a presenças especiais têm direito a uma maior expansão, mas também esta temporada é justificada graças à presença de Dorothy. A escolha de maquilhagem e guarda-roupa tornam-na imediatamente distinguível dos seus compatriotas, mas temos direito a ver uma rapariga que é vítima da sua própria mente e da vida cruel que sofreu na pele durante décadas. E é esse aspeto de ingenuidade infantil num mundo cruel que permite Shapiro mostrar o que pode fazer.

O PIOR:

Infelizmente, e apesar de contar com alguns momentos que merecem ser vistos e vivenciados, parece que esta temporada de Doom Patrol está mais fragmentada.

A ausência de um antagonista principal torna-se bastante aparente após uma certa altura, especialmente considerando que os protagonistas estão centrados nos seus conflitos do que propriamente sobreviver nesta nova família. Algumas das narrativas singulares demonstram resultados inegáveis, mas há outros cuja conclusão ainda está por resolver ou simplesmente não levam a lado nenhum. Infelizmente, Vic é vítima disso mesmo, cuja narrativa é focada em busca de um amor em detrimento na exploração do seu stress pós-traumático.

Doom Patrol também é uma das imensas vítimas do Coronavirus, com os seus 10 episódios programados a terem de ser reduzidos para 9. Ou seja, esta temporada oferece-nos um cliffhanger e algumas pontas soltas que nos faz lembrar o season finale da primeira temporada de Titans. A única diferença é que o caso de Titans foi uma escolha deliberada, ao passo que Doom Patrol foi vítima de uma circunstância que afetou a toda a gente no mundo inteiro.

Apesar dos seus problemas estruturais, Doom Patrol continua a ser uma das apostas mais surreais da DC Universe, e esta temporada mantém – e eleva – o seu humor característico, os seus momentos mais comoventes e a brilhante (des)construção dos seus protagonistas.

Agora resta esperar se Doom Patrol terá uma hipótese de concluir esta história com uma nova temporada. Até lá, podem ler o que achámos da temporada anterior aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 82 100 1

82%
Average Rating

Em termos estruturais, Doom Patrol deixa um pouco a desejar. No resto, é exatamente o que esperávamos e muito mais ainda.

  • 82%

Comments