Cinema Críticas

Crítica: Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga (2020)

Eurovision Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE EUROVISION SONG CONTEST: THE STORY OF FIRE SAGA!

O Festival da Eurovision é um dos mais cobiçados do mundo, já que é a plataforma de lançamento de artistas multiculturais para o estrelato, focando-se nas características mais bonitas que cada artista atribui às suas canções, com base nas tradições do seu próprio país. Lars e Sigrit são dois sonhadores islandeses que têm um único objetivo em mente: serem selecionados para representar a Islândia no festival.

Eurovision Critica de Cinema

Will Ferrell regressa às bases da comédia e, a seu lado, encontramos Rachel McAdams. Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga é um filme que é contraditório, por vezes insultoso, mas não deixa de ter alguns aspetos engraçados e que o elevam a ser um bocadinho melhor do que uma autêntica sátira falhada. A verdade é que o filme é demasiado formulaico e satirizante sem alma. De facto, pode ser insultuoso em determinados detalhes, procurando a comédia forçada e cultural para aumentar a sua duração desnecessariamente. Realizado por David Dobkin, Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga é pobre de espírito e aproveita-se de estereótipos (ou uma grande parte deles) para projetar as suas personagens e as satirizar de forma extremamente agressiva. Afinal de contas, se fosse um islandês não iria ficar lá muito satisfeito pela parolice com que o povo é retratado.

Mas nem tudo está perdido, já que a equipa de Will Ferrell consegue reunir algumas das celebridades mais famosas do Festival Eurovision e dá-lhes a oportunidade de brilharem num singelo e muito divertido sing-along, onde Conchita Wurst, Loreen, Jamala, entre outros ex-concorrentes, enchem o ecrã de cor e brilho. Mas nada é mais bonito em Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga do que o orgulho nacional Salvador Sobral entregar a sua canção para a banda-sonora (ainda que extremamente mal apropriada no filme) e ainda agraciar com a sua presença. É um pequeno gesto que, embora não tenha sido totalmente adequada no momento em que surge, enche-nos o coração.

Eurovision Critica de Cinema

Mas todos estes breves momentos, e um momento musical final bastante comovente, Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga é penoso, pouco envolvente e maliciosamente estereotipado. Se houvesse uma procura maior por atores das nacionalidades mencionadas no elenco e uma construção narrativa que deixasse de parte a patetice e utilizar um humor mais subtil, talvez o filme conseguisse superar-se a si mesmo e tornar-se em algo bem mais humano, bonito e encantador.

Com isto, Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga é mais um filme pateta a adicionar às listas de “não ver” e, embora prometesse ser algo bem mais aliciante (vou ficar com a Ja Ja Ding Dong na cabeça certamente, outro dos pontos fortes do filme!), poderia subir na escala e tornar-se numa grande ode, não só ao Festival da Eurovision, como poderia tornar-se uma verdadeira rendição à música e à celebração do talento vocal do ser humano. Infelizmente, o que recebemos são 2 horas de pobreza de espírito e de muita patetice desnecessária.

Eurovision Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Concurso da Eurovisão: A História de Fire Saga

Título Original: Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga

Realização: David Dobkin

Elenco: Will Ferrell, Rachel McAdams, Dan Stevens, Pierce Brosnan, Natasia Demetriou, Demi Lovato, Melissanthi Mahut, Graham Norton, Salvador Sobral.

Duração: 123 min.

Trailer | Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga

Comments