Mini-Reviews TV TV

I’ll Be Gone in the Dark – Series Finale – 1ª Temporada

I'll Be Gone in the Dark Series Finale

CONTÉM SPOILERS DE I’LL BE GONE IN THE DARK!

Há uma paixão que brotou recentemente na minha vida e da qual parece que não consigo escapar. Tornei-me um viciado em true crime, devorando todos os filmes e séries que se atravessam no meu caminho. Percorri as injustiças de Making a Murderer, fiquei com o coração quebrado depois de Dear Zachary, boquiaberto com a insanidade de Tiger King, e a lista é, agora, gigantesca. O mais recente documentário da HBO é um com o qual me relaciono bastante e porquê? Bem… porque a obsessão de Michelle McNamara em desvendar o mistério do Golden State Killer ou East Area Rapist é perfeitamente compreensível aos meus olhos. Mas vamos por partes… Michelle McNamara é uma aficionada por true crime que inicia uma busca frenética por este assassino e violador que é responsável por mais de 50 agressões sexuais e 10 assassinatos. Decide depositar toda a sua pesquisa e trabalho num livro com o título “I’ll Be Gone in the Dark“. E, este título, é inspirado por uma citação do assassino para uma das suas vítimas: “You’ll be silent forever, and I’ll be gone in the dark“. Depois de uma luta desenfreada contra a depressão, receio e insegurança, Michelle perde a vida durante o sono após a ingestão desmesurada de comprimidos. Esta é a sua história e este é um dos documentários mais brilhantes do ano.

I'll Be Gone in the Dark Series Finale

O MELHOR:

I’ll Be Gone in the Dark é uma mistura de imensa criatividade e sentimento.

É uma narrativa difícil de digerir, já que absorve todo o trabalho de Michelle McNamara, para além de incluir o contributo do seu esposo, o ator e comediante Patton Oswalt, e dos seus ajudante Paul Haynes e Billy Jensen, para terminarem o livro, após a morte precoce da escritora. Há toda uma extraordinária amálgama de contributos, de testemunhos, de trabalho depositado que, tem na HBO, a sua maior recompensa. I’ll Be Gone in the Dark é um produto de amor sobre tragédia. É um antagonismo brilhante que culmina num registo único de televisão.

A mini-série mistura diversas perspetivas, ao incluir nos seus 6 episódios todo o trabalho, não só de McNamara, como dos restantes envolvidos, para além de explorar com respeito e emoção os testemunhos das vítimas (e sobreviventes) do GSK ou EAR (acrónimos do assassino). I’ll Be Gone in the Dark é também um exercício profundo sobre como a obsessão pode conduzir a um frágil estado mental se não for controlada. É um perigo extremo quando a procura por justiça domina toda a nossa conduta, mesmo sabendo que a verdade pode nunca chegar. Mas McNamara iria ficar orgulhosa do seu trabalho e de saber que este assassino foi apreendido um dia depois da sua história ser lançada no pequeno ecrã.

Portanto, I’ll Be Gone in the Dark é, para além de emocional, um documentário conclusivo e com uma maravilhosa composição que dá alento a todas as vítimas deste arrepiante criminoso, como solidifica o trabalho da autora e o imortaliza como um raio de esperança na busca pela verdade e pela justiça. Sendo um aficionado como McNamara por esta vertente, I’ll Be Gone in the Dark é tanto uma lição como uma realização pessoal que, de alguma forma, sempre ambicionei ter. É um conto duro, denso, mas está cheio de ternura, de amor e de saudade, embebidos nas entrelinhas do horror, do sofrimento e da dor.

I'll Be Gone in the Dark Series Finale

O PIOR:

Apesar de ser um dos melhores documentários do ano, I’ll Be Gone in the Dark tem alguma dificuldade em arrancar.

Os episódios iniciais são algo confusos para o espectador, especialmente porque são atirados com uma quantidade gigantesca de informação e não há um fio condutor que ajude a perceber de que forma as entrevistas que vamos vendo se intercalam com a relevância do caso. Apesar de ter conseguido superar-se até ao seu desenlace, I’ll Be Gone in the Dark necessitava de agarrar ainda mais no seu começo o que, infelizmente, não foi o caso.

Ainda assim, há muito pouco de negativo a mencionar, já que a série demora a construir-se, mas consegue atingir um nível de satisfação acima do normal. Parabéns a toda a equipa da HBO e um bem haja a Michelle McNamara e a todos os que, nos bastidores, contribuíram para o sucesso deste fatídico caso.

I'll Be Gone in the Dark Series Finale

Estado da Série: TERMINADA

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 85 100 1

85%
Average Rating

A nova mini-série de true crime da HBO é uma bomba emotiva para todos os fãs de true crime e imortaliza uma autora brilhante que perdeu a vida muito cedo devido à sua obsessão. É um exercício fantástico de trabalho documental e um que merece suscitar a curiosidade de todos.

  • 85%

Comments