Cinema Críticas

Crítica: You Should Have Left (2020)

You Should Have Left Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE YOU SHOULD HAVE LEFT!

21 anos depois de Stir of Echoes, David Koepp volta a reunir-se com Kevin Bacon para um novo thriller psicológico de nome You Should Have Left. A fórmula é-nos já familiar, contando a história de um casal que se muda para uma nova casa e rapidamente começam a ser atormentados por forças paranormais. Este é um filme que tenta, no seu final, colocar um twist para que consiga surpreender numa altura mais tardia do clímax. Por muito que pudesse ser a opção mais viável, You Should Have Left é demasiado superficial e, por conseguinte, demasiado familiar, não conseguindo recuperar a tempo das lesões infligidas pelo argumento simplista de Koepp.

You Should Have Left Critica de Cinema

Kevin Bacon regressa com uma prestação extremamente competente, num registo que lhe assenta como uma luva. A pequena Avery Tiiu Essex é também uma jovem pérola que merece destaque, ainda que nenhuma das prestações consiga salvar You Should Have Left da mediocridade. Mesmo que a história seja construída de forma linear e de possuir referências a alguns filmes que nos são conhecidos, You Should Have Left não consegue marcar pela diferença, caindo num ciclo de clichés constante. A verdade é que o filme procura desalmadamente contornar a situação nos momentos finais, mas chega já tarde para compensar a sua duração entediante.

Agora que a vida vai retomar a normalidade (ou grande parte dela) nos próximos tempos, depois do tempo de pandemia, You Should Have Left é daqueles filmes que se tornou uma decisão correta de passar diretamente para vídeo on demand. É uma película pobre em execução, ainda que os atores se esforcem para trazer alguma da credibilidade que lhe dá carisma. No entanto, há sempre algum aspeto interessante aqui e acolá, mesmo que não consiga salvar o filme no seu todo.

You Should Have Left Critica de Cinema

A história é tão simples de digestão e tão óbvia na sua génese que remove a sensação de mistério e retira qualquer indício de imprevisibilidade. E muito isto se deve às pistas constantes (e mais que óbvias) do argumento de Koepp. A personagem de Amanda Seyfried (ainda que bem interpretada) é um alicerce banal para promover uma narrativa já conhecida e para fomentar uma personagem baça e sem grande relevo ou credibilidade. Mesmo quando You Should Have Left tenta parecer inteligente, recua vários passos porque não consegue manter uma história, dita mirabolante e misteriosa, porque o seu criador tem medo de confundir os seus espectadores.

Portanto, mesmo que You Should Have Left suscite algum interesse, não passa de um exercício vulgar de cinema e que não conquista de nenhuma forma por ser demasiado óbvio e desprovido de uma mensagem original e criativa.

You Should Have Left Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: You Should Have Left

Título Original: You Should Have Left

Realização: David Koepp

Elenco: Kevin Bacon, Amanda Seyfried, Geoff Bell, Avery Tiius Essex.

Duração: 93 min.

Trailer | You Should Have Left

Comments