Mini-Reviews TV TV

Unbreakable Kimmy Schmidt – Interactive Special – Kimmy vs. The Reverend

Unbreakable Kimmy Schmidt: Kimmy vs. The Reverend interactive special

PODE CONTER SPOILERS DE UNBREAKABLE KIMMY SCHMIDT: KIMMY VS. THE REVEREND!!!

Não foi há muito tempo atrás que nos tivemos de despedir de Unbreakable Kimmy Schmidt, uma das séries de sucesso que a Netflix nos proporcionou até agora. Não foi exatamente uma série que fosse aclamada pela crítica, mas pelas mãos de Tina Fey e Robert Carlock, deu origem a bastantes gargalhadas. Por isso, saber que Kimmy e companhia regressaria para um especial interativo – na mesma onda que Black Mirror: Bandersnatch – deixou-me apreensivo. E ainda que os meus receios fossem confirmados, até deu para passar um bom bocado!

Arrancando algum tempos do final da série, encontramos Kimmy (Ellie Kemper) a preparar-se para o eventual casamento com o Príncipe Frederick (Daniel Radcliffe). No entanto, um objeto do seu passado leva Kimmy numa viagem louca, onde irá confrontar o Reverendo (Jon Hamm) pela última vez!

O MELHOR:

Mesmo depois deste tempo todo, Unbreakable Kimmy Schmidt continua hilariante e inteligente como sempre!

Tina Fey e Robert Carlock foram os responsáveis por trazer a onda de humor e energia positiva a esta icónica protagonista e aos seus amigos, e esses traços estão bem presentes neste especial interativo. A história em si e as performances já seriam de esperar para quem acompanhou a série de fio a pavio, mas não deixa de ser um regresso a um universo positivo e engraçado, especialmente no que toca aos tempos modernos deste lado.

O facto de esta aventura ser do estilo pick-your-own-adventure possui dois pontos a seu favor. Por um lado, permite a quem ver o especial um especial controlo no rumo da narrativa e das suas (hilariantes) consequências. Claro que depende da experiência de cada um. A minha primeira tentativa resumiu-se a seguir as guidelines do quão bem eu conhecia das personagens, e devo dizer que o rumo era “convencional”, mas não menos satisfatório, ainda que incorresse num beco sem saída e reiniciado algumas vezes (e uma delas era um fake-out, mas já falo sobre isso a seguir). Já na segunda, fiz todas as más escolhas possíveis, ou alternativas, cujos desenlaces não deixam de ter o seu tom inteligente ou bizarro.

Outro ponto a favor reside na forma como o humor de Unbreakable Kimmy Schmidt se adapta a este formato, e devo dizer que é aqui que entra o “humor inteligente”. Graças a este método, o humor torna-se ainda mais auto-consciente, especialmente nas interações dos personagens comigo (especialmente naqueles fourth wall breaks que me obrigam a retroceder nas escolhas), mas vai ainda mais longe e parodia algumas funcionalidades inerentes à Netflix, e não há melhor exemplo disso quando começa a rodar o genérico de abertura (desafio-vos a passarem-no à frente. I dare you!)

O PIOR:

Kimmy vs. The Reverend pode ter sido uma boa experiência, mas não deixa de ter um travo amargo.

Uma das ferramentas deste tipo de interações é que a Netflix dá-nos um tempo-limite para tomarmos uma decisão concreta. Enquanto isso acontece, as personagens interagem entre si durante alguns momentos para passar o tempo. Isto pode-se registar em alguns momentos, mas há sequências que se tornam, na ausência de um melhor termo, cringe-worthy. E o facto de não saltarmos logo para a ação depois da escolha só piora ainda mais a situação.

Mas a grande questão aqui é: será essencial para o legado da série? A meu ver, nem por isso. Unbreakable Kimmy Schmidt não é uma série perfeita, mas teve direito a uma despedida como deve ser, com os seus protagonistas em novos rumos. Kimmy vs. The Reverend tem os seus pontos favoritos, mas creio que surtiria um maior efeito se, das duas uma: ou servisse de epílogo da série principal na sua temporada final, ou fosse o fomento para uma reunion special anos depois do findar da série (algo que 30 Rock, também da autoria de Fey). Não como um especial interativo. E muito menos pouco tempo depois do fim da série.

 

Unbreakable Kimmy Schmidt: Kimmy vs. The Reverend retém a doçura, o humor e a inteligência que marcaram a série principal, mas no fim e ao cabo, não há justificação possível para a sua existência.

Podem ler o que achámos da temporada final de Unbreakable Kimmy Schmidt aqui.

0 70 100 1

70%
Average Rating

Unbreakable Kimmy Schmidt: Kimmy vs. The Reverend é doce, engraçado e surpreendentemente inteligente, mas no fim e ao cabo, não justifica a sua existência.

  • 70%

Comments